Pular para o conteúdo principal

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo?

Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada?

Claro, qualquer autor deseja isso!
Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos, que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem:
Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA.
Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certamente sabe que há milhões de títulos desse gênero por aí! Alguns textos sob essas denominações serão até bons, mas os olhos do leitor já começam fugindo do título – e antes de você perder o leitor já perde click que levaria a ele!
Teses e dissertações devem ser textos completamente legíveis.

Conheça a técnica AIDA e aplique aos títulos de seus textos.

Entretendo, é muito provável que você não tenha dado a atenção necessária a criar um título perfeito para seu texto. Não se preocupe. Nossa ideia é apresentar aqui um guia para você saber como escrever para seus textos títulos impossíveis de serem ignorados e que serão clicados: afinal, é pela internet que todos encontramos o que vamos ler e é nela que seremos encontrados como autores.
Você precisa entender que maus títulos podem matar e os bons títulos alavancar seu texto; a técnica AIDA leva ao bom título e a psicologia “hipnótica” faz as pessoas clicarem em seu artigo.
Títulos são como os rótulos de qualquer produto. Se o usuário não “abrir” o título, tudo estará perdido. Portanto, se ninguém clicar em seu artigo, de nada adiantou o enorme esforço intelectual que você fez para criar aquele texto memorável; de nada valerão os anos a fio na pesquisa, se você não conquistar aquele mísero segundo que o leitor gasta para clicar no título. Tenha em mente: o título será a primeira conexão da ideia com os leitores e, se ele falhar, aquela citação sua que ele talvez fizesse estará perdida.
É por isso que você deve pensar bastante antes de definir o título do seu artigo ou de qualquer texto acadêmico.

