Pular para o conteúdo principal

Tese e dissertação contra o tempo – prazo e urgência versus revisão do texto

Revisão urgente e perfeita: isso não existe.

Qual o prazo para você fazer a revisão? - O prazo é o cliente que determina, já que nunca haverá mesmo o tempo de que o revisor necessita.

Todos os revisores de textos enfrentam o problema dos prazos para a revisão. Normalmente, o autor quer segurar o trabalho até a penúltima hora e então solicitar uma "revisão urgente" do produto. Seria necessário que as pessoas que escrevem entendessem um pouco que isso de "revisão urgente" não existe, assim como "revisor de última hora" é praticamente impossível de ser encontrado. Principalmente no que se refere aos revisores mais experientes e de maior demanda no mercado.
Autores que têm uma data final para apresentação do texto gostam de revisão à última  hora.
O prazo para o serviço e o tempo necessário à revisão não podem estar em conflito.
Vamos apresentar uma lista de problemas quanto à revisão urgente e tentar indicar a solução em cada caso - mas já se pode adiantar que a solução é não deixar a revisão para a última hora e não procurar um revisor à véspera.
Share on Tumblr
  • Primeiramente, não confunda a velocidade prevista e anunciada para a revisão do texto com prazo. Se um revisor anuncia que revisa 30 laudas por dia, não espere que ele te entregue de um dia para outro seu trabalho de 25 páginas: o revisor pode estar ocupado com outro trabalho, ter uma viagem, ou qualquer outro tipo de;compromisso;para aquela data. Tente agendar com a possível antecedência, mesmo que trabalho ainda esteja em finalização.
  • Depois, se você considera que o revisor vai dedicar o fim de semana ou as noites para revisar seu texto, esteja certo de que ele, ou sua equipe, como profissionais, poderão cobrar adicional noturno, horas extras e onerar ainda mais o serviço. Pense que revisores têm horário de trabalho e descanso, como todos os profissionais e seu texto não é o mais importante da vida deles, como pode ser para você. Programe-se para dar os revisores dias úteis para fazerem seu trabalho.
  • Também leve em conta: muitos revisores são profissionais que exercem exclusivamente essa função, outros têm empregos em editoras, lecionam... Se você vai precisar de um serviço em tempo apertado, não vai poder contratar um revisor que exerça outra atividade, muito provavelmente, não. Precisará de alguém que se dedique com exclusividade à revisão de textos (são os mais caros!); tudo que já foi dito sobre os revisores, nos tópicos anteriores, se aplica com mais intensidade no caso do revisor que atua;exclusivamente como tal.
  • Em seguida, as melhores revisões de texto são interativas; isso significa que o revisor vai desejar discutir uma série de critérios com o autor. Se o autor não estiver disponível para tanto, a revisão passa a ser uma sequência de imposições do revisor sobre o texto; depois o autor reclama: "O revisor mudou isso e eu não vi!" -  Mas não viu por não ter tempo de ver. O revisor é um consultor e a revisão de boa qualidade requer a participação do autor. Para isso, é necessário haver tempo. Tempo cronológico e tempo disponível do autor.
  • Ainda mais, os melhores revisores de textos têm grande demanda por seu trabalho, então não espere encontrar um bom profissional disponível à última hora. Se você desejar reservar um espaço na agenda do revisor, é provável que seja necessário um contrato e pagamento de arras. Essa é a forma mais segura, para ambas as partes, de que aquele profissional esteja disponível, naqueles dias, para tal trabalho.
  • Por fim, procurando uma empresa de revisão, como a Keimelion, as dificuldades expostas acima têm mais possibilidade de serem contornadas, mas todas as questões permanecem. Portanto, sempre tente agir com antecedência, sondando, orçando, e contratando a revisão do seu texto previamente.
  • Para o autor, deadline não é a hora de entregar o textos para impressão, mas o momento em que ele deve ser encaminhado à revisão!

Dicas para poupar tempo com formatação de tese ou dissertação

Trabalho acadêmico tem esse nome porque dá trabalho, mas é muito frustrante quando o trabalho implica perda de tempo, por causa de trabalho inútil, ou retrabalho, por perda de parte ou de tudo que já foi produzido. As dicas que se seguem são destinadas a quem pretende contratar os serviços profissionais de formatação, para não perder tempo fazendo coisas que serão desfeitas ou refeitas pelo formatador do texto. Uma boa formatação depende de conhecimento dos editores de textos (Word) bem acima da média, assim como depende de conhecimento das normas (ABNT, Vancouver, API...) e das interpretações mais correntes que os regulamentos acadêmicos e os orientadores dão a elas. Portanto, normalmente, não vale a pena a pessoa tentar apreender esses recursos e regras para um trabalho esporádico.

