Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2014

Conceito de revisor de textos

Aqui um texto famoso entre os revisores que nos define bem como somos, apresentando algumas de nossas características pessoais e decorrentes dos hábitos ligados ao ofício da revisão. “O revisor se define não por seus conhecimentos, mas por seu perfil psíquico. A revisão é mais que uma profissão: é uma neurose. Esta neurose se caracteriza como uma espécie de sacrifício consentido (desejado) pelo revisor ; é um tributo à saúde (qualidade) da edição. O revisor se oferece, sempre, em sacrifício à Deusa do Idioma [Francês], portanto, todos aqueles que se dedicam a esse ofício nunca serão normais. (…)

Para o revisor, o importante não é o que ele sabe, mas o que ele está consciente de não saber ou, pelo menos, não saber totalmente, e que por isso exige permanente verificação. (…) O revisor não lê como todos os demais homens lêem, ele fotografa a palavra visualmente (…) O exercício da profissão do revisor pode ser descrito, perfeitamente, como uma “leitura angustiada”. O seu trabalho é, just…

Recomendações dos orientadores

Dicas de como ser um bom orientador.Os orientadores de mestrado ou doutorado são praticamente unânimes em determinadas orientações. Os revisores de textos repetem essas orientações, seguem-nas e verificam sua aplicação nos textos que lhes são submetidos.
Recomenda-se o uso da terceira pessoa do singular e da voz passiva na linguagem científica, que deve ser o mais despersonalizada possível. O relatório final é redigido no passado, admitindo-se o uso presente quando for apropriado. No projeto de pesquisa, tese ou dissertação, emprega-se o tempo futuro, pois o texto refere-se a intenções e não a fatos já consumados, como é o caso do relatório final.Evitem-se expressões taxativas. Por exemplo, não diga que "o resultado do teste da hipótese provou", prefira: "dado o caráter probabilístico inerente à estatística de inferência, pode-se afirmar que o resultado do teste da hipótese apresentou evidências de que…"Recomenda-se, também, cuidado no uso de sinônimos. Embora louvá…

Revisão de textos em perspectiva multidisciplinar

Revisão de textos não é tarefa para professor de português; a formação dele é diferente daquela do revisor e as experiências profundamente distintas. Nada impede que uma pessoa tenha as duas qualificações e os dois ofícios, mas é preciso prestar atenção se é o caso.O problema da monodisciplinaridade na definição do que seja revisão textual é a abordagem vinculada estritamente à tradição gramatical. A proposta mais moderna, no entanto, é que o estudo da atividade de revisão de textos deve ser realizado de modo multidisciplinar pela Linguística, pela Didática e pela Psicologia Cognitiva. Por essência, a revisão de textos é atividade multidisciplinar porque os pesquisadores que se debruçam sobre ela objetivam aprofundar conhecimentos sob diferentes perspectivas:

a revisão realizada por diferentes escritores (alunos, autores, revisores);em contextos de produção variados (profissional, escolar);em diferentes modalidades (manuscrita, informatizada, tomadas de notas);em diferentes níveis de f…

Não fazemos teses, dissertações nem artigos

Não adianta insistir: nós não fazemos teses, dissertações nem artigos científicos. Não participamos de nenhuma forma de fraude acadêmica. Não indicamos quem faça esses coisas nem temos relações com quem participe de contrafação. Colocamos avisos em toda nossa publicidade, mas  as pessoas de má índole têm dificuldade de entender que existam pessoas honestas. Vamos reiterar: somos revisores de textos. Fazemos revisão de teses e dissertações, artigos e relatórios acadêmicos; fazemos formatação e normatização. Não fazemos nenhum desses trabalhos (não redigimos os textos) para quem quer que seja. Não "completamos" trabalhos inacabados. Não temos ghostwriter em nosso quadro de colaboradores. Nosso trabalho é revisar os textos, verificar neles o que pode ser aperfeiçoado nos diversos aspectos linguísticos, comunicacionais, e apresentar uma proposta de programação visual segundo as normas que forem indicadas pelo cliente: ABNT, Vancouver, APA, por exemplo. É impressionante o número…

Revisão de texto acadêmico: coerência e coesão

Teses e dissertações requerem perfeita coerência.A coesão entre os parágrafos do texto acadêmico deve ser harmônica e moderna. Sem gongorismos e preciosismos arcaicos.A coesão textual em uma tese trata da conexão harmoniosa entre as partes do texto, do parágrafo, da frase. A coerência textual, por sua vez, é a relação lógica entre as ideias, em uma dissertação, por exemplo, fazendo com que se conectem e se completem, sem contradições e produzindo significância global. Revisão de texto visando coerênciaA coerência não apenas um dos critérios de textualidade entre os demais e muito menos centrado no texto. Coerência é o resultado da confluência de todos os demais fatores, aliados a mecanismos e processos de ordem cognitiva, como o conhecimento enciclopédico, o conhecimento compartilhado, o conhecimento procedural. A coerência resulta da construção de sentidos pelos sujeitos a partir do texto (e não somente no texto), para a qual estariam contribuindo, além dos outros critérios, os seguin…

