Pular para o conteúdo principal

Revisão de tese – dez dicas necessárias

Tudo o que o mestrando precisa saber sobre a revisão de dissertação.

Quem precisa fazer uma boa revisão em sua dissertação ou tese, mas não sabe exatamente o tipo de serviço e de profissional de que precisa pode obter nestas postagens a maioria das informações necessárias para compreender o serviço e fazer boas escolhas.
Keimelion - revisão de textos - é um nome consolidado no ramo das revisões acadêmicas; são mais de vinte anos prestando serviços reconhecidos a pesquisadores das mais renomadas universidades.
Se você ainda não viu, esta postagem é precedida de outra, sugerimos que você comece por lá: Revisão de tese – dez dicas suficientes.

Como o orçamento é calculado?

Revisão e formatação de tese e dissertação só com profissionais experientes.
Revisão de tese ou dissertação
é assunto para profissional.
Para orçar uma tarefa de revisão de tese, o revisor precisa saber o tamanho do texto, a qualidade do produto e o tipo de intervenção necessários. Posto que o texto é uma tese ou dissertação, o revisor já sabe o gênero a que o texto compete e o registro a ser uniformizado.

Como o tamanho da tese é calculado?

Em geral, os revisores quantificam o volume de trabalho em caracteres e espaços, as “batidas”: uma letra é, portanto, um caractere; um espaço entre as palavras é outra batida; quaisquer acentos digitados separadamente não são contados. Expressar o comprimento do texto em palavras é outra maneira calcular o volume de trabalho necessário, mas não é tão exato quanto o anterior.

Por que o número de páginas não serve para o cálculo?

Algumas pessoas, quando trabalham, se sentem mais confortáveis com a fonte Arial 14, enquanto outras preferem Times 9. Supondo que você use as mesmas margens, no primeiro caso teremos pouco mais de 300 palavras por página, no segundo quase 900, ou seja, o revisor levará três vezes o tempo necessário para ler, observar e realizar quaisquer alterações.
Por outro lado, uma página da tese constituída apenas de texto corrido contém quantidade certa de material a ser revisado, se a mesma página tiver um terço da mancha (espaço impresso) preenchido por notas de rodapé, a quantidade de texto a ser revisado naquela página é o dobro da existente na página de texto corrido.

Por que o revisor pede para examinar a tese?

Às vezes, o cliente solicita uma cotação para revisar um texto de determinado tamanho (mesmo que seja expresso em número de caracteres), sem fornecer qualquer outra informação. Isso é como pedir ao mecânico um orçamento para consertar “tudo que não funciona na máquina”.
Sem examinar o texto, não se pode assumir o grau de intervenção necessário e, portanto, o trabalho não pode ser avaliado. O orçamento é elaborado após a revisão do texto ou, no mínimo, depois de ver uma amostra composta por vários segmentos da tese.
Se você receber orçamento sem o revisor solicitar um exame do texto da tese, é possível que ele tenha decidido com antecedência quanto tempo ele vai dedicar a esse trabalho, independentemente do tempo realmente necessário para o trabalho adequado. Provavelmente o resultado não será excelente.
A maioria das teses admite diferentes graus de intervenção que serão igualmente válidos e perfeitamente aceitáveis, mesmo que não sejam exatamente iguais ou estilisticamente iguais ou igualmente fáceis de entender.
No parágrafo anterior não há nada de errado, então o autor poderia deixá-lo assim na tese, sem qualquer intervenção do revisor. No entanto, se forem substituídos alguns advérbios que acabam em mente, será mais elegante e fácil de ler. Se forem trocadas algumas palavras com a mesma raiz, ou mesma desinência, a leitura vai melhorar muito. Sendo inseridas algumas marcas de pontuação e revisado o uso de conjunções, o parágrafo ficaria ótimo. São quatro níveis de intervenção que exigem que o revisor tenha competências e habilidades diferentes daquelas do leitor comum possui e das que os autores de uma tese normalmente têm.
A maioria das teses admite diferentes graus de intervenção, todos válidos por igual e perfeitamente aceitáveis; mesmo sem se repetirem, idênticos, ou estilisticamente assemelhados, tornam-se fáceis de entender da mesma forma.
Além o mais, cabe ao autor da tese especificar que tipo de correção é necessária. Se o cliente for tentado a solicitar apenas a correção ortográfica, supondo que vai economizar dinheiro, e nenhuma revisão estilística tiver sido realizada, o revisor não lidará com as questões relacionadas a esse tipo de abordagem – mas o resultado ainda tenderá a ser um texto manco: a última coisa que a banca da tese quer receber.
O revisor assume e presume que a tese recebida do cliente seja o texto final. Se o cliente (ou seu orientador) modifica o texto depois de enviar ao cliente, o revisor tem que reiniciar o trabalho. O revisor entende que o texto revisado devolvido ao cliente seja o texto final. Se o autor (ou o orientador!) fizer alterações depois que a revisão da tese já estiver concluída, e demandar releitura, o profissional precisará calcular novo orçamento e nova data de entrega. Nunca se trata de “dar mais uma olhada” no texto – revisar um texto é assunto sério para o revisor e revisar a tese do cliente é responsabilidade seríssima.
Se você supõe precisar de uma correção ortográfica da tese e descarta a revisão completa, é provável que um revisor profissional rejeite o trabalho, pois não poderia entregar um produto com a qualidade final necessária.

