Pular para o conteúdo principal

Revisão linguística de textos acadêmicos

Vamos tratar de dois termos - revisão acadêmica e revisão de textos - que, em outros contextos são empregados em sentidos ligeiramente diferentes daqueles que nos interessam na qualidade revisores de textos.

Chamamos revisão de texto o conjunto de procedimentos por meio dos quais um texto é trabalhado até o ponto em se decide que ele esteja suficientemente bem escrito, ou o tempo acabe - o que é mais frequente. Para nós, revisão acadêmica é um gênero da espécie revisão de textos.
Nossa revisão tem sólida base teórica e grande experiência.
Revisão de textos requer alteridade,
os olhos de fora vendo o
que o autor não vê mais.
Noutro contexto, no das editorias de publicações científicas, a revisão acadêmica muitas vezes se refere à revisão do conteúdo, da matéria de fato de que o texto trata, é a revisão feita por outro cientista, competente na mesma área da matéria tratada, destinada a fazer juízo de mérito e valoração do texto quanto a seu conteúdo científico. Trata-se da revisão entre pares. Não fazemos isso. Nossa revisão acadêmica é aquela que foca no texto como mídia, como suporte do conhecimento a ser transmitido. Nossa especialidade é o texto que trata da matéria, o revisor científico de que falávamos trata da matéria contida no texto. A revisão acadêmica, sobre nosso foco, é questão de comunicabilidade, textualidade, linguística inerentes; a revisão acadêmica, sobre o outro ponto de vista, trata da validação do conhecimento, da cientificidade e confiabilidade subjacentes ao texto. Nós preferiríamos chamar nosso trabalho de revisão acadêmica e chamar àquela que não fazemos de revisão científica, mas não é o que ocorre - havendo assim alguma possibilidade de confusão inicial por parte dos autores.
Da mesma foram, revisão de textos - nosso principal serviço - é um conjunto de aperfeiçoamentos propostos ao texto autoral. No contexto do letramento, revisão de textos é termo aplicado a uma série de procedimentos didáticos visando ensinar a produção de textos. Claro que ambos os procedimentos têm grande parcela de ações comuns, mas a função é bem diferente na origem - assim como a clientela. Chamam ainda revisão de textos aos procedimentos de melhoria e correções efetuados pelo autor durante a escrita. Preferimos nos referir a esse processo autoral como reescrita, reservando o termo revisão para os procedimentos em que haja alteridade: um profissional qualificado e independente da autoria interferindo, sugerindo e interagindo como colaborador externo.
Existe um tipo especializado de revisor de textos que tem foco para os trabalhos acadêmicos, principalmente as teses, dissertações e artigos científicos. Da mesma forma, existem revisores que visam prioritariamente literatura, textos traduzidos, publicidade, textos legais. Há muitos tipos de texto e há, atualmente, profissionais focados em cada um deles. Claro que qualquer revisor está minimamente apto a revisar qualquer texto, mas por questões de mercado ou de interesse pessoal, muitos se especializam.
Revisão acadêmica com qualidade
e pontualidade é na Keimelion.
Como nosso foco são os trabalhos acadêmicos, vamos apontar algumas características de que os revisores desse tipo de produto não podem prescindir.
  • Primeiro, a disponibilidade: o revisor acadêmico tem que ter tempo para atender àquela tese que lhe apresentam poucos dias da deadline de depósito, para isso ele precisará se dedicar integralmente a ela. Provavelmente este revisor de textos será alguém que se dedica exclusivamente à revisão de textos, declinando inclusive o magistério.
  • Segundo, a erudição: para poder lidar com textos de diversas áreas de conhecimento, mesmo sem a necessidade específica de entender do assunto, o revisor acadêmico precisa ter um repertório vasto de informações, no mínimo, conhecimento de vocabulário bastante amplo (amplitude léxica) e domínio de diversos campos semânticos. Possivelmente o revisor acadêmico não será um novato na área de revisão.
  • Terceiro, humildade: só pode ser revisor acadêmico que compreende completamente que seu desempenho é de assessoramento do cientista na transmissão do conhecimento. O texto é do autor e essa característica deve ser preservada nos limites que o próprio autor impõe, limites que se subordinam a quaisquer normas linguísticas o acadêmicas, bem como extrapolam as preferências do revisor. O revisor que já tenha seus próprios textos publicados certamente não estará preocupado em se projetar no texto de seu cliente.