Por que, porque, por quê, porquê

O porque dos porquês !Você sabe, com segurança, usar por que, por quê, porque e porquê? Essas expressões costumam causar confusão e até perplexidade, não é sem razão: são pronunciadas da mesma forma, dependendo da entonação, mas as grafias são quatro! Por que (separado, sem acento) – Em perguntas diretas ou indiretas, no início ou meio de frases. Neste caso, sempre cabe a palavra motivo.  Exemplo: Por que (motivo) trabalhas tanto? É a preposição por acompanhada do pronome interrogativoque. Não consigo formatar e não sei por quê. - Só o profissional sabe o porquê. Há construções que sempre causam dúvida. Estas são das tais. – Em construções em que pode ser trocado por pelo qual e suas flexões (pelas quais, pelos quais). Trata-se de preposição por acompanhada do pronome relativo que.  Exemplos: Só sei as esquinas por que (pelas quais) passei.  Conheci o rapaz por que (pelo qual) tua filha anda apaixonada. Por quê (separado, com acento) – Perguntas diretas ou indiretas sempre no final de frase; t…

Como se deve começar um texto acadêmico?

Do branco para a banca!Como começar um texto acadêmico? Como romper os bloqueios, o "branco" e outras barreiras psicológicas da redação?Cada gênero textual tem suas regras próprias que visam a otimizar a comunicação, mas também não se pode negar que haja um aspecto ritual ou simplesmente tradicional na preservação de certos rigores em alguns gêneros textuais, dentre os quais os textos acadêmicos, como as teses e dissertações. Textos científicos (ou acadêmicos, de modo geral) têm suas regras, impostas pelo seu objetivo principal: comunicar pesquisas, seus resultados, apresentando-os à comunidade científica. Essas regras, impostas pelo gênero, comumente dão causa a bloqueios de redação, principalmente para aqueles que estão se iniciando na vida acadêmica, mas algumas vezes, mesmo para quem já tem alguns anos de prática neste tipo de redação. Muitas vezes, a superação do bloqueio, o afastamento daquele "branco" ou a quebra das barreiras imaginárias pode podem ser feitos…

Revisão de dissertação ou tese: um modelo teórico

A revisão de texto para teses e dissertações tem um modelo teórico a seguir? Existem rotinas de procedimentos ou o revisor sai apenas procurando os erros de português?A finalidade da revisão do texto final do mestrado ou do doutorado é apurar a qualidade do material antes de ele ser submetido à banca de defesa. Isso é feito detectando-se e corrigindo-se problemas no texto com respeito às linguagens convencionais e à exatidão no significado, mas não se limitando a tais procedimentos. A propósito dessa referência sobre detecção e correção de erros em teses e dissertações, o senso comum é que a revisão se limita à correção, motivada pela detecção e identificação de algum mau funcionamento ou discrepância normativa existente no texto. Nesse sentido, a detecção de diferentes tipos de mau funcionamento, certamente, envolve diferentes tipos de conhecimento. As habilidades diferentes envolvidas no processo de revisão dependem do tipo de conhecimento requerido e das circunstâncias sob as quais …

Erros comuns em descrição de procedimentos

A descrição de procedimentos é corriqueira no texto científico e apresenta características textuais que devem ser observadas ao redigir, bem como ocorrem equívocos específicos a serem evitados. Redigir mal o objetivo, enfatizando o motivo da tarefa. Deve-se enfatizar a relação entre o procedimento e as hipóteses;Empregar locuções verbais: deverá entregar... poderá fazer... Usar preferencialmente o verbo no tempo adequado, modo do indicativo (nos parágrafos). No caso da descrição de etapas de um processo, numa enumeração, usar o infinitivo (numerar, mexer, usar), colocando-o no início da frase. Além disso, no texto de um procedimento deve-se evitar aparecer verbo que indique ação facultativa, como dever, poder;Colocar palavras inespecíficas na descrição. Ex.: ... deve identificar adequadamente o documento. (Adequadamente, como?) Essa forma é encontrada em normas, que são mais gerais, para que sejam adaptadas à realidade de cada caso;Numerar parágrafos. Um parágrafo é uma subdivisão não …

