Pular para o conteúdo principal

Quadro de normas da ABNT

Muitas vezes se mencionam as “Normas da ABNT“ como se fossem “lei” ou documento isolado que deva ser respeitado nacionalmente e que traz tudo exatamente como deve ser feito.

Como mesmo o plural da expressão menciona, há muitas normas diferentes emanadas daquela associação que se relacionam ao trabalho científico; em cada instituição de ensino ou pesquisa, ou em cada publicação adotam-se parcial ou totalmente essas normas, adaptando-as e modificando-as de acordo com o interesse específico.
Formatamos e revisamos tese e dissertação; ABNT e NGB.
Nós sabemos aplicar as normas da ABNT
ou qualquer outro padrão normativo
que seja indicado pelo autor.
A Associação Brasileira de Normas Técnicas, ao contrário do que muitos pensam, é instituição privada; suas normas são adquiridas em seus representantes, elas são documentos isolados, custam caro e não estão reproduzidas integralmente em nenhuma publicação de outra fonte, pois os direitos autorais sobre elas são fortemente resguardados.
Há casos de conflito interno no estabelecimento das normas, e de conflito entre as normas apresentadas, até pelas suas diferentes datas de atualização. Sobra a impressão de que as normas da ABNT sobre estes assuntos sejam elaboradas por pessoas que têm muito pouca competência em editoração, que não estão familiarizadas com multimídia nem com criatividade autoral. O que fazem é uma malfadada tentativa de nacionalização de normas internacionais (Vancouver, APA, ISO...), complicando-as e piorando.
Além do mais, cada um que lê o imbróglio normativo que a ABNT emana e o interpreta de forma diferente. Do ponto de vista das teses e dissertações, sobra o seguinte: a norma é o que o orientador entende que ela seja. Não importam normas institucionais ou outras leituras, senão a do orientador e, em última instância, a do funcionário administrativo encarregado de receber o trabalho para depósito e encaminhamento as bancas.
É apresentada a seguir uma relação dessas normas, a título de exemplo e para ilustrar a complexidade do assunto.

Normas da ABNT:

