Pular para o conteúdo principal

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira

Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações!

Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos. 
O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas.
Escolher bem o título pode ser relevante para que o artigo seja publicado.
Nunca despreze a importância do título.
Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos relevantes e, por meio de pesquisa, apurando títulos de trabalhos semelhantes e tentando identificar o seu dentre eles. 

O título deve ter as seguintes características: 

  • Ser atraente, para que descreva o conteúdo do artigo de forma específica, clara, precisa, breve e concisa. 
  • Ativar a atenção do leitor a identificar o problema central do trabalho facilmente. 

Existem vários tipos de erros a serem evitados nessa etapa, os mais frequentes são: 

  • Erros de concisão: não obter brevidade ao expressar os conceitos, impedindo o título de passar uma mensagem precisa e com o menor número de palavras possível. 
  • Muito longo: títulos com muitas palavras não são atraentes. Fique atento ao tamanho do título, que deve expressar uma totalidade por meio de poucos termos. 
  • Muito curto (não diz muita coisa e nem orienta), ou seja, inespecífico. 
  • Preposições ou artigos em excesso. 
  • Erros de clareza, ambiguidade ou palavras vagas. 
  • Vocabulário não acessível aos leitores (linguagem excessivamente técnica). 
  • Uso de terminologias incomuns ou antigas, dificultando o entendimento. 
  • Uso de abreviaturas, fórmulas químicas, neologismos. 
  • Títulos interrogativos que geralmente tornam-se ininteligíveis e, por isso, não são indicados. 
O autor tem três chances para escolher, modificar, alterar o título do artigo: antes de iniciar o trabalho; no decurso da escrita; no final da redação do artigo, e se depois destas três chances não for alcançado um bom título, talvez o seu artigo tenha poucos leitores e não se destacará. Exite uma chance extra: contar com um bom revisor de textos que sugira sobre esta importante parte do trabalho! 

Os exemplos mais comuns de títulos são: 

  • "Estudo sobre..."
  • "Relatório..."
  • "A investigação sobre..."
  • "Contribuição para..."
  • "Os resultados de um estudo sobre..."
  • "A análise dos resultados..."
"Estudo" é a palavra mais utilizada nos títulos de trabalhos acadêmicos. Sua frequência é tamanha que não é recomendado seu uso para título de artigos científicos. Estudo é uma palavra excessivamente genérica e não ajuda em nada na descrição de um trabalho.
Além disso, uma versão abreviada do título pode ser solicitada pelas revistas devido à limitação de espaço. O título principal aparece geralmente no canto superior esquerdo das páginas e o título consecutivo na parte superior direita. Alguns periódicos indicam instruções para o autor, como o número máximo de caracteres para esse segundo e menor título, que geralmente não deve exceder 40 letras. 
E mais: lembre-se de que, quando você apontar as "palavras-chave" em seu artigo, pelo menos duas ou três delas devem estar presentes no título do trabalho. 
Em congressos e conferências científicas, o livreto de atividades do programa que é entregue ao público merece também atenção. Se você parar para analisar os títulos, pode perceber uma série de títulos incorretos, incompreensíveis ou desnecessários, o que faz com que muitos dos participantes não cheguem a assistir a apresentação oral do trabalho, mesmo podendo ser interessante e útil. 
Recomenda-se, especialmente aos novos escritores, em caso de dúvida sobre a escolha do título, que consultem um profissional de revisão capacitado, verifiquem e analisem palavra por palavra usada nos títulos e procurem obter o máximo de exatidão segundo aos padrões exigidos pelas instituições científicas. É primordial também se atentar à sintaxe, pois a maioria dos erros gramaticais em títulos são encontrados na ordem das palavras. 

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação.O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo.A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). O que é um resumo?O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá. O resumo …

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na KeimelionOs estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que…

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H!Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato.Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. É necessá…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

Tese e dissertação são textos logos do gênero acadêmicoAs partes das teses e dissertações pode constituir subgêneros específicosA escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Assim, a introdução pode ter, por exemplo, uma passagem mais pessoal, que relate a ligação do autor com a temática, e partes que analisem discursos de sujeitos entrevistados podem requerer transcrições literais - segmentos repletos de oralidade, o que não é admitido em outros trechos no gênero acadêmico. Já os resumos, são outro tópico, e merecem uma postagem só para eles. Material e métodos: descrever equipamentos e procedimentos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: Os leitores possam compreender e avaliar o experim…

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância?Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações?Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português?Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem, mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno, da UnB, John Robert Schmitz, da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco, da UFPR.  (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimologia e da ignorância…