O gênero de discurso acadêmico-científico

O cientista deve conhecer o discurso acadêmicoO gênero acadêmico-científico tem características próprias, baseadas na semântica linguística finalística, e se constrói na descrição de um sentido linguístico de objetivos restritos. Todas as esferas da atividade humana estão sempre relacionadas à língua. O uso da língua se dá em forma de enunciados (orais e escritos), concretos e únicos, emanados integrantes da atividade humana. O enunciado mostra as condições específicas e as finalidades de cada uma dessas esferas: conteúdo temático, estilo verbal e construção composicional. Esses três elementos convergem para o todo do enunciado e todos eles são marcados pela especificidade de uma esfera de comunicação. Vê-se, então, que qualquer enunciado considerado isoladamente, é individual, mas cada esfera de utilização da língua elabora seus tipos relativamente estáveis de enunciados, que são os gêneros do discurso. Cada esfera dessa atividade se diferencia e se amplia à medida que a própria esfe…

Narrativa imagética: a ciência como prazer

Existe prazer na ciência e no bom texto.Construir uma nova estética do texto científico a partir de florações do imaginário em estado mais ou menos bruto, pulsante ainda. Parece uma tarefa fácil? Sim, se estamos no campo das técnicas profissionais da comunicação social, como é o caso do jornalismo.Josimey Costa da Silva*Sim, novamente, se apenas estamos lendo um texto de Gaston Bachelard, o mago teórico das imagens mentais. E não, se o que se deseja é tentar traduzir, em linguagem verbal, uma nova narrativa para a ciência. Ao contrário do que é usual para as ciências ditas “humanas”, a narrativa imagética não está estruturada primordialmente no texto verbal. O tratamento verbal, nessa nova narrativa, é justaposto, complementar. O verbal, às vezes, chega a ser contrastante com os demais elementos expressivos do texto. Texto, evidentemente, num sentido muito amplo. Às vezes, o verbal está até mesmo ausente do texto. Não se trata, aqui, da produção da um vídeo-documentário destinado à “div…

Como escolher um revisor de textos

Dicas sobre a escolha do revisor de textos.Como se escolhe um revisor de textos?Você acabou de terminar de escrever sua tese, sua dissertação e está na hora de procurar o revisor. Como escolher o revisor de melhor qualidade, competente e pontual?Algumas vezes as pessoas se veem na necessidade de contratar um revisor de textos e recorrem aos mecanismos habituais para fazer a escolha: indicação de conhecidos, propaganda em murais, ou recorrendo à internet – meio cada vez mais usual. De qualquer forma, a pessoa se vê na contingência de confiar seu texto a alguém que não conhece e cuja competência nem sempre está apto a avaliar. No processo de escolher o revisor, levam-se em conta alguns fatores óbvios que são os mesmos para qualquer profissional: a experiência do escolhido, sua qualificação, a responsabilidade na execução da tarefa, dentre outras. Quando a escolha se faz pela internet, boa parte da indicação fica a ser feita pelo Google – principal mecanismo de indexação e busca da atuali…

Plágio e fraude acadêmica

A ameaça de plágioO plágio é um problema grave e crescente na web. A qualquer momento, alguém pelo mundo pode copiar seu conteúdo on-line e instantaneamente colá-lo em seu próprio site, artigo ou tese - sem fazer qualquer referência à fonte. Depois de fazer pequenas mudanças, eles vão reivindicar seu conteúdo como próprio.

A Web é construída com trabalho árduo de pessoas honestas que dedicam seu tempo e energia para criar conteúdo original. A epidemia global de roubo de conteúdo viola os direitos das pessoas e desestimula a criação de conteúdo web. Copyscape foi criado como um serviço público gratuito para resolver este problema crescente. Os recursos abaixo podem ajudar a proteger seus direitos e se defender contra as ameaças de plágio e roubo de conteúdo. Evitar plágioTal como acontece com muitas outras coisas na vida, é melhor evitar o plágio antes que aconteça. Este simples Guia de Prevenção de Plágio vai ajudá-lo a evitar o plágio do conteúdo de seu site, ou seu texto - onde quer qu…

Revisão textual e ideologia na tese ou dissertação

A ideologia é hegemônica: estabelece e sustenta relações de dominação mesmo nos textos como as teses ou dissertações. A revisão de textos é parte do processo ideológico e não se furta a atuar nele. A discussão sobre ideologia aqui apresentada, no contexto das revisões, dá-se à luz da Análise de Discurso Crítica (ADC), na qual o conceito de ideologia é, inerentemente, negativo, e não neutro. Esse posicionamento não exclui, contudo, a preocupação com ideologias visuais investigadas no âmbito da Teoria da Semiótica Social da Multimodalidade (TSSM). Assim, as preocupações ideológicas, de alçada do revisor, permearão todas as análises. A representação do discurso não é mera questão gramatical, mas processo ideológico, o que sugere que analisar e revisar textos significa considerar as vozes que são representadas direta e indiretamente, passiva ou ativamente, nominal ou impessoalmente e, claro, quais as consequências dessas escolhas na intenção do autor e em seus reflexos perante o interloc…