Pular para o conteúdo principal

Vantagens e desvantagens da profissão de revisor de textos

A profissão de revisor não é uma ocupação tradicional. Até o século passado, era quase desconhecido e, mesmo hoje em dia, poucas pessoas sabem que um revisor de textos.

Uma das desvantagens do ofício de revisar textos são as inúmeros horas sentado.

A profissão de revisar textos oferece para aqueles que têm extensa formação em letras e ciências humanas a oportunidade de lucrar com seus conhecimentos. Encorajamos os revisores a ler avidamente e exercer o pensamento crítico, pois o conhecimento que resulta do hábito de leitura e das muitas obras lidas é necessário, imprescindível para revisar textos tanto em matéria de letras e ciências humanas ou os textos de carácter mais técnico. Revisores nunca pararam de aprender.
Os revisores podem se especializar em algum campo de conhecimento, ou algum gênero textual específico, segundo sua preferência ou optar por mais variedade, maior diversidade pode gerar mais trabalho. Editoras publicam documentos em um número infinito de assuntos – todos eles requerem revisão.
A variedade de assuntos e gêneros requer a multiplicidade de talentos. Revisores que fazem parte de uma equipe de produção também podem trabalhar de forma colaborativa com os autores, designers e pessoas de diferentes áreas. Isso pode ser desafiador e ser uma boa maneira de familiarizar-se com outros aspectos da edição.
Além disso, após o período de formação, o revisor deve exercer o ofício praticamente sem supervisão. Editores confiam na opinião de seus críticos e revisores e, assim que eles tomam conhecimento das regras básicas e o estilo casa, são encorajados a exercer seu próprio julgamento. O estilo de casa são as preferências estilísticas do editor ou do revisor sênior no que diz respeito a ortografia, a escolha de palavras, o uso de letras maiúsculas, muitos aspectos que não são alcançados pela gramática ou pelas normas aplicáveis.
No entanto, como com qualquer outra profissão, a revisão também tem desvantagens. Os revisores são constantemente confrontados com a dura realidade do tempo. A edição é uma indústria complexa. Um texto pode ser sempre de última hora, muitas vezes se requer trabalho à noite ou durante o fim de semana e revisores, bem como os demais envolvidos na produção de um documento ou obra, muitas vezes se tem que trabalhar horas extras – isso pode resultar em custo extra para o cliente da revisão, claro, e mais receita para o revisor, mas requer dele a respectiva disponibilidade.
Outra fonte de estresse, muito frequente entre os revisores de manuscritos, vem que este trabalho requer uma perfeição tendente a absoluta. Uma vez que o documento seja impresso, erros tipográficos, gramaticais ou factuais, desde os mínimos até os mais grosseiros, emergem com clareza e brilho. As diretivas que não correspondem aos exemplos citados, as colunas incorretas das figuras, referências de páginas imprecisas, muitas vezes passam despercebidas até o lançamento do produto final. Os revisores têm pesadelos com esses problemas! Por isso, sempre que possível, um texto passa por múltiplas revisões e por diversos revisores. A tentativa será sempre minimizar os problemas e falhas – mas, sempre sobrará algo: não existe revisão perfeita.
Alguns autores aceitam mal a necessidade da revisão em seus textos. Eles preferem ir ao dentista a precisar de um revisor! Então, essa desconfiança pode às vezes resultar em queixas, justificadas ou não.
Finalmente: um bom trabalho de revisão é quase invisível. Então, para quem gosta de estar no centro das atenções, carreira de revisor de textos provavelmente não seja boa.
Apesar destas deficiências, essa ocupação pode ser gratificante. Para aqueles que amam escrever e que têm capacidades críticas a pensamento autônomo, a revisão oferece uma ótima oportunidade para exercer uma atividade relacionada à língua e trabalhar com outras pessoas que compartilhem a mesma paixão.

