Pular para o conteúdo principal

A revisão de texto como carreira

Poucas pessoas decidem se tornar revisores de textos profissionais por vocação. Na maioria das vezes, é a profissão da revisão que escolhe a pessoa.

Em certo sentido, todo mundo já fez revisão, seja o autor que reescreve no seu manuscrito, o palestrante que para no meio de uma frase para encontrar a palavra ou a expressão mais adequada, o diretor de uma firma que altera os termos de um contrato, ou até mesmo o secretário que esclarece uma frase de um texto que o chefe ditou. Os autores de teses e dissertações reescrevem o tempo todo parágrafos e capítulos de seus trabalhos, fazem paráfrases e adaptações textuais – e tudo isso não deixa de ser revisão.
Revisão é uma constante na produção textual.
Uma palavra mal escolhida,
um adjetivo desnecessário,
uma frase banal são como
pedras no caminho do leitor.
Mas revisão também é profissão altamente especializada, cujo único objetivo é melhorar a qualidade de comunicação. O trabalho da maioria dos revisores centra-se sobre o texto, mas alguns se ocupam de ilustrações, design gráfico, produção ou gerenciamento editorial.
A maioria dos revisores escolhe essa profissão por estar interessados sobretudo na língua. São pessoas que não podem corrigir os erros tipográficos que encontram em tudo, livros e anúncios, placas e cardápios. Há também os erros cometidos no rádio ou por jornalistas de televisão. E quando elas descobrem que as ilustrações não correspondem ao texto, querem sumir! Um argumento coxo ou ilógico, ou utilização enganosa das estatísticas ofendem essas pessoas. Elas se sentem compelidas a restabelecer a ordem onde reina o caos, para criar harmonia e coerência.
Você se reconhece como uma pessoa assim? Você pode ter as qualidades de um revisor. Mas isso não é suficiente...
O revisor deve satisfazer tanto os leitores acadêmicos quanto os neófitos. A linguagem, o conteúdo e a apresentação devem ser suficientemente precisas para satisfazer o mais especializado leitor, claras o suficiente para permanecer acessível mesmo para novatos e interessantes a ponto de atrair e reter a atenção de todas pessoas. Isto requer um grande número de qualificações por parte do revisor:
  • Facilidade para a linguagem e amor pelos textos.
  • Excelentes habilidades em gramática, ortografia redação e composição.
  • Treinamento técnico especializado e aprendizagem linguística permanente.
  • Capacidade de trabalhar em equipe.
  • Capacidade de trabalhar de forma independente e tomar decisões controladas.
  • Excelente memória e acuidade para detalhes.
  • Capacidade instintiva de reconhecer estruturas, criar categorias e classificar ideias.
  • Propensão a questionar as suposições, teorias e dados.
  • Facilidade de identificar o que está faltando para o conteúdo de um texto, uma discussão ou apresentação.
  • Capacidade de sugerir no que está faltando em um documento é também importante.
  • Finalmente, o revisor de textos é pessoa que pensa. Nenhum projeto poderá ser revisado despreocupada ou mecanicamente. O revisor deve substituir o autor, o leitor, o orientador e o editor simultaneamente - sem passar por cima de nenhum deles em particular.

Como é o trabalho de revisão de textos?

Os revisores, empregados ou autônomos, executam grande variedade de tarefas, para as editoras de livros e revistas, o governo, empresas, associações e universidades, bem como para muitos outros grupos e indivíduos. Alguns revisores também trabalham para jornais, cinema, televisão, rádio, telecomunicações, vídeo, etc., mas estas tarefas não serão descritas aqui.
Nós, da Keimelion, somos revisores especializados em revisão de teses e dissertações; nossos clientes são, principalmente os autores desses trabalhos, mas, ocasionalmente, as instituições que têm cursos de pós-graduação também nos contratam para revisar os escritos de seus alunos. Essa nossa especialização não nos impede de revisar uma grande variedade de outros tipos de textos técnicos e também literatura e poesia, mesmo não sendo nosso foco
A profissão de revisor para livros e revistas deu à luz a especialidades, tais como agentes literários e de desenvolvimento de projetos, designers gráficos, editores de texto. Mas a designação da função no ambiente editorial nem sempre faz uma descrição exata do trabalho. Por exemplo, as tarefas do editor administrativo podem variar muito de uma empresa para outra.
Acontece que uma pessoa única não pode fazer todo o trabalho editorial, dando conta de cada uma das etapas do desenvolvimento de uma revista, um boletim de informações, um livro, um jornal, um folheto ou um relatório – da ideia original até o documento pronto para impressão. Mas, mais frequentemente, o trabalho é feito por vários profissionais que colocam suas habilidades em conjunto. Projetos complexos (livros, relatórios, teses) podem requerer a interferência de grande número de revisores. O editor chefe ou revisor sênior vai distribuir as tarefas entre os revisores externos e os da empresa, de acordo com as respectivas competências e experiência.

Aqui estão algumas das tarefas atribuídas aos revisores

  • A preparação do texto: executar correções de gramática, ortografia e pontuação; verificar a consistência interna da apresentação e dados; os níveis de títulos; indicar todas as exigências especiais aos responsáveis pela produção e design gráfico.
  • Esclarecer ou reorganizar o conteúdo e a estrutura de um manuscrito.
  • Revisão estilística: clerear o significado, eliminar o jargão para tornar o texto mais fluente.
  • Reescrita: escrever um novo roteiro, ou partes de um manuscrito com dados fornecidos por outros colaboradores.
  • Verificação de dados: verificar a exatidão dos dados e citações fornecidas pelo autor e, se aplicável, verificar referências e palavras-chave.
  • Revisão de provas: ler as impressões de um manuscrito revisado. As provas são folhas de teste impressas de um manuscrito. O revisor pode ter também que incorporar as alterações do autor, para corrigir as fichas de informação, para verificar os códigos para o computador e informar a localização das ilustrações e referências de páginas.
  • Indexação: preparar índices alfabético de nomes, lugares, temas e conceitos mencionados no livro, com referências de página se necessário.
  • Pesquisa: encontrar os dados iniciais ou complementares para artigos ou livros.
  • Procurar ilustrações: encontrar fotos ou ilustrações adequadas.
  • Montagem de prova: fazer um modelo (boneca/boneco), das provas e indicar as mudanças necessárias; colagem de fotos e ilustrações; adicionar números de página na tabela de conteúdo e indicar as referências.
  • Coordenação de projetos: coordenar e rever um projeto desde a proposta ou o manuscrito original para a fase final do manuscrito; incorpore as contribuições de autores e colaboradores.
  • Desenvolvimento do projeto: encontrar ideias e livros especializados no ofício de revisão; avaliar manuscritos ou propostas, fazendo as necessárias recomendações dos editores.
  • Coordenação de produção: fornecer um ou mais tipos de serviços para verificar tanto o design gráfico e o conteúdo para que o manuscrito revisado pode ser enviado para impressão.
Adaptado da ACR.
http://www.hypersmash.com/dreamhost/

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação.O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo.A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). O que é um resumo?O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá. O resumo …

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente.A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação.Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas:A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço.O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador).Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos).Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos), a não ser na pontuação empregada nos numerais.Não há espaço depois do parêntese que abre nem ant…

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmicoUm texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.
Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem Tenha claro para si o tipo de texto que vai…

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H!Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato.Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. É necessá…

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância?Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações?Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português?Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem, mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno, da UnB, John Robert Schmitz, da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco, da UFPR.  (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimologia e da ignorância…