Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Conceitos específicos de nossa revisão de textos

Conceitos não são rótulos ou nomes que damos às coisas, eles produzem uma orientação, uma nova direção para o pensamento. Assim, não podemos dizer que criar conceitos consiste apenas na invenção de uma nova palavra, mas sim na criação de uma nova forma de pensar. Qualquer conceito é formado por uma multiplicidade de elementos,. com Com o conceito de revisão não é diferente. Considerando que aqui estamos trabalhando com os conceitos de multidisciplinaridade e multimodalidade, estamos pela senda da diversidade e, sempre, da complexidade. Também estamos integrando neste complexo multiconceitual, na verdade um cipoal de termos, o conceito de multiescrita – um neologismo de origem inglesa (multi-script), uma junção do antepositivo multi-, cujo significado é o de algo numeroso, e escrita, cuja acepção, nesse, caso é de conjunto de signos que representa textualmente uma linguagem.

Nossas tipologias da revisão de textos

Revisão cooperativa Há situações de escrita nas quais o processo de cooperação entre autor e revisor não é completamente dominado, por exemplo, nas instituições de ensino superior. A revisão cooperativa (ou colaborativa), a revisão do texto com a completa interação entre escritor e revisor, cria a situação de comunicação em que podem surgir pedidos de esclarecimento, com imediata resposta à demanda. Estamos falando de revisão de textos completamente integrada a reescrita autoral. Não estamos falando tão somente de cooperação no sentido co-laborativo, fazer junto, laborar junto; estamos estendendo e ampliando o sentido de revisão cooperativa também no sentido da cooperação linguística, o princípio geral que dá conta da cooperação entre sujeitos em situação comunicacional. Assim, partimos dos axiomas linguísticos (existência, identidade e identificação) e alcançamos os recursos de programa e mídias compartilhados que permitem a vinculação semântica sincrônica e abordagens de acordo com…

O plágio, a mais comum das fraudes acadêmicas

O plágio é apenas um dos tipos de fraude acadêmica, talvez o mais comum e, certamente, o único em que o autor possa incorrer por desaviso. Além do plágio, existem a contrafação de trabalhos (encomendar a alguém), a fraude documental, fraudes em concursos, e uma série de outras.
O plágio sempre fez parte do mundo acadêmico, mas sua prevalência – no sentido epidemiológico – tem se tornado alarmante. O plágio segue como tipo de fraude acadêmica mais comum. Sobre este assunto, já há literatura bem vasta, com as mais distintas abordagens: a da ciência da informação e comunicação científica (procurando inclusive criar programas e algoritmos para coibir a prática), a do direito de propriedade intelectual (e direito penal – ainda no sentido da coerção), abordagens da psicologia do comportamento de desvio, da ética profissional, dos meios administrativos e didáticos propostos por diversas entidades para detectar os plágios. Podem-se consultar pela internet incontáveis documentos sobre plágio …

Pré-texto do trabalho acadêmico: da capa ao sumário

Sempre nos impressionam a dificuldade e os questionamentos que os estudantes encontram no que se refere às capas de seus trabalhos escolares. Não se trata de uma questão de fundo, de questão complicada ou questionamento estético - mas de mero cumprimento a um procedimento lógico e absolutamente corriqueiro, entretanto, dentre as centenas de postagens deste blog, é o tópico que mais aporta visitantes a nosso texto. Aqui eu vou tecer comentários quanto a visitação e quanto ao significado que ele pode ter. Só para se ter ideia de quanto o tema das capas desperta interesse, aqui vão alguns números: atualmente este blog está com pouco mais de 1.200.000 visitas, os dois títulos acima representam mais de 300.000 visitas. Muito obrigado a todos os visitantes: espero que tenhamos podido esclarecer suas dúvidas e contribuir, a nosso modo, com todos vocês. Mas há aqui mais de 300 postagens, a maioria bem mais relevante que as referentes às capas! Ainda demonstrando a importância do tema para os es…

Tipologia de revisões de textos

Revisão e preparação Muitos revisores de textos, principalmente aqueles que trabalham para editoras, fazem a distinção entre revisão e preparação. De modo geral, nesse contexto, compreende-se revisão de texto como fazer as correções ortográficas e sintáticas no documento e, em alguns casos, aplicar-lhe as normas editoriais; a preparação do texto já é entendida como interferência mais densa, implicando cortes e inversões estruturais, modificações de critérios e tratamentos ao longo de todo o trabalho. Observe-se que o limite entre a revisão e a preparação de texto nunca é muito bem definido. O que para uns é para ser feito na preparação, para outros se inclui na revisão. Nós não fazemos esse tipo de distinção. Entendemos a revisão de textos, idealmente, como todo o conjunto de interferências necessário à aproximação máxima do texto perfeito. Texto perfeito, para nós, não é apenas aquele sem erro, mas o que alcança a plenitude de sua função comunicativa. Claro que sabemos que o texto p…