Estudos e formação para revisor

Mesmo que a maioria dos revisores tenha um grau acadêmico, às vezes parece não haver nenhuma conexão entre o curso (ou área de estudos) e as suas competências profissionais. Alguns começaram sua carreira logo após o final de seus estudos; outros trabalharam primeiro em uma área completamente diferente.
A maioria dos empregadores presta mais atenção à experiência e reputação do que qualquer outra referência. Então, se você pretende fazer uma carreira nesta área, comece oferecendo seus serviços para as organizações em sua comunidade (boletins, revistas ou folhetos). Assim, você terá a oportunidade de ver como funciona o ofício; teste suas habilidades e seus interesses; adquirir experiência é o que se deve fazer durante seus primeiros anos de trabalho no ramo.
Computadores desempenham um papel importante na edição e revisão de textos. Familiarizar-se com um ou mais sistemas, com programas de processamento de texto diferentes, aumentará sua versatilidade. Para obras que vêm de empresas ou que sejam de natureza técnica, habilidades em layout de página e gráficos de computador será igualmente útil. Além disso, a tela do computador agora é o meio de comunicação escrita por excelência, com suas próprias regras e requisitos para edição.
Se você quer saber as várias opções relativas à formação de revisores, fique ciente de que a maioria dos empregadores não oferecem nenhum treinamento em si, e há apenas algumas organizações e instituições educacionais que oferecem cursos neste campo. Claro, o curso nunca irá substituir a experiência, mas eles podem se tornar familiares com certos aspectos do trabalho.
Existem também inúmeros cursos livres e de pós-graduação em revisão de textos; eles têm focos variados e, claro, podem representar um acréscimo qualitativo ao profissional. Mas eles ainda são um pouco novos no mercado e não substituem, de modo nenhum, as indicações que demos aqui. 
Quem deseja se comunicar será ouvido ou lido muito melhor e incomparavelmente mais bem compreendido se sua comunicação for apresentada de forma agradável. Expressar um pensamento profundo, brilhante, mas com palavras que colidem, sílabas que se chocam, dissonância que irrompem em cacofonias, faz os espíritos se fecharem, o pensamento vai encontrar barreiras psicológicas e intelectuais. Ao se dizer a mesma coisa, mas com elegância e harmonia, quer se queira, quer não, as pessoas ouvirão, lerão melhor, as inteligências vão se abrir, vai-se despertar simpatia do leitor ou ouvinte, e o indiferente ou mais refratário interlocutor será captado, com melhor probabilidade de convencimento, ou, pelo menos fazendo-o escutar – o que é o primeiro passo e o mais importante para a comunicação. Nesse processo de entendimento, o revisor é o grande facilitador, ao tornar o texto mais fluente e enxuto, com menos ruídos de erros ou lapsos.
Share on Tumblr

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo? Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada? Claro, qualquer autor deseja isso! Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos , que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem: Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA. Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certame

Texto como construção complexa

Quanto mais longo o texto, mais complexo ele é; por isso, as teses e dissertações requerem a contribuição do revisor de textos no aperfeiçoamento de sua forma e legibilidade. Do ponto de vista cognitivo, escrever é atividade humana de grande complexidade, mais que jogar xadrez. Revisar o texto também é atividade composta por uma série de procedimentos terrivelmente complexos, bem mais que dar palpite na partida de xadrez dos outros! Pesquisadores de diferentes áreas – principalmente psicolinguística – estão interessados nos subprocessos da textualização (produção escrita com textualidade). Antes de mostrar o que propicia a textualização e a possibilidade de contribuição do revisor na construção de textos longos (as teses e dissertações estão dentre os textos mais complexos), vamos apresentar os níveis de organização do texto, depois expor a teoria de recursos, teoria para entender certas dificuldades com a escrita, inclusive as presentes em estudantes de pós-graduação. O papel

Como escrever uma tese em dez passos

Dica mais básica: evitar procrastinação .  Por que escrever uma tese ou dissertação costuma ser tão frustrante? Aprender a escrever um texto longo não tem que envolver tanta tentativa e erro. Aprender a escrever uma tese pode ser um processo irritante, enlouquecedor, frustrante, mas não tem que ser um processo assim tão insidioso. Não creio que nenhuma dica possa tornar a tese divertida; mas, pelo menos, pode-se tentar fazer que a redação não seja uma camisa de força... Abaixo estão breves dez passos para escrever a dissertação ou tese. Essa lista de sugestões de como escrever a tese pode ser vista em sequência, como se passando por dez etapas sucessivas no processo de redação, ou pode ser explorada por tópico individual. Planejamento e continuidade são duas chaves para escrever textos longos. 1- Pesquise muito antes de começar a escrever Inicie o processo de redação, pesquisando o tema, tornando-se um especialista. Utilize a internet, as bases de dados acadêmicas e a bibliot

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva