Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Ter a ver ou ter a haver?

Na revisão de textos científicos, deparamo-nos com uma série de lapsos e outra de dúvidas dos autores sobre questões simples. Expressões da linguagem oral, registradas das entrevistas, devem ser transcritas com cuidado. Ter a ver ou ter a haver é um desses casos. Essas expressões – populares e da linguagem falada – registradas muitas vezes incorretamente, prejudicam quem não as conhece da maneira correta e deixa de cabelos em pé quem conhece bem e presencia tal erro de grafia. Refiro-me às expressões “ter a ver” ou “ter a haver”, tão correntes na boca do povo e com frequência corrigidas pelos bons revisores de plantão. Uma só letra, neste caso o “h”, faz uma imensa diferença de significado em uma oração, e por menor que seja, desencadeia uma série de equívocos semânticos. O problema acontece geralmente porque “haver” e “a ver” são parônimas (têm sentido diferente, mas formas semelhantes) e, além desse pormenor, são homófonas, ao passo que produzem praticamente o mesmo som! Antigament…

Problemas estruturais no texto acadêmico

Vamos discutir algumas ocorrências, comuns em textos acadêmicos, focando em problemas de estrutura retórica que podem resultar em ineficaz ou inadequada interpretação em virtude de deficiências de coerência.Colocaremos primeiramente algumas observações quanto ao significado atribuído ao termo coerência textual em relação outros dois aspectos fundamentais da textualidade: a consistência e coesão, observando que ele é usado em linguística com dois diferentes significados: Primeiro, o conceito de coerência em sentido restrito é definido negativamente, como como ausência de contradições, como não-contraditório. Nesse sentido, coerência corresponde ao inglês consistency e ao alemão Widerspruchslosigkeit.Segundo, o outro sentido de coerência corresponde à conexão de peças de um todo, a coesão semântica ou pragmática, a integralidade em contexto de mais declarações. Nesse sentido do termo, o conceito de consistência conceito é positivos e corresponde ao inglês coherence e o alemão Kohärenz. No…

Meio ou meia?

Questões simples da linguagem cotidiana podem perdurar gerando dúvida ou equívoco até mesmo em textos de pós-graduação. Você tem certeza de que emprega sempre certo as palavras meio e meia? Dizem que o povo aqui em nosso país costuma ser bem expressivo, tanto ao falar como pelo hábito de gesticular enquanto fala. Assim, podemos dizer que o uso do advérbio aqui é muito frequente nos textos falados e escritos, a fim de intensificar a mensagem. Por isso, é comum o uso da palavra “meio” quando queremos intensificar um termo ou nos referir a uma ideia de fração. A palavra “meio”, então, pode se comportar como advérbio de intensidade e também como numeral fracionário. Primeiramente, uma breve revisão: Classe gramatical variável: são as palavras que permitem variação. O substantivo, adjetivo, numeral e pronome, por exemplo, admitem variação de gênero e número. Já nos verbos, ocorrem variações de modo, tempo, número e pessoa.Classe gramatical invariável: Não permite variação. São exemplos des…

Composição e redação de textos

Texto tem que ser bem redigido, bem composto.A composição e a redação são objetos de toda boa revisão de textos. O revisor está atento a questões ortográficas e questões estéticas, dentre outras!Compor é a atividade central da criação estética, trata-se do processo de produção de um texto, uma página, uma tela, ou uma melodia. A essência da composição de um texto não é escrever palavras, ideias, fatos, mas desenhar o texto. Os termos composição e redação de textos são usados um pelo outro frequentemente. Inicialmente ligado à arte expressiva, por exemplo, pintura, música ou composição erudita, o termo composição transmite a ideia de criatividade ou inovação, apesar de que, atualmente, ele esteja sendo usado para a criação de qualquer tipo de conteúdo composto, de um lembrete a um romance ganhador de prêmio, de uma vitrine ao vestuário pessoal. Usando o termo composição em sentido mais próprio, no campo das literaturas, ele sugere mais que a redação simplesmente, ele propõe uma montagem …

Regência: o verbo preferir

Segundo dicionários de regência verbal, o verbo preferir significa basicamente dar prioridade ou preferência a; gostar mais de, escolher ou querer antes. É querer antes de alguma outra coisa ou várias coisas! “Minha mãe disse que prefere ir para o Nordeste de que fazer uma viagem ao Sul.” [Inadequado] Para a construção do significado, algumas palavras da língua portuguesa usadas por nós exigem o acompanhamento de outros elementos linguísticos. A essa relação de dependência exigida pela norma culta, com o propósito de produzir um significado, chamamos de regência. Vamos então fazer um apanhado do assunto em questão. Preste atenção, é bem simples! A regência verbal pode se dar de duas maneiras, conforme descrito a seguir: Direta, quando a relação de dependência é imediata (João ama Maria). Indireta, quando ela é intermediada por outros elementos da língua, como as preposições (João gosta de Maria).  O objeto direto e o objeto indireto fazem parte dos complementos verbais das frases. Nã…