Como se chega ao preço a ser cobrado?

Os preços para a revisão de uma tese são geralmente indicados em reais por lauda, embora também seja possível pagar por hora. As laudas de texto são computadas em função de um número de batidas (caracteres com espaços), nós, na Keimelion – revisão de textos – contamos uma lauda a cada 1500 batidas.
Não há preços oficiais para o trabalho de revisão. Alguns sindicatos de jornalistas publicam tabelas de preços de revisão, mas elas são absolutamente inexequíveis, valores altíssimos. Todos os revisores gostaríamos de receber segundo aquelas referências de preço, mas nenhum pesquisador tem recursos para pagar aqueles valores pela revisão de sua tese – assim como nenhuma editora pagaria aqueles preços pela revisão de um livro. O valor final depende das taxas definidas por cada profissional. Portanto, por praticamente o mesmo trabalho, o autor pode receber orçamentos muito baixos, ou outros muito elevados e alguns intermediários. É o autor que escolherá o revisor mais adequado ao serviço solicitado, considerando todas as condições oferecidas. Vamos destacar que nenhum revisor realmente apto para revisar uma tese cobra barato. A revisão da tese requer profissional experiente, maduro, erudito e responsável; quem tem essas qualificações vive de revisão e cobra de acordo com suas qualificações. Não há escapatória: a revisão de uma tese pode alcançar cifras muito elevadas e cabe ao pesquisador, quase sempre, arcar com o pesado ônus.
Para fazer cem calças, o costureiro corta o tecido todo junto e economiza tempo, o que reduz o preço final de cada calça. Para vender cem sorvetes, o sorveteiro prepara toda a mistura uma vez e economiza tempo e eletricidade. Quando se revisam cem, duzentas ou quatrocentas páginas de uma longa tese de direito, no entanto, não existe preço de atacado, porque é impossível corrigir dois parágrafos ao mesmo tempo.
O revisor lê todas as páginas, todas as linhas, todas as palavras, todas as letras, todos os espaços e todas as marcas de pontuação. Quem contrata a revisão de uma tese deve ter cuidado com um revisor oferecendo descontos com base no volume de trabalho ou aplicando taxa fixa por quantidade indefinida de texto: é uma proposta tácita para trabalhar menos que o necessário.
Qualquer um pode dispor do tempo necessário para ler uma tese e até corrigir nela alguns errinhos. Bem, o revisor, além da leitura, focará nas peças a serem modificadas e, em várias ocasiões, terá que consultar manuais e dicionários. Até mesmo o autor também pode ser forçado a voltar para reescrever uma frase ou unificar algo ao longo da tese, por isso, não é difícil calcular o tempo necessário ao revisor que se dedica profissionalmente a essa atividade; serão muitas horas, muito esforço, muita atenção e muito conhecimento empenhados.
Ao escolher um profissional para revisar sua tese, o autor paga não só pelo tempo gasto no trabalho, paga também pela qualidade do serviço prestado, pelos anos de estudo, pelos cursos de atualização, pelos manuais de consulta e pela experiência acumulada. Quem escreve a tese paga ao revisor não só pelo que ele faz, mas por tudo que ele sabe fazer e aplica para melhorar o texto. O autor não pode esquecer isso quando considera um orçamento.

