Pular para o conteúdo principal

As dúvidas e o bloqueio da redação

Todos os autores já experimentaram a sensação: surge uma dúvida linguística e a ela interrompe o raciocínio na hora de escrever. Quem está produzindo uma tese ou dissertação não pode enfrentar esse tipo de problema, o mesmo ocorre com quem escreve um romance. O melhor procedimento é deixar a redação fluir, registrar primeiro a ideia e depois se preocupar com a correção do texto, seu aperfeiçoamento. Não perca a concentração sobre o que está escrevendo, pois sua ideia pode nunca mais voltar, mas a questão gramatical ou estilística pode ser resolvida mais tarde.
Temos orgulho de colaborar em dissertações excelentes.
O papel da revisão de textos é evitar
que as dúvidas atrapalhem o autor e
o leitor, melhorando a comunicação.
Mas, e se se depois a dúvida for esquecida? E pode ser que aconteça, principalmente em textos grandes. E se nunca mais você se deparar com aquele pequena questão da redação em sua enorme tese? Esteja certo de que haverá centenas de micro questões em todo texto. Depois de escrito, lido e relido, o autor não se lembra mais desses detalhes – ou não os vê. Bem, então é hora de contratar o revisor de textos. Revisor de textos é aquele profissional caro que dedica sua vida se treinando para estar atento às mínimas questões de língua. Ele vai enxergar aquele problema que você viu, vai sanar a dúvida que você teve e vai apresentar uma solução estética e comunicacional a seu texto. O revisor var enxergar ainda muita coisa que você não viu e ter certezas sobre dúvidas que você nem teve.
O revisor de textos se preocupará com tantas coisas sobre o que você escreveu que você nem pode imaginar: da ortografia, concordância e das questões corriqueiras da gramática todo autor tem notícia, mas e da coerência e coesão, você sabia? E quanto a eufonia e ritmo das frases? Você prestou atenção aos elementos anafóricos e catafóricos em seu texto? As construções passivas são uniformes e o corpus léxico é condizente com o registro do texto? Bem, isso é para o revisor tratar. Cuide de sua área de conhecimento, da qual o revisor terá muito pouca notícia, afinal você é o maior especialista do mundo em sua pesquisa, mas não queira entender de texto tanto assim.
Por outro lado, se você trabalha exatamente com o texto como objeto de sua pesquisa, a questão é outra: nesse caso você conhece bem a necessidade de um leitor externo, experiente e competente, que tenha distanciamento de seu produto para ter sobre a redação a visão alterna, o ponto de vista do leitor.
Em qualquer caso, quem já escreveu e viu a interferência de um revisor profissional sobre um bom texto, sabe bem o quanto a emenda melhora o soneto. Todo texto pode sempre ser melhorado, inclusive pelo próprio autor. Mas chega-se a um ponto em que somente um profissional competente pode dar a polida final que vai valorizar o produto para ele tenha o brilho que os leitores merecem. A revisão evita ao leitor a quebra na leitura, a interrupção do raciocínio que um texto com um problema linguístico apresenta. Aquela dúvida que atrapalhou a redação, lá no início, vai atrapalhar a interpretação aqui no fim – mas só se o revisor não tiver atuado.

Postagens mais visitadas deste blog

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

Melhore o resumo de sua tese ou dissertação.O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo.A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo). O que é um resumo?O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá. O resumo …

Principais estilos de citações bibliográficas e referências

Formate sua tese ou dissertação na KeimelionOs estilos de citações são muitos, cada revista científica, cada programa de pós-graduação decide qual estilo vai adotar, como fazer as citações. Primeiramente, vale informar que "estilos científicos" não são estilos "literárias", mas a edição de estilos, ou seja, modos de apresentação de conteúdo estruturados, formas de escrever artigos científicos, apresentação, organização de conteúdo, formas fazer abreviações, anexos e fotos presentes nos textos e, além disso, formas de citações bibliográficas e de referências. Por isso as formas de citações dependem de cada estilo científico.  Para trabalhar com estilos de citações, é melhor usar um gerenciador de bibliografias como Refworks, Zotero, EndNote, Reference Manager, BibText e outros similares. Mesmo o Word que todo mundo tem faz esse serviço. O que impressiona muito é que a quase totalidade dos autores brasileiros não faz uso de nenhum desses programas e nem sequer sabe que…

Quinze dicas para a hora de defender a tese

Defesa de tese ou dissertação: hora H!Depois de ter concluído a tese, é essencial que o aluno se prepare para a apresentação oral do trabalho.  Um excelente texto não garante que a exposição na etapa final seja boa e, se o aluno não apresentar a tese de forma satisfatória, os examinadores podem subestimá-la ou até mesmo duvidar da preparação científica do candidato.Geralmente a apresentação oral da tese é geralmente é feita por meio de slides em Powerpoint ® (ou software similar) contendo texto, figuras, tabelas, desenhos e fotografias. Bons slides não são tudo. O aluno deve estar preparado e conhecer ponta a ponta o conteúdo, coordenando bem a apresentação conforme explica os slides e se comportando de forma adequada durante essa etapa do trabalho. Abaixo apresentamos algumas dicas, tanto referentes à formatação e estilo da apresentação de slides, como à discussão da tese – aplicáveis a muitos contextos, como um concurso, entrevista de emprego ou uma apresentação de negócios. É necessá…

A tese: material e métodos, resultados e conclusão, estilo e referências

Tese e dissertação são textos logos do gênero acadêmicoAs partes das teses e dissertações pode constituir subgêneros específicosA escrita da tese segue parâmetros distintos nas seções específicas do texto, guardando unidade de estilo e coerência entre todos os segmentos do trabalho. Assim, a introdução pode ter, por exemplo, uma passagem mais pessoal, que relate a ligação do autor com a temática, e partes que analisem discursos de sujeitos entrevistados podem requerer transcrições literais - segmentos repletos de oralidade, o que não é admitido em outros trechos no gênero acadêmico. Já os resumos, são outro tópico, e merecem uma postagem só para eles. Material e métodos: descrever equipamentos e procedimentos Nesta seção o autor deve explicar claramente como o experimento foi realizado, e como foi realizada a análise estatística dos dados, podendo também utilizar as sugestões indicadas para escrever a introdução e buscando garantir que: Os leitores possam compreender e avaliar o experim…

Estrangeirismos e redação acadêmica

O que é estrangeirismo? Por que a implicância?Pode-se ou deve-se usar estrangeirismos em teses e dissertações?Existe linguagem científica sem estrangeirismos? Onde encontrar as palavras em português?Estrangeirismo ou peregrinismo é o uso de palavra, expressão ou construção estrangeira que não tenha equivalente vernácula em nossa língua. É apontada nas gramáticas normativas como um vício de linguagem, mas há muito esta é apontada como uma visão simplista por diversos linguistas, como Marcos Bagno, da UnB, John Robert Schmitz, da UNICAMP e Carlos Alberto Faraco, da UFPR.  (Wikipédia) Talvez seja conseqüência de um conjunto de fatores o que leva os brasileiros a imaginar como místicas e esotéricas as palavras ordinárias usadas no inglês para dar nomes às coisas. Nesse conjunto, constato a presença do deslumbramento pelos falantes de inglês, da ignorância da língua portuguesa, da ignorância da língua inglesa, da ignorância da cultura estrangeira, da ignorância de etimologia e da ignorância…