Pular para o conteúdo principal

O sigilo profissional da revisão de textos

Questão que preocupa muitos autores em relação a seus textos, e a preocupação faz realmente sentido, é a que se refere ao sigilo do revisor em relação ao trabalho.

Como revisores, consequentemente linguistas, vale lembrar que a palavra sigilo vem do latim, língua em significava "sinalzinho" - no sentido de símbolo destinado a guardar um segredo. O sigilo profissional do revisor de textos se refere ao resguardo do material que lhe é confiado, não o trazendo a público em prejuízo do autor.
Revisor não vê, não ouve, não fala mais que o necessário!
Enquanto o texto não for publicado
por seu autor, o revisor não o viu,
não ouviu falar dele e nada tem a
dizer sobre o que foi escrito.
O sigilo sobre o texto quer dizer que o revisor não pode nem vai publicar fragmentos ou a totalidade da produção do cliente, nem antecipar seu conteúdo por nenhum meio. Atualmente, com toda a facilidade da publicação eletrônica, seria bastante fácil a um profissional desonesto, e se for desonesto nem se pode dizer que seja profissional, antecipar-se com um fragmento de qualquer obra, em um blog, por exemplo; a facilidade de se fazer algo assim seria inimaginável há poucos anos. O revisor não pode fazer isso nem a título de que está dando publicidade a seu trabalho de revisor, exceto se a tal for expressamente autorizado pelo autor - o que é improvável que ocorra.
Nem vou mencionar a apropriação do texto alheio, a fraude (usar parte daquele trabalho em outra obra, por exemplo), ou o plágio: apresentar o texto do cliente como seu. Esses são casos diferentes da violação do sigilo e só estão ligados a ele por serem também práticas ilícitas.
Como o autor pode se precaver quanto á lisura do revisor? Bem, revisão de textos é uma relação de confiança, primordialmente. Autor e revisor devem construir entre si confiança no que tange à qualidade do trabalho de cada um e confiança na relação profissional, por exemplo, no que tange à pontualidade (na entrega do serviço e nos pagamentos), no que concerne ao limite entre o trabalho de um e a criatividade do outro (o revisor se age como consultor). Então, trate o autor de escolher bem quem vai revisar seus textos, ou a equipe com quem vai trabalhar, pois essa relação entre autor e revisor amadurece, o trabalho cooperativo valoriza o produto. Na escolha do revisor, observe a reputação que ele tem construído. Importantíssimo é jamais usar o serviço de revisão de alguém que "faça" trabalhos para os outros: será grande a probabilidade de que parte ou todo seu texto seja plagiado mais à frente. Outra providência que se pode tomar, quanto ao resguardo de direitos recíprocos, é a formalização do contrato entre as partes, por instrumento privado entre autor e revisor que terá ampla validade legal e específico condão inibidor de todo tipo de contrafação.
Um aspecto de que o revisor deve se resguardar é quanto a comentários estéticos ou qualitativos sobre os textos dos clientes. Revisor pode até ter vontade de ser crítico literário, mas não o é. Não é função do revisor opinar sobre conteúdo ou qualidade de textos, exceto se o cliente o demandar especificamente e, nesse caso, a crítica só deve ser fornecida ao autor que fará dela uso como subsídio a sua produção. Nós preferimos mesmo não fazer nenhum tipo de comentário dessa natureza, nem sob demanda dos autores.
Por outro lado, existem as coisas que o revisor pode fazer quanto ao trabalho revisado: ele pode dizer que o fez - o trabalho de revisão é legítimo e só valoriza o texto do autor. Quem faz um trabalho acadêmico e contrata um revisor, além de estar fazendo algo completamente ético, está demonstrando apreço por seus leitores e expressando a importância atribuída ao desempenho da atividade de comunicação científica. Então, que o crédito do revisor seja dado no trabalho, é de direito do profissional da revisão e de importância para o autor, por expressar o relevo que ele dá á qualidade de seu produto.
O revisor pode ainda dar a público seu trabalho de revisão, apresentando em seu portfólio tais e tais trabalhos que realizou para este e aquele clientes, assim como muitos profissionais o fazem. É legítimo, pertinente e útil que os revisores o façam, para que os autores saibam quem é o revisor pelos trabalhos em que já se empenhou. Quando se trata de um trabalho acadêmico, uma tese defendida, por exemplo, desde a defesa seu texto já é publico: partes dele serão mencionadas em outros trabalhos e seus fragmentos e ideias ilustrarão outras produções, resguardadas as citações autorais de praxe. Então, pode o revisor, da mesma forma, citar o trabalho que revisou e dar a ele publicidade que, de muitos modos, será também do interesse do autor. Todas essas questões podem também ser tratadas no contrato, limitando ou ampliando-se esses direitos de menção, citação e divulgação dos trabalhos de cada uma das partes.
Textos acadêmicos requerem sigilo por parte dos revisores.
Revisor tudo vê, mas não fala, nem ouve.
Se houver muito erro, revisor não houve!

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância? Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações ? Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português? Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem , mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno , da UnB , John Robert Schmitz , da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco , da UFPR .   (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimol

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo? Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada? Claro, qualquer autor deseja isso! Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos , que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem: Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA. Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certame

Pré-texto do trabalho acadêmico: da capa ao sumário

Capa, dedicatória, sumário: não perca tempo. Você certamente tem muito mais coisas importantes a fazer que ficar se preocupando com os detalhes formais das partes introdutórias da tese ou dissertação. Deixe tudo isso para o formatador, ele fará mais rápido e melhor. Sempre nos impressionam a dificuldade e os questionamentos que os estudantes encontram no que se refere às capas de seus trabalhos acadêmicos . Não se trata de uma questão de fundo, de questão complicada ou questionamento estético - mas de mero cumprimento a um procedimento lógico e absolutamente corriqueiro, entretanto, dentre as centenas de postagens deste blog, é o tópico que mais aporta visitantes a nosso texto. Aqui eu vou tecer comentários quanto a visitação e quanto ao significado que ele pode ter. Teremos enorme satisfação em cuidar de todos os detalhas da formatação de sua tese. Capa e elementos pré-textuais são a parte mais simples da tese. Faça toda a formatação da tese ou dissertação na Keimelion e não se pre