Quanto o revisor vai cobrar?

O revisor pode ser solicitado a emitir uma nota fiscal com seus próprios dados (nome, endereço, CPF ou CNPJ), a conta do cliente e a descrição do trabalho faturado. A nota fiscal com todos os requisitos legais é um sinal de profissionalismo. Normalmente, os autores de teses e dissertações não solicitam notas fiscais para desonerar o serviço.

Condições de pagamento

Para a revisão de uma tese ou dissertação, geralmente, é necessário um adiantamento (em torno de 30% do orçamento) para confirmar a atribuição. Recomendamos negociação clara para pagamentos e entregas parciais, bem como as demais condições relevantes. Pagamentos parciais são comuns para trabalho muito volumoso, bem como para proteger o revisor. Ao mesmo tempo, a apresentação de peças nas quais o revisor já desincumbiu seu encargo, embora ainda não concluído trabalho, atesta que o serviço está em andamento; O cliente pode então ver como se está procedendo e redirecionar alguns aspectos, se necessário (incluindo a interrupção da cessão de acordo com as condições acordadas – em casos extremos).

Acompanhamento

Na Keimelion, diariamente, nós enviamos a cada cliente sua tese, ao fim dos trabalhos daquele dia nela, demonstrando o estado da arte. Isso transmite confiança a nossos clientes, reduz-lhes o estresse e permite a eles ter controle sobre mil detalhes do serviço já durante a execução da revisão e da formatação.

Qual o tempo necessário para revisar a tese?

O revisor lê com muito cuidado e muitas vezes tem que consultar livros e outros recursos. A velocidade com que ele pode percorrer o texto da tese sem perder os detalhes do que e como é dito, limita a quantidade de trabalho que pode ser feita em um dia: exceder esse limite significa diminuir a atenção que o texto exige. Observe-se que o dia do revisor tem um limite de horas de trabalho; oito horas, talvez dez, revisando e o profissional não vê mais nada! Revisor cansado não revisa. O autor pode trabalhar horas a fio: sua tese é uma fase da vida; o revisor tem vida além do trabalho, portanto, ele tem que respeitar horários e limites de trabalho.
O revisor de um texto científico pode dar conta de 30 a 60 laudas (1500 batidas – na nossa conta), o segundo número se o texto for de boa qualidade e exigir intervenção limitada, desde que ele trabalhe no Word (ou com outro processador de texto). No caso da correção meramente ortográfica, esses números dobram, se o texto já estiver limpo o suficiente e contiver apenas palavras, em processador de texto (não PDF); em papel, as quantidades já fogem a nossa experiência recente, não se revisam mais as teses em papel.
Com esses números em mente e sabendo o tamanho da tese, o autor pode estimar o tempo mínimo exigido pela revisão. Deve-se ter em mente que a combinação de revisão e formatação praticamente dobra o tempo necessário. Economizar tempo significa baixar a qualidade. Quanto mais tempo para leituras o revisor tiver, melhor o resultado.
Devemos ter cuidado com aqueles que prometem corrigir um texto em menos tempo do que o necessário em ritmo razoável de trabalho. Existem técnicas para ler mais rápido, mas, para a revisão de boa qualidade, não pode haver pressa, cabe atenção aos detalhes e concentração.
Se um revisor é solicitado a trabalhar nos fins de semana, ou em horários extraordinários – em virtude da premência de prazo – será aplicada uma sobretaxa ao serviço, como o faz qualquer outro trabalhador, e o serviço não será tão bem feito quanto aquele desempenhado em horário de rotina: os fins de semana costumam ser entrecortados por família e outras demandas.

Como escolher o revisor para a tese?

Muitos revisores foram treinados na prática, pois os poucos cursos disponíveis atualmente são recentes. A ausência de um título ou treinamento específico não torna, portanto, um revisor menos qualificado que outros que os possuem – desde que a formação específica tenha sido substituída por décadas de experiência. Por outro lado, nem os estudos de Letras nem o ensino de línguas fornecem ao revisor conhecimento ou prática específica.
Assim como em outros serviços, a escolha de um revisor profissional em vez de outro, muitas vezes, depende da intuição ou recomendação de outras pessoas. No entanto, algumas estratégias podem orientar essa escolha.
Você pode perguntar ao revisor sobre o trabalho já feito: se ele já revisou outras teses; confira o portfólio: revisores experientes costumam ter um, mesmo que não esteja muito atualizado, pode ser a melhor indicação de prática com o texto acadêmico.
É bem aceitável que um cliente peça ao revisor uma amostra de revisão, de como ele se comportaria com seu texto de sua tese. Por sua vez, o revisor usará este teste como base para o orçamento, uma vez que o grau de intervenção exigido pelo texto será analisado. A amostra não deve exceder duas páginas.
Ao analisar a amostra, o cliente pode decidir se o potencial revisor é confiável. Ele não pode, no entanto, esperar que o revisor forneça uma explicação detalhada de cada procedimento: ele certamente não faria isso com o encanador consertando o sistema de aquecimento.
O processo de revisão não envolve um diálogo permanente entre cliente e revisor. O revisor não vai se sentar com o autor, explicando cada intervenção. É por isso que é importante escolher um profissional que inspire confiança.

Existem revisores especializados em teses?

Um revisor profissional pode trabalhar em qualquer texto de registro médio. No entanto, alguns revisores não trabalham em textos de ficção, outros não estão familiarizados com a linguagem científica, outros ainda não dominam as tecnicalidades financeiras de um relatório contábil. Mas o revisor que se especializa em textos acadêmicos pode trabalhar com teses de qualquer área. Na realidade, o que importa para o revisor é o gênero do texto em que ele se especializa; teses e dissertações são um gênero bem definido e, normalmente, requerem revisores bem experientes nele.
Para revisar o texto de um manual popular sobre as florestas amazônicas, você pode não precisar de um revisor especialista em ecologia florestal, mas um que conheça um pouco de ecologia e seja capaz de estabelecer um critério para a revisão de nomes latinos das espécies pode ser mais interessante.
Para textos muito especializados, é melhor que o revisor tenha conhecimentos específicos sobre o assunto. Para um livro de matemática, portanto, você precisa de alguém que esteja familiarizado com os conceitos, linguagem e ortografia do assunto, familiaridade que ele pode não ter, por exemplo, com os da genética. Todavia, isso não é o mais importante. Se o revisor está familiarizado com o conteúdo da tese, é melhor. Mas prefira um revisor profissional, familiarizado com o gênero acadêmico, a quem conheça o assunto da tese e seja “bom em português” – isso não seria suficiente.
Além do assunto, existem outros fatores que tornam um revisor mais adequado do que outro. O texto pode ser formal, informal, literário, publicitário, científico, comercial, didático: o profissional também pode ser escolhido de acordo com sua especialização (narrativa, não ficção, divulgação, guias, manuais de instrução, textos escola, ciência), Para teses e dissertações recomendamos veementemente que o autor escolha um revisor com ampla experiência no gênero, ou uma agência especializada.
A Keimelion trabalha há mais de 20 anos com textos acadêmicos, nosso portfólio é sólido e as referências pessoais que podemos oferecer são incontáveis.

Posso confiar a tese a um revisor profissional?

Parabéns! Você já está decidido a contratar um revisor profissional para a tese! É uma decisão muito importante que demonstra a consideração que você, como autor, tem pelo seu texto, afinal ele é fruto de muito esforço e muito investimento. Para resumir, aqui estão os pontos mais importantes a serem considerados ao solicitar a revisão de sua tese ou dissertação.

Antes de atribuir o trabalho

  1. Indique o tamanho do texto, se possível, em caracteres com espaços (o Word faz essa conta para você).
  2. Especifique o tipo de revisão desejada ou quais aspectos devem ser melhorados.
  3. Informe o prazo de que você dispõe e tente compatibilizar com a necessidade do revisor e a agenda dele.
  4. Envie o texto completo ou um fragmento significativo, para uma amostra de revisão.
  5. Se você não enviar todo o texto, informe o número de ilustrações, tabelas, bibliografia ou quaisquer outros elementos que não consistam em texto simples.
  6. Para contratar a revisão
Confirme o orçamento, as condições de pagamento e os prazos de entrega.
Envie a tese o mais limpa possível, sem guias ou formatação aleatória, sem comentários do orientador, sem partes hachuradas, sem fragmentos de texto incompletos.
Se forem usadas partes itálicas, em negrito ou maiúsculas no texto para destacar, aponte-as para o revisor explicando a política aplicada.
Indique ao revisor quaisquer solicitações específicas: tom do texto, aspectos para não ser alterado, variações de linguagem regional, palavras a evitar, segmentos que não devam ser revisados.

Quando o autor recebe trabalho revisado

  1. Não espere que o revisor justifique todas as decisões e ações, uma a uma.
  2. Leia cada palavra mais uma vez: os autores são os últimos a abandonar o texto.
  3. Se o revisor ainda não enviou a fatura, solicite explicitamente.
  4. Se você está satisfeito, diga a todos que contou com a colaboração de um profissional correto que contribuiu para melhorar a tese.
  5. Atribua na tese os créditos do revisor. Isso não só é de direito, como mostra à banca e aos leitores o respeito que você tem por eles. No entanto, o revisor pode não querer aparecer se todas as suas correções e sugestões não foram aceitas.
Escrever um projeto, pesquisar, preparar textos para o exame de qualificação ou escrever a tese foi uma tarefa avassaladora. Nós que já passamos por isso com nossos próprios trabalhos sabemos disso. Nós que já colaboramos em várias centenas de teses conhecemos bem a situação.
O prédio foi construído até o telhado. Podemos esquecer o gesso? Ou se desinteressar se as janelas não fecharem? Usar azulejos mais ou menos elegantes não faz diferença?
Substantivos inadequados, verbos repetidos, preposições indevidamente usadas, advérbios inexpressivos, frases ambíguas, sintaxe deselegante, pontuação inadequada, erro de ortografia… Apenas os revisores profissionais cuidam de tudo isso com máxima eficiência. Assim como um edifício sólido merece os melhores acabamentos, o mesmo de dá em relação à tese: o autor e o leitor têm o direito recíproco de reivindicar o melhor revisor possível para o texto.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003).  O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas p…

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações.Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.
Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que o próprio editor de textos mais comum faz o …

Como escrever um texto acadêmico – aspectos gerais e específicos

Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação. Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.
Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem Tenha claro para si o tipo de texto que vai escrever e o público a que ele se destina. Ne…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

A escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Material e métodos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: a.Os leitores possam compreender e avaliar o experimento do trabalho e o tema da tese;
b.Outros pesquisadores possam utilizar o estudo independente para verificar os resultados do mesmo ou de outros contextos e produções. Algumas dicas úteis para escrita da fase “material e métodos” são descritas a seguir:
1)Mencionar a data e o local onde foi realizada a prova experimental, especificando as coordenadas geográficas e/ou as características físicas e biológicas relevantes.
2)Descrever o plano experimental, incluindo os tratamentos aplicados, o número de repetições, a unidade experimenta…

Quatorze dicas para a hora de defender a tese

Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho. Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. 1) Conheça antecipadamente o material disponí…