Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

Como terminar o capítulo da tese ou dissertação

Existem problemas específicos das introduções e conclusões de capítulos e do conjunto de textos acadêmicos longos. Saiba como redigir esses tópicos. Quantas vezes, como leitor de textos acadêmico, você passa os olhos nos princípios e fins de capítulos para identificar rapidamente as mensagens-chave? É completamente normal fazer isso. Na verdade, é uma habilidade essencial para qualquer acadêmico (ou qualquer profissional), essa capacidade está ligada à filtragem mais ampla, à separação e classificação dos textos, para identificar a qualidade ou pertinência da abordagem ao interesse específico do leitor (ao invés de ler o texto todo e todos os textos com atenção – o que demandaria tempo incomensurável). Sem tal habilidade, acho que a maioria de nós seria massacrada pelo volume de coisas para ler. As impressões finais são duradouras — que sejam boas! Então, como autor, comece e termine cada tópico (capítulo, segmento...) com a técnica adequada para deixar boa impressão do trabalho e pa…

Mau ou mal?

Era uma vez uma menina chamada Chapeuzinho Vermelho, ela tinha esse apelido pois desde pequenina gostava de usar chapéus e capas desta cor. Um dia, sua mãe pediu: — Querida, sua avó está doente, por isso preparei aqueles doces, biscoitos, pãezinhos e frutas que estão na cestinha. Você poderia levar até a casa dela? — Claro, mamãe. A casa da vovó é bem pertinho! — Mas, tome muito cuidado. Não converse com estranhos, não diga para onde vai, nem pare para nada. Vá pela estrada do rio, pois ouvi dizer que tem um lobo muito mau na estrada da floresta, devorando quem passa por lá. Lobo mal ou lobo mau? As palavras mau e mal são pronunciadas da mesma forma, mas escritas de forma diferente, com significados diferentes. A esse tipo de palavras chamamos palavras homófonas. Existem várias palavras homófonas: mau/mal, asar/azar, senso/censo, cinto/sinto, entre outras. A forma mais fácil e eficaz de usarmos corretamente essas palavras é pela oposição, utilizando seus antônimos e verificando qual …

Terminando sua tese de doutorado: dicas de gente experiente

Você está tentando concluir uma tese de doutorado em tempo para o prazo de poucos meses? Partilhamos alguns conselhos de quem superando esse obstáculo final. 1) Verifique se você atende aos requisitos de doutoramento de sua instituição "Alunos de doutoramento e seus orientadores frequentemente presumem coisas sem verificar. Um orientador disse a seu aluno que a tese deve ter cerca de 300 páginas, no máximo, então ele escreveu 300 páginas. Infelizmente, o orientador tinha pensado em espaço duplo e o aluno tinha escrito em espaço simples. Livrar-se de 40.000 palavras extras com duas semanas não é recomendado." (Hannah Farrimond, professora de Sociologia Médica, Universidade de Exeter) 2) Mantenha a perspectiva "Todos querem sua tese incrível, sua magnum opus. Mas seu trabalho mais importante virá mais tarde. Pense em seu doutorado como um aprendizado. Seus pares são improváveis leitores da tese e não vão julgar você nela. Eles são mais propensos a ler documentos (artigo…

Para escrever um texto melhor

O grande esforço de quem redige, principalmente no caso dos textos acadêmicos longos, teses, dissertações, artigos, é aperfeiçoar seu texto e aperfeiçoar sua escrita. Escrever um texto é atividade que exige muito da pessoa, o que é normal, posto que seja uma atividade alicerçada em vários conhecimentos bem diferentes da fala e que se empregam menos que ela. Tal aspecto, por si, explica parcialmente porque aprender a língua escrita pode parecer com aprender a falar uma língua estrangeira! Você deve estar consciente do fato que sempre sobram erros linguísticos em seu trabalho escrito – sejam poucos ou muitos! Hoje se sabe que é quase impossível escrever sem cometer desvios das normas ou lapsos, pela simples razão de que é impossível dividir a atenção entre o conteúdo (expressão e gestão das ideias) e a forma (transcrição gráfica apropriada). O domínio da língua escrita advém, em boa parte, mais da capacidade de reescrita: localizar seus erros e repará-los – que da capacidade para escre…

Redundância ou pleonasmo vicioso

Anteontem, chegando em casa, eu logo senti o cheiro de algo parecido com comida típica de inverno. Curioso, deixei a minha mochila no quarto e fui direto para a cozinha.  Ao dar um beijo na minha mãe e dizer oi, eis que ela me diz: – Vá tomar banho para jantar, estou fazendo canja de galinha.
Pois é. Provavelmente você nem percebeu algo “fora do lugar” na frase dita pela minha mãe. Por ser tão comumente usado, geralmente nem identificamos na expressão “canja de galinha” um dos vários pleonasmos viciosos existentes. PLEONASMO (do grego, pleonasmós = superabundância). Pleonasmo quer dizer sobejidão de palavras, o qual então o cometemos muito quando se dizem algumas que se podiam escusar, como Oulhou-me com os seus olhos, e Falou-me com a sua boca: porque ninguém pode oulhar ou falar senam per olhos e boca própria.
(João de Barros, Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa, 1540, 36v)
Pleonasmo é uma figura de linguagem, conhecida também como figura sintática ou de construção. Caracteriza-se…