Pular para o conteúdo principal

Os segredos da revisão linguística finalmente revelados!

Os revisores de textos são perfeccionistas? 

Sim, eles são! Alguns diriam que o perfeccionismo é algo ruim, mas – para o escritor e revisor – é qualidade necessária.

Revisores atuam em todo tipo de texto. Nos somos especialistas em textos científicos.

A formatação profissional agrega qualidade.


Os profissionais de revisão
trabalham nas sombras, para corrigir, para enriquecer e aperfeiçoar os textos, de todos os gêneros e todas as áreas de conhecimento. Graças revisores profissionais, os escritos perdem seus erros e ganham em estilo! Estilo não é tudo, mas nada é sem estilo! Hoje, a profissão de revisor felizmente é mais conhecida. Revisão de texto é agora integrante do processo de publicação de textos, sejam teses, dissertações, monografias, artigos científicos, manuscritos literários, relatórios, sites, panfletos. Muitos compreenderam que textos claros e sem falhas agregam credibilidade a qualquer organização, a qualquer conhecimento, a toda mensagem.

O papel do revisor de textos

O trabalho do profissional da revisão é melhorar e corrigir texto, colocá-lo em boa ordem para garantir a qualidade formal da língua e a eficácia da comunicação. Assim, seu papel é eliminar cada erro e atribuir mais clareza à mensagem que o autor deseja transmitir.
Seja empregado ou autônomo, o revisor pode colaborar na produção de documentos, como ocorre em diversos ambientes em que textos são produzidos, como governos, empresas privadas, editoras (livro ou revista), escritórios comunicações, agências de instituições de ensino ou organizações não-lucrativas, universidades e instituições de pesquisa. Em suma, qualquer organização ou pessoa que deseje dar a público escritos de qualidade em sua língua tem a vantagem de contar com o conhecimento e a colaboração de uma revisão profissional.
Por quê? Em primeiro lugar, porque o revisor lança um olhar novo sobre um projeto de escrita. Ele tem conhecimento profundo da língua e suas dificuldades. Além disso, ele tem a formação e experiência que lhe permitem fazer análise técnica do texto sob diversos prismas e, finalmente, ele sabe os problemas que o texto pode conter. E mais, o revisor detém algo que ninguém mais dentre as pessoas envolvidas no projeto tem: alteridade – vale dizer, ele é outro, ela lerá o texto sem estar contaminado pelo contínuo procedimento de sua elaboração ou pelas discussões que circundaram a redação do trabalho. Em síntese: o profissional de revisão conhece de texto, mas desconhece aquele texto em que ele vai contribuir.

O método da revisão de textos

De acordo com o mandato que lhe foi confiado, o revisor fará uma primeira leitura, a fim de compreender a essência do texto e do objetivo dele. Uma segunda leitura lhe permitirá detectar erros gramaticais ou estrutura. O próximo passo será a correção apropriada e a reescrita de certas passagens, quando necessário. Mas não são só esses três passos e eles, na prática, não são assim tão distintos, mesmo que ocorram sempre.
Um bom revisor compreende as nuances do texto e respeita o estilo do autor ao ajudar a corrigir as deficiências textuais. Sempre que seu olho bate sobre uma palavra ou uma passagem, ele para, automaticamente, e faz as necessárias verificações que necessárias (em papel ou por meios eletrônicos) para refutar ou confirmar dúvidas – sim, o revisor tem dúvidas, e ele sabe onde estão as dúvidas e onde saná-las. Muitas questões linguísticas não têm respostas absolutas, não se trata de uma ciência exata; frequentemente, o revisor recorre a seus pares em consulta, questionamento e discussão sobre questões ambíguas, complexas ou polêmicas de aspectos da língua e do texto que jamais ocorrem aos autores.

