Pular para o conteúdo principal

Nenhum ou nem um?

Mais um caso rotineiro em que nos embananamos muito sem saber: nenhum e nem um. As formas geram enorme confusão entre a maioria dos falantes e são personagens frequentes no cenário da revisão de textos. Porém, novamente, a situação pode ser resolvida de forma simples e rápida. Os dois termos, embora muito parecidos, empregam-se em diferentes situações. Bom, vamos começar pelo principal:
As dúvidas de português serão sanadas pelo revisor de textos.
Para defender uma tese de doutorado ou
dissertação de mestrado nunca se pode
abrir mão da revisão profissional do texto.
Nenhum é pronome indefinido que se opõe a algum. A palavra nenhum significa total inexistência. É pronome variável em gênero e número que significa nulo, inexistente e transmite valor indeterminado e vago. Refere-se à ausência total de alguma coisa, inexistência. É o antônimo de algum e admite o uso como pronome indefinido adjetivo ou substantivo.
Observe o exemplo:
Nenhum [algum] centavo foi transferido para a conta prevista.
No exemplo acima, o pronome refere-se ao substantivo centavo, afirmando sua inexistência, logo, que não existe centavo algum, indicando totalidade exclusiva.
Nem um é a união do advérbio de negação nem e do numeral um e enfatiza a ideia de que nem o mínimo foi considerado, sendo mais expressiva. Portanto, o numeral se opõe a dois, três... Pode ser substituída por nem mesmo um, nem sequer um ou nada e indica, necessariamente, grandezas contáveis.

Conforme o exemplo:
Não tinha nem [sequer] um dia para visitar a própria mãe.
Pois bem. Não essa questão da confusão entre essa dupla não é caso de definição em certo ou errado. Ambas as hipóteses existem na língua portuguesa, são formas vistas como sinônimas e estão corretas. Tudo depende do contexto em que utilizamos uma ou outra. Para simplificar e aumentar as chances de acerto, use nem um quando desejar enfatizar quantidade, caso contrário, utilize nenhum. Provavelmente, a melhor forma de evitar o erro seja criar pares opositivos, como segue:

  • Esta moeda não tem nenhum valor -> Esta moeda não tem valor algum.
  • Não perco nem um dia de festa no ano novo -> Perco sequer um dia de festa no ano novo.
Exemplos com nenhum (equivale a algum):

Nenhum aluno estudou para o teste -> Algum aluno estudou para o teste
Eu não tenho nenhum caderno comigo.
Não há problema nenhum, eu resolvo a situação.
Sapato nenhum era confortável para aqueles pés inchados.
José não rejeitava oportunidade nenhuma.
Na sala não havia nenhum aluno.

Exemplos com nem um (equivale a sequer um, um só):

Seu cachorro não gostou nem um pouco do meu gato.
Tenho tanta fome. Não há nem um pastel sobrando?
Não fico nem um minuto sem sentir saudades de você. 
Não estou nem um pouco preocupada com o resultado. 
Nem uma única recompensa foi obtida com aquele trabalho.

Compreendeu? Cada caso é correto em um contexto. Lembre-se de que o mais comum é usar a forma contraída nenhum, formada por nem + um. A outra forma, ou nem um, deve ser utilizada em situações de ênfase, podendo ainda se juntar com um termo de apoio para intensificar mais ainda a ideia, como mesmo ou . Devemos procurar sempre seguir as regrinhas da norma culta e não atropelar as palavras ao falar ou escrever. Se precisar colocar em prática, pare, pense e faça as substituições como aqui exemplificado. E se, mesmo assim, ainda permanecer a dúvida, jogue a bomba para um bom revisor de textos e garanta que a estrutura do que redigiu esteja impecável e sem certos erros que podem fazer a avaliação mais séria.
Por Gustavo Mani, nosso colaborador.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003).  O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas p…

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações.Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.
Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que o próprio editor de textos mais comum faz o …

Como escrever um texto acadêmico – aspectos gerais e específicos

Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação. Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.
Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem Tenha claro para si o tipo de texto que vai escrever e o público a que ele se destina. Ne…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

A escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Material e métodos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: a.Os leitores possam compreender e avaliar o experimento do trabalho e o tema da tese;
b.Outros pesquisadores possam utilizar o estudo independente para verificar os resultados do mesmo ou de outros contextos e produções. Algumas dicas úteis para escrita da fase “material e métodos” são descritas a seguir:
1)Mencionar a data e o local onde foi realizada a prova experimental, especificando as coordenadas geográficas e/ou as características físicas e biológicas relevantes.
2)Descrever o plano experimental, incluindo os tratamentos aplicados, o número de repetições, a unidade experimenta…

O gênero de discurso acadêmico-científico

O gênero acadêmico-científico, baseado na semântica linguística, na descrição de um sentido linguístico. Todas as esferas da atividade humana estão sempre relacionadas à língua. O uso da língua se dá em forma de enunciados (orais e escritos), concretos e únicos, emanados integrantes da atividade humana. O enunciado mostra as condições específicas e as finalidades de cada uma dessas esferas: conteúdo temático, estilo verbal e construção composicional. Esses três elementos convergem para o todo do enunciado e todos eles são marcados pela especificidade de uma esfera de comunicação. Vê-se, então, que qualquer enunciado considerado isoladamente, é individual, mas cada esfera de utilização da língua elabora seus tipos relativamente estáveis de enunciados, que são os gêneros do discurso. Cada esfera dessa atividade se diferencia e se amplia à medida que a própria esfera se desenvolve e fica mais complexa. A partir das três características que formam um gênero, condições específicas, estilo …