Se você já se decidiu a contratar a formatação do trabalho, também a revisão do texto, eventualmente, aqui vão as dicas para economizar tempo e esforço:

  • Salve o trabalho com seu nome. Faça como nas citações: Tal, Fulano de. 2013a.docx, por exemplo. Isto identifica o autor, a data e a versão do trabalho, evitando confusões. Repare no nome do arquivo: começar com seu nome, para não haver confusão com o trabalho de outros autores. Não precisa de traços_assim, nem entre-as-palavras. Não precisa de data: ela sempre é inserida automaticamente ao salvar o arquivo. Use uma letra após o ano para identificar a versão do trabalho, mas não crie nova versão toda hora, faça isso após cada leitura de orientação, por exemplo – para não criar um mundo de versões e não se confundir.
  • Evite editar (escrever, corrigir, modificar) qualquer coisa em um arquivo que estiver sendo apreciado por outra pessoa (orientador, revisor...) – isso pode levar ao conflito de versões, um grande problema.
  • Dispense os estilos pré-determinados para formatar o texto e os modelos, o formatador vai retirar tudo e colocar os estilos da confiança dele.
  • Usar ENTER para abrir espaço entre parágrafos é do tempo da máquina de escrever. Se você fizer isso, o formatador vai retirar todos os ENTER excedentes. Também não use ENTER para dar espaços depois de títulos, capas ou para avançar para próxima página.
  • Use espaços apenas entre palavras e símbolos, não para centralizar ou para ajustar tabelas e imagens.
  • Basta numerar corretamente os títulos e subtítulos (1 – 1.1 – 1.2...), o formatador fará tudo ficar bem apresentado com os tamanhos e espaços devidos.
  • Espaços ou tabulação não são indicados para fazer a início de parágrafo. O estilo adotado fará isso de acordo com a programação visual proposta pelo formatador.
  • Fazer sumários, índices e coisas do tipo será inútil. O formatador vai descartar tudo que você fizer e fazer de novo, bem melhor.
  • Mantenha seus arquivos nas nuvens (se você não sabe o que é isso, trate de aprender e ficar protegido). Arquivos em HDs e pendrives estão sujeitos a perdas e danos.
  • Contrate a revisão e a formatação com o mesmo profissional, fica mais barato e mais bem feito. Melhor ainda se for escolhida a Keimelion.

Postagens mais visitadas deste blog

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na Keimelion Os estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos , apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências . Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  As normas são muitas para as referências, mas o princípio é sempre o mesmo: a transparência. Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a qua

A seleção do título no artigo científico

Título de artigo pode ser pedra angular na carreira Um artigo científico cujo titulo foi bem escolhido tem mais leituras e mais citações! Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.  O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza. O título é parte de um texto, e parte importante, sobre a qual é necessária alguma reflexão e para cuja elaboração existem técnicas. Nunca despreze a importância do título. Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos releva

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância? Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações ? Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português? Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem , mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno , da UnB , John Robert Schmitz , da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco , da UFPR .   (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimol

Como escrever títulos atraentes em poucos passos: do artigo à tese

Como aumentar o número de leituras de seu artigo? Você gostaria que sua tese ou dissertação fosse muito lida e citada ao invés de ignorada? Claro, qualquer autor deseja isso! Acontece que, atualmente o número textos acadêmicos que encontramos em qualquer pesquisa é muito grande, enorme. A concorrência entre todos os autores, na busca pelo leitor, não tem tamanho. Claro que o mais importante sempre vai ser a qualidade do trabalho, e clareza das ideias e um texto bem limpo, mas o título tem que ser um ponto de destaque também! E existem técnicas para títulos atrativos , que fujam do enfadonho jargão acadêmico e que transmitam a mesma ideia com uma linguagem mais moderna e atraente; veja um exemplo de título à antiga – que eu jamais adotaria – para esta postagem: Questões de legibilidade, ergonomia visual e empatia em títulos de teses, dissertações e artigos acadêmicos: uma discussão propositiva de aplicação da técnica AIDA. Convenhamos, dá até preguiça de ler até o fim, mas você certame

Método científico ou experimental – a pesquisa e a redação

O método científico é a base da pesquisa. Nos tempos antigos o homem tentou explicar fenômenos naturais, mas tudo se atribuía à ação das divindades, ou à bruxaria e magia. Com Galileo Galilei (1564-1642), foi introduzido o método experimental ( método científico ): ele se baseia em uma primeira observação, seguida de um experimento, desenvolvido de forma controlada, para que nós possamos reproduzir o problema que se deseja investigar. O experimento visa validar ou refutar a hipótese de que o cientista formulou, que visa explicar os mecanismos de funcionamento de determinado evento. Revise seus textos na Keimelion: nossa experiência no ramo é desde o século passado! No primeiro caso (validação da hipótese) prossegue-se com a execução de grande número de experimentos, para que os resultados obtidos sejam confiáveis (análise estatística): os dados coletados são processados e em seguida, formula-se uma teoria: ela é usada, muitas vezes em conjunto com outras teorias para a formulação de um