Pular para o conteúdo principal

Revisão de textos se cobra por lauda

Como se calcula o preço da revisão de textos?

Afinal, o que é uma lauda para revisão? Quantas laudas tem minha tese? Lauda é o mesmo que página? A revisão de texto faz crítica?

Todos os revisores de textos costumam formar o preço cobrado pelos seus serviços pela lauda, uma quantidade de texto mais ou menos equivalente àquela que preenche a mancha (espaço impresso) da página em formato A4. Mas acontece que essa quantidade de texto varia muito, de acordo com uma série de fatores: fonte adotada - tamanho e família, margens, espaços entre linhas e espaços entre parágrafos, para mencionar alguns, já que a quantidade de texto em uma página também depende de ilustrações e notas de rodapé, que representam importantes variáveis.
Teremos prazer em revisar e formatar seu trabalho científico.
Ninguém precisa de máquinas misteriosas para calcular as laudas de um trabalho.
Basta pegar a quantidade de caracteres e dividir pelo padrão adotado: 1500.
Ocorre então que os profissionais adotam um padrão para sua lauda, o que não é uniforme entre os diversos profissionais. Cada um determina a quantidade de caracteres que ele considera sua lauda. Já vimos referências a laudas de 800, 1200, 1250, 1500, 1800, 2200 caracteres (com ou sem espaços). Então, quando um cliente pede um orçamento, ele deve ficar atento a esse número de caracteres que será a variável para a constituição da lauda que é a base de cálculo para o serviço.
Nós trabalhamos com laudas de 1500 caracteres, e não me lembro de nenhuma razão especial para esse número, exceto que ele corresponde bem à página A4 com as configurações mais comuns, em texto cheio, sem imagens (eles diminuem a quantidade de texto) e sem notas de rodapé (que costumam aumentar muito a quantidade de texto).
Portanto, se algum trabalho acadêmico contém principalmente texto corrido, o número de laudas - segundo nosso cômputo - será bem próximo ao número de páginas. Já se há muitas imagens, o número de laudas tenderá a ser menor que o de páginas; no sentido contrário, havendo muitas e longas notas de rodapé o número de laudas tende a ser bem maior que o de páginas, pois o rodapé é impresso em copro (tamanho da letra) menor e em espaços simples. É comum que a pessoa se assuste com o número de laudas maior que o esperado, pois as referências (sim, elas também serão revisadas) também contém mais caracteres que a página de texto corrido.
Na verdade, o critério de computar as laudas pelo número de caracteres é bem simples e proporciona uniformidade quantitativa na formação de preço para a revisão. Por isso é que todos os revisores trabalham com essa conta - infelizmente não há um senso comum quanto ao número de caracteres.
Os programas de editoração (Word, e.g.) fornecem o número de caracteres de que o texto se compõe. Basta pegar aquele número e dividir pelo padrão adotado (1500, no nosso caso) e se obtém a quantidade de laudas a serem trabalhadas.

Revisão de texto crítica

Considerar a revisão de texto como processo simplesmente mecânico é um pensamento errôneo e primitivo. Sabe-se que um texto envolve muito mais do que as regras gramaticais; ele engloba contextos subjetivos, sociais, históricos, linguísticos e cognitivos. Isso porque, na construção de um texto, existem tantos elementos envolvidos quanto é a complexidade deles. Porém, pode-se dizer que, sem um desses elementos, em especial, não há como se ter sequer uma frase.
Seja qual for o tema, seja qual for a intenção ao se produzir um texto, ele vai ser consequência do ponto de vista, do contexto, do sentido, enfim dos conhecimentos de seu produtor, e tudo isso faz parte de uma construção. É exatamente do que trata a identidade de um indivíduo, de um processo de construção ao longo da vida.
Pelo fato de que a revisão de texto vai muito além de um trabalho técnico ou da aplicação das regras gramaticais, é preciso que haja entre autor e revisor a negociação do sentido, em que ambos possam chegar a um ponto em comum em relação às “intenções” do texto.
O papel social da revisão de texto é, principalmente, destrinchar o que está escrito – ou representado – buscar o sentido mais amplo para chegar à prática social, considerando o contexto – e, quando se fala em contexto, quer-se dizer absolutamente tudo: etnia, classe social, nível de letramento etc. – em que se insere seu autor. Adaptado de Rocha & Silva.
Tese e dissertação precisam de assessoria linguística.
Tivemos o cuidado de tomar essa providência para dar a nossos clientes a segurança da seriedade de nosso serviço e de que estamos comprometidos com a missão de colaborar com a ciência, a tecnologia e a cultura, pela prestação de nossos serviços de revisão de texto.
Os clientes que desejarem verificar nosso cadastro poderão pesquisar por Keimelion na página de buscas do CADI ou ir diretamente a nossos dados clicando no logo do serviço. Clique aqui e confira.
O Diretório de Instituições (DI) é o segmento da Plataforma Lattes criado para promover as pessoas jurídicas do Sistema Nacional de CT&I à condição de usuárias das Plataformas do CNPq. Ele é a base de dados cadastrais das instituições que têm algum tipo de relacionamento com o CNPq: participantes dos programas de bolsas e fomento do CNPq e do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (DGP) e também as instituições usuárias de serviços prestados pela Agência.
O cadastro no DI é obrigatório para a instituição ser usuária de programas e serviços do CNPq. Usuários externos ao CNPq possuem acesso ao CADI-Cadastro de Informações Institucionais para consultas.

Quando revisar um texto?

O distanciamento é muitas vezes difícil para o escritor, porque ele investiu tanto em sua escrita que pode ser difícil de perceber as falhas. A ruptura entre a escrita e a edição requer uma perspectiva externa (um ou mais revisores).
Além disso, o autor deve ter um tempo separado para análise da revisão e, depois, retornar ao texto. A revisão frequentemente requer várias releituras, cada uma dos quais é focada em apenas um aspecto. Para as autores acadêmicos, é melhor concentrar-se na qualidade da comunicação antes de se preocupar com a aplicação das convenções da linguagem, porque a escrita requer muita atenção; a revisão de gramática é mecânica e qualquer pessoa instruída dá conta dela. Ao concluir um texto logo, uma tese ou dissertação, é imprescindível contratar um revisor profissional; de preferência, alguém que tenha larga experiência em linguagem acadêmica.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação.O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo.A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). O que é um resumo?O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá. O resumo …

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na KeimelionOs estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que…

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H!Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato.Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. É necessá…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

Tese e dissertação são textos logos do gênero acadêmicoAs partes das teses e dissertações pode constituir subgêneros específicosA escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Assim, a introdução pode ter, por exemplo, uma passagem mais pessoal, que relate a ligação do autor com a temática, e partes que analisem discursos de sujeitos entrevistados podem requerer transcrições literais - segmentos repletos de oralidade, o que não é admitido em outros trechos no gênero acadêmico. Já os resumos, são outro tópico, e merecem uma postagem só para eles. Material e métodos: descrever equipamentos e procedimentos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: Os leitores possam compreender e avaliar o experim…

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância?Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações?Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português?Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem, mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno, da UnB, John Robert Schmitz, da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco, da UFPR.  (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimologia e da ignorância…