Norma/ Número
Ementa
Norma para datar
NBR-5892
Fixar as condições exigíveis para indicação da data de um documento ou acontecimento. Aplica-se a datas históricas que têm como referência o início da era cristã situada no começo do ano 1.
Apresentação de publicações periódicas
NBR-6021
Fixar diretrizes de ordem e clareza na apresentação de publicações periódicas. Destina-se a facilitar o trabalho de editores e impressores, possibilitando ao usuário sua melhor utilização.
Apresentação de artigos de periódicos
NBR-6022
Fixar as condições exigíveis para orientar colaboradores e editores de publicações periódicas científicas e técnicas, no sentido de uma apresentação racional e uniforme dos artigos nelas contidos.
Informação e documentação –   Referências – Elaboração: NBR-6023
Especifica os elementos a serem incluídos em referências. Fixa a ordem dos elementos da referência e estabelece convenções para transcrição e apresentação da informação originada do documento e/ou outras fontes de informação. Destina-se a orientar a preparação e compilação de referência de material utilizado para a produção de documentos e para inclusão em bibliografias, resumos, resenhas, recensões e outros. Aplica-se às descrições usadas em bibliotecas e nem as substitui (sic).
Numeração progressiva das seções de um documento: NBR-6024
Fixar as condições exigíveis para um sistema de numeração progressiva das divisões e subdivisões do texto de um documento, de modo a expor com clareza a seqüência, importância e inter-relacionamento da matéria e a permitir a localização imediata de cada parte. Aplica-se à redação de todos os tipos de documentos, manuscritos e impressos, com exceção daqueles que possuem sistematização própria, como dicionários, ou que não necessitam ser sistematizados, como os textos literários.
Revisão tipográfica: NBR-6025
Estabelecer regras e sinais de revisão de provas tipográficas, com a finalidade de simplificar o trabalho do revisor e o da oficina tipográfica. Não se aplica a qualquer alteração ou correção do texto original antes de ser entregue ‘a composição tipográfica; aplica-se, porém, a todas as alterações efetuadas pelo autor no texto já composto.
Legenda bibliográfica: NBR-6026
Fixar as condições exigíveis para a apresentação da legenda bibliográfica.
 Sumário: NBR-6027
Fixa condições exigíveis para a estrutura, localização e aspecto tipográfico do sumário.
Resumos: NBR-6028
Caracterizar os resumos e estabelecer uma técnica para sua redação e apresentação. Aplica-se a qualquer tipo de texto.
Apresentação de livros: NBR-6029
Fixa condições exigíveis quanto à apresentação dos elementos que constituem o livro. Destina-se a editores e autores.
Apresentação de ofício ou carta
formato A-4:
 NBR-6030
Fixar as condições exigíveis para a apresentação de ofício ou carta em formato A-4 (210mm x 297mm), estabelecendo a distribuição dos campos destinados a elementos que neles obrigatoriamente figuram.
Correções datilográficas: NBR-6031
Fixar as condições exigíveis para correção em trabalhos datilográficos. Aplica-se a qualquer tipo de trabalho feito por datilógrafo em entidades públicas ou privadas.
Abreviações de títulos de periódicos e publicações seriadas: NBR-6032
Fixar as condições exigíveis para uniformizar as abreviaturas de títulos de periódicos e publicações seriadas.
Ordem alfabética: NBR-6033
Fixar critérios de aplicações da ordem alfabética em listas, índices, catálogos, bibliografias e trabalhos de natureza semelhante.
Preparação de índice de
publicações:
 NBR-6034
Fixar as condições exigíveis de apresentação e critérios básicos para a compilação de índice de publicações. Esta norma destina-se principalmente às publicações técnicas e científicas, cuja extensão e complexidade exijam rápida localização das informações contidas no texto. Não se aplica aos índices automatizados que obedecem a diretrizes próprias.
Emprego de numeração
de semanas:
 NBR-9577
Esta norma aplica-se em todos os casos onde uma determinada semana do ano tem que ser definida para usos comerciais
Arquivos: NBR-9578
Definir termos empregados nos arquivos em geral
Preparação de indicadores de Bibliotecas, Centros de Informações e Documentação: NBR-10518
Fixar as condições exigíveis para a organização e informação dos indicadores de Bibliotecas, Centros de Informação e Documentação.
Critérios de avaliação de documentos
de arquivo:
 NBR-10519
Fixar as condições exigíveis para a racionalização dos arquivos brasileiros, públicos e privados, estabelecendo preceitos capazes de orientar a ação dos responsáveis pela análise e seleção de documentos, com vistas à fixação de prazos para sua guarda ou eliminação.
Apresentação de citações em documentos: NBR-10520
Fixa condições de apresentação de citações em documentos, para orientar autores e editores.
Numeração internacional para livro – ISBN: NBR-10521
Fixar as condições exigíveis para atribuição de um número a cada livro e tem por finalidade identificar, em termos internacionais, um título, particularizando inclusive a editora. Assim, o Número Internacional do Livro (ISBN – International Standard Book Number) referencia um título e edição específicos, justificando-se, portanto, sua impressão no livro.
Abreviação na descrição
bibliográfica:
 NBR-10522
Fixa condições exigíveis para uniformizar as abreviaturas mais comumente usadas, em português, na descrição bibliográfica de documentos em geral, especialmente monografias.
Entrada para nomes de língua portuguesa em registros
bibliográficos:
 NBR-10523
Fixa condições exigíveis para uniformizar a forma de escolha das entradas para nomes de língua portuguesa e o estabelecimento dos respectivos cabeçalhos em registros bibliográficos.
Preparação de folha de rosto
de livro:
 NBR-10524
Fixar as condições exigíveis na preparação da folha de rosto de livro e a forma como deve ser apresentada. Sua finalidade é permitir aos editores apresentar a folha de rosto de um livro de modo a facilitar seu uso pelos bibliógrafos, bibliotecários e usuários.
Numeração internacional para publicações seriadas
ISSN:
 NBR-10525
Fixar as condições exigíveis para definir e promover o uso de um código (ISSN) para identificação única de cada publicação seriada.
Apresentação de relatórios
técnico-científicos:
 NBR-10719
Fixar as condições exigíveis para elaboração e apresentação de relatórios técnico-científicos. Trata exclusivamente de aspectos técnicos de apresentação, não incluindo questões de direitos autorais. Conquanto não sejam objetos desta Norma outros tipos de relatórios (administrativos, de atividades e outros), é opcional sua aplicação, quando oportuna. Nesse caso, os documentos devem sujeitar-se, tanto quanto possível, ao disposto nesta norma.
Editoração de traduções: NBR-11635
Fixar as condições exigíveis para identificação e apresentação de trabalhos em publicações impressas.
Títulos de lombada: NBR-12225
Oferecer aos editores regras para apresentação dos títulos ou outra identificação nas lombadas.
Apresentação de originais: NBR-12256
Fixar as condições exigíveis quanto à forma de apresentação de originais para publicação. Tem por finalidade orientar o autor no preparo dos originais e racionalizar o trabalho de editoração.
Catalogação na publicação de monografias: NBR-12899
Fixa condições exigíveis à forma de apresentação dos dados de catalogação-na-publicação (CIP) em monografias impressas e os elementos a serem incluídos, a fim de facilitar aos bibliotecários, editores e usuários em geral a interpretação e uso desses dados.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação.O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo.A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). O que é um resumo?O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá. O resumo …

Normas básicas de digitação

Vale a pena digitar corretamente.A digitação correta é uma prática em desuso. Quase ninguém mais se preocupa com conceitos básicos da datilografia que foram transposto à digitação.Entretanto, formatar uma tese ou dissertação é infinitamente mais complexo que saber digitar num processador de textos. Nada dispensa a boa revisão. Aqui estão alguns problemas que sempre identificamos nas digitações problemáticas:A lacuna que separa os elementos gráficos (por exemplo, entre duas palavras) deve ser feita por um e apenas um espaço.O recuo do parágrafo, o alinhamento recuado das citações ou das tabelas etc. devem ser feitos por tabulação (ou então pelo recurso de estilo ou modelo, dos programas de edição de texto do computador).Não há espaço antes da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos).Há um espaço (e apenas um) depois da pontuação (ponto, ponto-e-vírgula, vírgula, dois pontos), a não ser na pontuação empregada nos numerais.Não há espaço depois do parêntese que abre nem ant…

Como escrever um texto acadêmico - as melhores dicas!

Aspectos gerais e específicos do texto acadêmicoUm texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.  Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.
Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem Tenha claro para si o tipo de texto que vai…

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H!Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato.Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. É necessá…

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância?Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações?Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português?Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem, mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno, da UnB, John Robert Schmitz, da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco, da UFPR.  (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimologia e da ignorância…