Pular para o conteúdo principal

Como escolher um revisor de textos

Dicas sobre a escolha do revisor de textos.

Como se escolhe um revisor de textos?

Você acabou de terminar de escrever sua tese, sua dissertação e está na hora de procurar o revisor. Como escolher o revisor de melhor qualidade, competente e pontual?

Algumas vezes as pessoas se veem na necessidade de contratar um revisor de textos e recorrem aos mecanismos habituais para fazer a escolha: indicação de conhecidos, propaganda em murais, ou recorrendo à internet – meio cada vez mais usual. De qualquer forma, a pessoa se vê na contingência de confiar seu texto a alguém que não conhece e cuja competência nem sempre está apto a avaliar.
Revisores de textos para teses têm que ter porrifólio consolidado.
O revisor de textos surge assim que o autor coloca o último ponto final.
No processo de escolher o revisor, levam-se em conta alguns fatores óbvios que são os mesmos para qualquer profissional: a experiência do escolhido, sua qualificação, a responsabilidade na execução da tarefa, dentre outras. Quando a escolha se faz pela internet, boa parte da indicação fica a ser feita pelo Google – principal mecanismo de indexação e busca da atualidade, superando massivamente todos os demais. Assim, a procura se inicia dentre aquelas primeiras páginas das indicações apresentadas pelo site de pesquisa. O que avaliar?
Share on Tumblr
Os fatores a serem considerados, alguns já apontados, são semelhantes aos da contratação da maioria dos profissionais, mas considere que você não poderá exatamente ver o trabalho do revisor antes de contratá-lo. Nem será possível procurar aquele que simplesmente ofereça o menos custo. Revisores são profissionais altamente qualificados e especializadíssimos – poucos sabem disso! – havendo aqueles que dirigem o foco de sua atuação à produção de textos publicitários, outros à literatura e alguns ao meio acadêmico, apenas para citar alguns dentre os principais recortes possíveis. Claro que qualquer revisor está capacitado a revisar, minimamente, qualquer texto – mas o refinamento máximo só se obtém quando a especialização do profissional (ou sua equipe) atende à necessidade e característica do texto.

Postas essas considerações, sugiro que, na escolha do profissional, observe-se o seguinte:

  • Portfólio: se existe tal seção na apresentação ou site do profissional ou empresa, se há indícios de que haja número significativo de trabalhos assemelhados ao que você vai contratar, se a quantidade e antiguidade dos trabalhos indicados correspondem a tempo de experiência no ramo.
  • Critérios: se há clareza nos métodos de trabalho propostos, rotinas estabelecidas em seus procedimentos, se existe literatura de referência sobre os critérios adotados e se há substância teórica para o estabelecimento dos critérios de trabalho. Responsabilidade: se existem indícios de seguir à risca os prazos, sendo capaz de entregar o trabalho no momento pactuado, se não haverá omissões ou imperfeições decorrentes de eventual urgência.
  • Qualidade: como o profissional apresenta o resultado de seu trabalho, como ele demonstra seus critérios e a possibilidade de discussão ou reversão das interferências feitas.
Claro que há muito mais coisas que podem e devem ser avaliadas, mas voltarei à questão em outro post, por enquanto alertando que não bastará a comparação de preços para escolha do revisor, pois há muitos revisores diferentes e muitas pessoas que se apresentam como tal sem a necessária qualificação e experiência. Invista um pouco de tempo na avaliação do revisor a contratar e, quem sabe, pague um valor mais elevado por uma equipe qualificada para contribuir em algo tão importante quanto seu texto.

Dicas para não escolher um revisor de textos

Revisão de textos hoje em dia é um mercado muito disputado. Quando entramos neste ramo, há mais de dez anos, quase não havia profissionais no mercado, ou eram apenas aqueles das editoras e dos poucos empregos mais em que havia deles. Com o advento da internet, e sua posterior penetração quase universal, parece que muita gente viu nessa atividade um filão de renda.

A escolha de um revisor errado pode resultar em borrões no texto.

Há revisores de todo tipo, para todo texto. Há revisores de todo preço e para todos os autores. Há muita gente boa na praça, muitos revisores com décadas de experiências e profissionais novos dedicados e competentes. Quase todo revisor pode ser encontrado pela internet, a maioria tem site, blog ou algum outro tipo de página.
Muitos são os critérios pelos quais se pode escolher um revisor de textos, mas aqui vamos apontar alguns indícios de que você não deva contratar determinado revisor:
  • Preço: evite com cuidado aqueles que cobram abaixo da média, fora do preço que o mercado pratica. Não é possível que um profissional eficiente e competente revise, digamos, a R$5,00 por lauda (mas há quem ofereça serviço a esse preço). Simplesmente não pode ser trabalho sério.
  • Site: fuja de quem não apresenta portfólio, não apresenta nomes das pessoas envolvidas, não tem endereço, telefone fixo e domínio próprio. Pode até fazer um bom serviço, mas o risco será grande.
  • Fraude: nunca envie seu texto para quem faz trabalhos para os outros. Certamente seu texto será arquivado para ser vendido uma ou muitas vezes para terceiros, com pequenas ou nenhuma modificação. Autor sério não contrata revisão de quem comete fraude, plágio, contrafação e falsidade ideológica (fazer trabalho para os outros pode implicar em cada crime desses - veja sobre isso).
  • Acompanhamento: descarte aquele profissional que vai entregar tudo de uma vez, à véspera de sua deadline, você não terá como ver tudo e deixar a seu gosto. Também não aceite quem faz as interferências sem as controlar às claras, com marcas visíveis. O ideal é alguém que mantenha aberta a porta do diálogo o tempo todo, para não haver sustos.
Essas são algumas dicas aplicáveis a qualquer contratação de serviço, mas devem ser observadas com bem mais atenção nesse caso, pois o revisor é profissional que vai entregar o serviço quase sempre quando o autor já tem que encaminhar o trabalho, então pode não haver como remediar uma trapalhada.

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo? Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada? Claro, qualquer autor deseja isso! Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos , que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem: Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA. Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certame

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância? Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações ? Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português? Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem , mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno , da UnB , John Robert Schmitz , da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco , da UFPR .   (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimol

Texto como construção complexa

Quanto mais longo o texto, mais complexo ele é; por isso, as teses e dissertações requerem a contribuição do revisor de textos no aperfeiçoamento de sua forma e legibilidade. Do ponto de vista cognitivo, escrever é atividade humana de grande complexidade, mais que jogar xadrez. Revisar o texto também é atividade composta por uma série de procedimentos terrivelmente complexos, bem mais que dar palpite na partida de xadrez dos outros! Pesquisadores de diferentes áreas – principalmente psicolinguística – estão interessados nos subprocessos da textualização (produção escrita com textualidade). Antes de mostrar o que propicia a textualização e a possibilidade de contribuição do revisor na construção de textos longos (as teses e dissertações estão dentre os textos mais complexos), vamos apresentar os níveis de organização do texto, depois expor a teoria de recursos, teoria para entender certas dificuldades com a escrita, inclusive as presentes em estudantes de pós-graduação. O papel