  • Quarto, pontualidade: quem está com uma tese pronta ou um artigo para ser publicado tem data inadiável para ter o texto pronto - assim como pretende segurá-lo até o último instante possível, aperfeiçoando sempre a ideia e a escrita. Então o revisor acadêmico tem que ter estrita observação pelos prazos estabelecidos.
Claro que há muito mais que isso, todo o arcabouço linguístico - para apontar só mais um quesito. Aqui apenas foi a intenção apresentar pontos distintivos do revisor acadêmico. A todos os revisores são necessários os conhecimentos linguísticos em profundidade compatível com a atividade.
Ao trabalharmos aspectos ortográficos na revisão de textos, consideramos as características de “grafia” do gênero (acadêmico, por exemplo) a ser produzido, as condições de produção do texto, pois a opção por uma variedade linguística fora do padrão ou a adoção de uma configuração formal não canônica, a desobediência intencional de uma regra ortográfica, por exemplo, têm que ser avaliadas em função do tipo de texto, do suporte, das intenções comunicativas do autor.
Revisar não se limita à “higienização” do texto (passar a limpo - corrigir), mas deve assumir caráter de “refacção para edição final”, aperfeiçoamento da comunicabilidade, cuidando-se, além da ortografia, da textualidade e da apresentação (formato, limpeza, distribuição do texto e de eventuais ilustrações)
Além disso, a revisão de textos, como atividade profissional, exige que o revisor selecione aspectos a serem trabalhados em cada etapa do trabalho, já que não é possível tratar de todos ao mesmo tempo.
Formar segundo ABNT, Vancouver e outras é nosso ofício.
Desde sua implantação, só revisamos de
acordo com o Novo Acordo Ortográfico.
Em cada leitura se foca a atenção na coerência da apresentação do conteúdo, nos aspectos coesivos e pontuação, ou na ortografia - mesmo que sempre se esteja percebendo tudo isso. Quando se toma apenas um desses aspectos para revisar, é possível, ao fim da tarefa, sistematizar os resultados do trabalho devolvê-lo organizadamente ao autor. 
A ortografia é apenas um aspecto a ser considerado na revisão de texto, a questão ortográfica se entrepõe às outras dimensões da produção textual.
Ao revisar, sempre se se dá atenção a problemas da textualidade, o conjunto de características que fazem com que o texto seja texto, não apenas uma sequência de frases. Há sete fatores responsáveis pela textualidade de um discurso qualquer: a coerência e a coesão, que se relacionam com o material conceitual e linguístico do texto, a intencionalidade, a aceitabilidade, a situacionalidade, a informatividade e a intertextualidade, que têm a ver com os fatores pragmáticos envolvidos no processo sociocomunicativo.
Adaptação livre de Leite, K. M. B. S.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto. Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003).  O que é um resumo? O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas p…

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações.Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.
Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que o próprio editor de textos mais comum faz o …

Como escrever um texto acadêmico – aspectos gerais e específicos

Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação. Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.
Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem Tenha claro para si o tipo de texto que vai escrever e o público a que ele se destina. Ne…

Quatorze dicas para a hora de defender a tese

Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho. Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato. Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. 1) Conheça antecipadamente o material disponí…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

A escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Material e métodos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: a.Os leitores possam compreender e avaliar o experimento do trabalho e o tema da tese;
b.Outros pesquisadores possam utilizar o estudo independente para verificar os resultados do mesmo ou de outros contextos e produções. Algumas dicas úteis para escrita da fase “material e métodos” são descritas a seguir:
1)Mencionar a data e o local onde foi realizada a prova experimental, especificando as coordenadas geográficas e/ou as características físicas e biológicas relevantes.
2)Descrever o plano experimental, incluindo os tratamentos aplicados, o número de repetições, a unidade experimenta…