As qualidades inerentes ao revisor de textos

Alguns podem argumentar que o perfeccionismo seja um defeito desagradável, mas, para um revisor, buscar a perfeição é, ao contrário, qualidade altamente desejável. O perfeccionismo requer ir ao fundo das coisas, demanda verificação e correções essenciais o enriquecimento de um texto. Revisores nascem ou se tornam perfeccionistas – para o bem e para o mal.
Naturalmente, os revisores de textos têm também excelente domínio da língua, principalmente no que tange à língua escrita; os profissionais de revisão mais procurados têm certas qualidades muito apreciadas pelo empregador ou por seus clientes. Por exemplo, eles têm:
  • compreensão dos objetivos de comunicação – todo texto tem uma mensagem, tem um destinatário e deve atender a determinadas aspirações de seu autor – cabe ao revisor auditar e aperfeiçoar todo este processo e contribuir em sua melhoria;
  • habilidade para justificar suas correções – o revisor de textos não faz nenhuma interferência no produto original sem ser capaz de justificar, com argumentos linguísticos técnicos, a necessidade ou a recomendação para aquela modificação;
  • sentido de diplomacia – revisores não formulam juízos de valor sobre os textos que lhe são submetidos, não fazem crítica literária nem julgam o conteúdo dos textos, as leituras requeridas para tais fins são distintas das que o profissional de revisão procede;
  • ritmo de trabalho acelerado – não adianta ser absolutamente atento e totalmente coerente em propostas sobre o texto se, para chegar a elas, for necessário muito tempo: revisão é sempre serviço de última hora e os bons revisores aprendem a lidar com o tempo – ou contra ele;
  • preocupação com trabalho bem feito – não se admite displicência em um revisor, cada capítulo, cada frase, cada palavra merece toda a atenção – bem como o conjunto de todo o texto, não há prioridade ao conjunto ou às partes, tudo deve estar articulado e coerente;
  • boa cultura geral – os revisores acabam sendo os maiores generalistas, com conhecimentos dispersos e fragmentados em todas as áreas de conhecimento em que atuam – claro que ele nunca saberá tudo dos textos que revisou – sendo impossível que não sobre alguma informação residual a cada leitura;
  • bom senso e curiosidade saudável – bom senso seria recomendação para todos os profissionais, mas aqui conjuga-se o senso e a curiosidade, pois cabe ao revisor indagar, pesquisar e aprender sobre toda questão de destaque nos textos em que trabalhar, já que os pontos chave de qualquer escrito devem ser apreendidos por qualquer leitor.
A humildade, muitas vezes, completa o quadro de qualificações, porque o trabalho realizado pelo revisor costuma passar despercebido! Felizmente, o revisor de textos trabalha para melhorar qualquer tipo de escritos, em grande parte porque ele ama a língua... e a perfeição na comunicação! Os revisores trabalham discretamente, muitas vezes solitariamente. Só quem conhecer revisores são os outros revisores. Seus nomes são raramente mencionados. Eles são os intérpretes invisíveis que traduzem seus pensamentos, que adornam seus escritos e entram na mente das pessoas. Escolher as palavras certas formuladas na melhor forma possível é uma arte dominada por profissionais da revisão, porque aí reside sua paixão.
Share on Tumblr

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

A escrita acadêmica como requisito principal para a boa formação

O texto acadêmico é um gênero muito específico. O suporte para formação acadêmica é, boa parte, o texto. São textos em que as informações são assimiladas e textos produzidos para demonstrar o conhecimento apreendido ou produzido. Quando se fala em produção científica , os primeiros critérios que vêm à cabeça são a quantidade e a qualidade de artigos produzidos. O conceito de qualidade, no entanto, geralmente leva em consideração apenas o fator de impacto dos trabalhos, a quantidade de vezes que são citados por outros cientistas. Mas outro tipo de qualidade vem sendo buscada pelos pesquisadores, inclusive para conquistar o fator de impacto: a qualidade textual, que depende do bom preparo e bagagem do aluno universitário, que permite a ele produzir trabalhos universitários com excelência, qualidade pode ser obtida mais facilmente ao se apoiar em uma minuciosa revisão do texto feita por um revisor profissional . A produção de textos é processo contínuo de realimentação e do qual a revis

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo? Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada? Claro, qualquer autor deseja isso! Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos , que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem: Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA. Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certame

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva

Letramento acadêmico – (re)aprender a (re)escrever na universidade

Escreve-se mal e pior na universidade. A opinião corrente é que os padrões de “alfabetização” do estudante estão caindo inclusive no ensino superior: muitos docentes afirmam que os alunos já não podem escrever . A aprendizagem no ensino superior envolve a adaptação a novas formas de saber: novas formas de compreender, interpretar e organizar o conhecimento. A alfabetização acadêmica – aquisição de práticas de leitura e escrita dentro de disciplinas, voltadas para elas – constitui-se de processos pelos quais os alunos aprendem novos temas e desenvolvem seus conhecimentos sobre novas áreas de estudo. Uma abordagem de práticas de alfabetização leva em conta o componente cultural e contextual da escrita e as práticas de leitura, e tem, por sua vez, implicações importantes para a compreensão da aprendizagem do aluno. Há incontáveis vozes e discursos que produzem ruído nos textos acadêmicos. Os revisores estão familiarizados com esses tipos de problemas e tentam emprestar suas soluções, se