Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

O papel da revisão de textos acadêmicos: abordagem cultural

O trabalho científico consiste de duas partes heterogêneas: a investigação (pesquisa) e a comunicação (publicação). As duas são pertencentes a diferentes sistemas cognitivos e semióticos da língua viva, que inclui ruído, texto e também elementos multi e intertextuais (imagens, movimentos, gráficos, animações, personagens, paisagem, atmosfera, efeitos). Quanto à parte verbal, que é o tema do nosso interesse, em si, também não é homogênea. Existem duas formas bem distintas de comunicação verbal: escrita (texto, artigo, comunicação, tese) e oral (aulas, palestras, colóquios, defesas, debates). Em um trabalho científico, esses componentes são organizados de maneira a constituir um conjunto de elementos inseparáveis. Como o revisor só pode intervir na componente linguística, deixando inalteráveis as informações contidas na parte não-verbal, alguns pesquisadores preferem destacar texto escrito como o principal objeto do estudo e ação do revisor, o que atualmente pode ser questionado, em te…

Intercessores na revisão de textos

Intercessor é o que ou aquele que intercede – medianeiro (mediador), no sentido literal estrito, o conceito de revisor é perfeitamente assimilável e compatível. O ponto de vista etimológico (latim: intercéssor, óris “o que faz oposição” – o antagonista), é completamente contrário ao conceito que temos de revisor – completo es-vaziamento semântico, paradoxal inversão de sentidos. Curiosamente, no sentido do catecismo católico, intercessores são os que intermedeiam favores; afastada a ideia de favorecimento gratuito, tal noção de intermediação também nos interessa. O conceito de Intercessores, do qual haurimos as ideias que apresentaremos, é uma construção de Deleuze[1]  que, com alguma liberdade, aplicamos a nosso objeto. Como ele mesmo argumenta, os conceitos são movimentos que são constituí-dos a partir de encontros e problemas e são eles que forçam o pensamento a pensar. Ainda segundo Deleuze, filosofar é como passear com um saco e, ao encontrar alguma coisa que sirva, pegar: encon…

Interpretar e revisar textos

À primeira vista, parecem simples as questões entre a revisão de textos e a interpretação deles, mas há muito a ser pensado nesse trâmite. Uma comparação das definições de “revisar texto” e “revisão de textos” seria útil; existem algumas diferenças, mas escolhemos “revisar”: parece menos frio, menos reificado que a “revisão”; mas também usamos “revisão”, sem muitos limites.[1] Esta pequena reflexão e síntese é difícil, porque há uma série de critérios e, portanto, diferentes tipos possíveis de revisão e de interpretação – tanto de interpretação do que é revisão quanto do papel da interpretação na revisão; a reflexão é menos específica que as partes inerentes específicas, a reflexão é inespecífica, no que ela tem de genérico, por óbvio. Vou começar pelos significados que considero como periféricos (embora alguns deles, com a tecnologia, possam bem se tornar centrais, senão hegemônicos). Revisar é transformar um texto do estado original, a outro estado, equivalente em termos de objeto …

Relações entre teoria do discurso e revisão de texto acadêmico

Revisar tem sentido se a meta é a textualidade.Linearidade, hipertextualidade, intertextualidade, metaforização e fractalidade: relações mútuas entre discurso e revisão de texto acadêmico [i]Vamos discutir algumas relações recíprocas e parâmetros de linearidade, hipertextualidade, intertextualidade, metaforização e fractalidade, em termos de modelos cognitivos encontrados no discurso acadêmico e na revisão de textos que se lhe aplica. Para melhor generalizar esses parâmetros: compreendemos modelo cognitivo como estrutura mental multidimensional, multiuso, baseada na representação de fenômeno do universo, representação processada por ação mútua de lóbulos do cérebro durante a percepção e a geração de informações. A linearidade é o parâmetro físico que permite expressar o desenvolvimento do discurso em tempo cronológico no espaço físico de uma página de texto. Nesse caso, podemos aplicar o termo texto, especialmente quando se trata do preenchimento linear de espaço entre as margens por es…

Revisão de textos: prática e teoria

Estamos preparando um livro teórico-prático sobre revisão de textos.Nesta postagem, estamos apresentando tópicos de nosso trabalho que exploram o processo de revisão como integrante da edição do texto, explorando as considerações que devem permear as decisões do revisor durante seu trabalho. Os textos a seguir levam o leitor a refletir sobre o dinamismo da atividade de revisão, que caminha entre a precisão gramatico-linguística que o texto exige, e a maleabilidade necessária para preservar a essência e alteridade do que está sendo revisado. Propedêutica da revisão de textosQuando se tenta definir a revisão listando todas as tarefas da disciplina: melhorar a terminologia, clarear passagens, melhorar as construções, ajustar a carga emocional do texto original para a especificidade do leitor ou do gênero, garantir a coerência em diversos aspectos e diferentes níveis textuais, assegurar ortografia, gramática e registro, consistência de gênero, fica bem clara a distinção entre a correção e …

Revisão de textos: teoria e prática

Lançaremos livros sobre revisão de textos.Esperamos que as obras venham à luz em 2021! Apresentamos a seguir um apanhado geral do conteúdo de nosso trabalho. Boa parte do texto é originário deste blog, mas tudo terá sido reescrito, passará por revisões cruzadas entre os autores e virá anotado com fontes e bases teóricas bem documentadas! Conceitos gerais e múltiplas definiçõesFica posto que nossa pretensão será estabelecer um diálogo entre pares, de revisor para revisor. Seja a lição do revisor mais experiente para o menos calejado, ou o contrário disso – os autores somos um bem jovem e outro um tantinho maduro – a proposta será sempre a da troca de informações, pois todos temos a aprender uns com os outros. Esperamos que, dos comentários, críticas e dos equívocos nesta obra, que nos forem apresentados por nossos pares, também possamos tirar muito proveito. Certamente, já temos nossa parcela de proveito com a ordenação de ideias que a organização dos tópicos e a redação aqui proporcion…

Diretrizes da Comissão de Integridade de Pesquisa do CNPq

O autor deve sempre dar crédito a todas as fontes que fundamentam diretamente seu trabalho.Toda citação in verbis de outro autor deve ser colocada entre aspas.Quando se resume um texto alheio, o autor deve procurar reproduzir o significado exato das ideias ou fatos apresentados pelo autor original, que deve ser citado.Quando em dúvida se um conceito ou fato é de conhecimento comum, não se deve deixar de fazer as citações adequadas.Quando se submete um manuscrito para publicação contendo informações, conclusões ou dados que já foram disseminados de forma significativa (p.ex. apresentado em conferência, divulgado na internet), o autor deve indicar claramente aos editores e leitores a existência da divulgação prévia da informação.Se os resultados de um estudo único complexo podem ser apresentados como um todo coesivo, não é considerado ético que eles sejam fragmentados em manuscritos individuais.Para evitar qualquer caracterização de autoplágio, o uso de textos e trabalhos anter…