A técnica AIDA aplicada a títulos

Essa técnica compreende os quatro elementos necessários que um título precisa ter para atrair a atenção do leitor. O acrônimo AIDA pode ser traduzido como:
  • Atenção: usar palavra ou termo que capture a atenção imediatamente do leitor.
  • Interesse: mencionar o principal benefício que o leitor irá tirar do seu artigo.
  • Desejo: despertar pela combinação entre o benefício e senso de urgência.
  • Ação: chamar o leitor a seu texto, fazer que ele pense “vou clicar aqui para ler”.
Tente combinar a técnica AIDA com a técnica dos 4Us, explorada abaixo:
  • Ser ÚTIL para o leitor,
  • Criar senso de URGÊNCIA,
  • Transmitir a ideia de que o texto algo ÚNICO, e
  • Fazer tudo parecer ULTRA-ESPECÍFICO.
Essa é a parte psicológica que faz os títulos atraírem a atenção do leitor. Ela é necessária à estratégia de marketing de conteúdo do texto acadêmico, com objetivo de gerar de leituras e citações de seus artigos ou de sua tese.
Agora que superamos a parte “técnica”, vamos aos exemplos de títulos que funcionaram muito bem; vamos entender porque eles funcionam, quebrando-os em várias partes para análise.
  • Título #1: Contabilidade das mulheres na universidade brasileira: lucros e perdas, ingresso e permanência. (CASA NOVA, Silvia Pereira de Castro. 2014. Tese de Livre-Docência. São Paulo: Universidade de São Paulo.)
Analisando o título por partes:
Contabilidade das mulheres: aqui a uma novidade e uma quebra de expectativa – as contabilidades são de valores, não de pessoas ou de um gênero de pessoas; mas há também uma ambiguidade presente no texto: trata-se da contagem das mulheres, sim, mas se trata das mulheres no ramo da contabilidade.
Na universidade brasileira: o corte espacial estabelece conexão com a maioria dos leitores potenciais – todos eles estarão, certamente, ligados a uma universidade brasileira!
Lucros e perdas, ingresso e permanência: As pessoas têm atração por listas e, apesar de essa ser pequena, já resulta; mais, essa lista traz em si um paralelismo: quatro componentes em paralelos de dois a dois, o que agrada enormemente nosso sistema de raciocínio lógico, sendo assimilada a ideia com grande facilidade; por último: as ambiguidades e o trocadilho entre o conteúdo e as referências a ele em linguagem contábil são um atrativo extra.
  • Lembre-se: Todas as palavras utilizadas no título devem ter objetivo específico. Experimente dividir o título e analise se as palavras utilizadas são bem fortes, se elas proporcionam benefícios e induzem o leitor a clicar para ser seu texto.
Quebrando o título em partes, temos:
  1. [número, lista] lucros e perdas, ingresso e permanência [lista pequena e assimilável]
  2. [facilidade, método] [paralelismos e ambiguidades: duas ideias em poucas palavras]
  3. [pessoal] universidade brasileira [isso me diz respeito]
  4. [benefício] [título em 12 palavras, sem repetição, menos de 100 caracteres – o Google “captura” 130 caracteres por título, segundo alegam]
  5. [atenção, reduz barreira] contabilidade das mulheres [homens gostam de mulheres, mulheres gostam de questões de seu gênero]
  • Título #2: Oclusão traumatogênica: atuação no periodonto de sustentação. (LEITE, Claudia Francêsca. Dissertação. Belo Horizonte: Associação Brasileira de Odontologia de Minas Gerais).
Oclusão traumatogênica: o título é explosivo e técnico, vai direto ao ponto com forte carga denotativa.
Atuação no periodonto de sustentação: explicação sintética, precisa e direta.
Oclusão/: atuação/ sustentação: eco harmônico, número de sílabas equivalente os distribui, criando ritmo que facilita a captação da ideia.
Analisando o título em partes, temos:
  1. [número, lista] proposição rítmica [lista pequena e assimilável];
  2. [facilidade, método] [paralelismo assindético: duas explicando-se];
  3. [benefício] [título em 7 palavras, sem repetição, 60 caracteres].
Não é necessário repetir toda a análise a cada título porque não há mistério de como eles funcionam, além de várias técnicas e tropos poderosos se repetirem.
O carinho que você teve por sua dissertação nós vamos redobrar na revisão.
Veja outro enfoque:
Título da tese...
  • Título #3: Espaços para o corpo: antropometria na arte contemporânea. (MEIRON, Julio. 2012. Dissertação. São Paulo: Universidade de São Paulo.)
Espaços para o corpo: inclusão, todos temos corpos, todos queremos espaços; eroticidade; referência subliminar ao princípio de Arquimedes e ao corolário de exclusão de corpos sólidos.
Antropometria: o termo humaniza o título e outorga tecnicidade.
Arte contemporânea: é algo que perpassa por todos os leitores.
Analisando o título acima:
  1. [atenção] espaço e corpo;
  2. [inclusão] corpo, espaço, contemporânea;
  3. [benefício]: 8 palavras sem repetição, 57 caracteres.

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância? Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações ? Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português? Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem , mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno , da UnB , John Robert Schmitz , da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco , da UFPR .   (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimol

A escrita acadêmica como requisito principal para a boa formação

O texto acadêmico é um gênero muito específico. O suporte para formação acadêmica é, boa parte, o texto. São textos em que as informações são assimiladas e textos produzidos para demonstrar o conhecimento apreendido ou produzido. Quando se fala em produção científica , os primeiros critérios que vêm à cabeça são a quantidade e a qualidade de artigos produzidos. O conceito de qualidade, no entanto, geralmente leva em consideração apenas o fator de impacto dos trabalhos, a quantidade de vezes que são citados por outros cientistas. Mas outro tipo de qualidade vem sendo buscada pelos pesquisadores, inclusive para conquistar o fator de impacto: a qualidade textual, que depende do bom preparo e bagagem do aluno universitário, que permite a ele produzir trabalhos universitários com excelência, qualidade pode ser obtida mais facilmente ao se apoiar em uma minuciosa revisão do texto feita por um revisor profissional . A produção de textos é processo contínuo de realimentação e do qual a revis

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva