Revisão de textos: pessoas, processos, produto

A revisão de textos é serviço que está no mercado como diversos outros, assemelhando-se a todos os demais no que se refere às necessidades de qualidade, atendimento e de profissionais.

O foco em pessoas, processos e produto no mercado tem tido grande visibilidade a partir da série de TV transmitida no Brasil sob o título de O Sócio (The Profit – no original), em que Marcos Lemonis socorre diversos negócios com aporte de capital e de seus conhecimentos empresariais. Temos visto que a trilogia dos pês se aplica quase universalmente ao mercado; por isso, tentamos entender como ela se relaciona a nosso serviço, como revisores de textos.
A revisão de textos é serviço a ser prestado com todas as exigências de qualidade que o mercado requer.
A revisão de textos é serviço
que requer pessoal qualificado,
processos bem estabelecidos,
para alcançar um produto
satisfatório.
Antes de mais nada, veja que nosso serviço não é exatamente como qualquer outro, em que os profissionais de boa qualidade podem prestar sempre serviços assemelhados. A venda de um objeto, por exemplo, pode ser mais ou menos bem-feita, mas o objeto será o mesmo comprado em qualquer balcão. Nas revisões de textos, mesmo as excelentes, cada qual chegará a um produto final diferenciado: por isso, podemos dizer que revisão de textos é serviço personalíssimo!
Mas, nós, revisores de textos da Keimelion e empresários do ramo, temos que estar focados em pessoas – pois a qualificação de revisores, sua experiência, profissionalismo e formação são fundamentais; temos que ter em vista os processos, pois precisamos ser encontrados pelos clientes, precisamos transmitir a eles confiança em nossos serviços, é necessária transparência naquilo que ofertemos, e precisamos apresentar diferenciais em relação aos concorrentes; nosso produto é um pouco diferente da maioria, pois recebemos o texto do cliente e nosso compromisso é devolvê-lo melhor, em muitos sentidos, e de tal forma que agrade ao cliente e ao público a que o texto se destine. Isso tudo implica em incontáveis elementos de subjetividade com os quais trabalhamos cotidianamente, em cada serviço nosso.
Vamos discutir e apresentar agora, a revisão de textos no enfoque da Keimelion quanto a pessoas, processos e produto. Essa visão que temos hoje é resultado da experiência de mais de quinze anos no mercado de revisão de todo tipo de texto, mas com foco em teses, dissertações e artigos científicos. Nossa principal área de atuação é o meio acadêmico, com seus textos bem peculiares e suas necessidades específicas, mas também atendemos a clientes das mais diferentes áreas empresariais, revisando relatórios, projetos, propostas comerciais, atas e todo tipo de texto que as empresas produzem. Também temos em nosso portfólio alguns romances revisados, livros de arte, poesia, memórias, biografias. Afinal, nosso objeto é um só: o texto, em suas mais diversas versões e mais variados gêneros – bem como temos lidado com textos destinados às mais diferentes mídias; desde as teses até blogs, desde a imprensa até a televisão.

As pessoas na revisão de textos

O revisor de textos é profissional muito peculiar. A princípio, o revisor era visto como alguém pago para ver defeitos no trabalho dos outros – o que não é nada simpático. Atualmente, o revisor deve ser apresentado como o colaborador que vai agregar qualidade a um produto textual – e é assim que procuramos ser vistos!
Na Keimelion, trabalhamos sempre com um quadro reduzido de pessoas; não acreditamos na possibilidade de ampliação do negócio além das fronteiras em que possamos manter a qualidade nos serviços, e sempre fomos bastante seletivos quando aos colaboradores.
Primeiramente, sempre procuramos ter colaboradores formados por nós mesmos, a partir de estagiários que captamos em cursos de Letras das mais conceituadas instituições de ensino do país. Nosso objetivo sempre foi treinar pessoas segundo nosso processo de trabalho (isso será desenvolvido à frente), portanto, nunca agregamos profissionais já amadurecidos e experientes – mas que já têm seus próprios processos de trabalho. Também, sempre trabalhamos com pessoas que se dediquem exclusivamente à atividade de revisão de textos: ser revisor, para nós, não é nem pode ser um “bico” ou atividade de complementação de renda. Claro que nossos estagiários também são estudantes, mas os revisores não são professores nem jornalistas visando complementar salários. Revisão de textos é ofício especializadíssimo hoje em dia, requer dedicação, foco, empenho, profissionalismo, tempo e erudição específicos; podemos dizer que existe uma “cultura do revisor de textos” – no sentido em que o profissional, para nosso quadro, para nosso processo e para entregar o produto como nós pretendemos, tem que ser dedicado à revisão textual, senão exclusivamente, pelo menos prioritariamente. Ninguém é meio revisor ou revisor de meio tempo – ainda que seja possível ser outra coisa além de ser revisor. Digamos que, como o revisor pode ser considerado (metaforicamente) um juiz dos textos alheios, ele pode, como o juiz, ter um cargo no magistério (por exemplo!). Todavia, isso não ocorre conosco: a Keimelion só tem revisores de textos exclusivamente dedicados à revisão.
O revisor de textos é profissional bem caracterizado que, alegoricamente, pode ser descrito como um obcecado por aquilo que faz. Primeiro, revisores são leitores compulsivos, pessoas familiarizadas com todo tipo de textos e que têm os olhos treinados para “devorar” um número de palavras muito maior que o leitor comum, estabelecendo ou procurando entre elas as conexões sintáticas e semânticas mais obscuras, difusas e distantes – com atenção a detalhes que são relegados imperceptivelmente pelos autores e pelos leitores comuns. O revisor de textos não se improvisa, o revisor de textos não está formado, o revisor de textos nunca aprendeu tudo o que é necessário; revisor é profissional em continua construção, mas é necessário que ele seja alguém que esteja em construção há muito tempo: é necessária muita experiência para o amadurecimento de um revisor bem qualificado; não se improvisa erudição, não se forma um leitor à última hora, não se cria um revisor de textos ensinando gramática e linguística a alguém cujos olhos não tenham percorrido alguns anos-luz pelas linhas dos livros. O revisor de textos é um leitor que lê como especialista e, para se tornar especialista em ler, é necessária muita leitura. O revisor de textos é o profissional que lê o texto como olhos do ofício e com olhos de quem não é linguista, situando-se sob a pele do público-alvo daqueles escritos.

Os processos da revisão de texto

A revisão de textos tem um processo básico, necessário, antigo e consolidado a que nós estamos inteiramente afetos: ler, reler, ler outra vez, ler novamente e ler quantas vezes forem necessárias e quantas vezes o tempo disponível e o orçamento estipulado permitirem. Nenhum texto fica pronto sem inúmeras releituras, sem infinitas revisões; na verdade, nenhum texto fica pronto nunca! Apenas, acabam o tempo ou o prazo disponíveis para aquele texto – e ele têm que seguir seu percurso até o leitor final. Mas nós sistematizamos na Keimelion esse processo, dividindo-o em fases, “camadas” de leituras de diferentes profundidades e nas quais nos concentramos em diferentes aspectos do texto, mas sem descuidar de nenhum ponto que ressalte à vista a cada revisão. As revisões primárias são mais árduas, depuram aspectos mais recorrentes dentre os problemas do texto; nas fases seguintes, sucessivamente, os aspectos mais sutis vão se destacando, à medida em que as necessidades maiores foram sanadas; nas etapas finais da revisão, o chamado “pente fino” busca questões muito discretas, problemas obscuros e defeitos renitentes do texto.
Mas falamos até aqui do processo de revisão em si, o serviço do revisor da Keimelion tem questões antecedentes à revisão, tem procedimentos específicos ao curso o trabalho e tem serviço de pós-venda, pois ainda atendemos ao cliente em questões atinentes a cada texto mesmo depois de termos concluído nosso trabalho.
O primeiro aspecto da prestação de serviço é a captação de clientes. Existe um mercado, existem diferentes profissionais atuando nele, uns melhores, outros nem tão bons, e é necessário que tenhamos visibilidade – primeiramente – para que nosso cliente nos localize, depois, é necessário que transmitamos credibilidade: nós somos capazes de fazer aquilo que o cliente procura, e precisamos entender a necessidade do cliente bem como precisamos fazer o cliente, o autor, como é mais comum no nosso caso, fazer o cliente ver quais são as necessidades que ele tem. Por exemplo, muitos autores nos procuram solicitando uma “correção de português” – quando a revisão é bem mais que isso; revisão é um conjunto de interferências mais ou menos profundas no texto, visando adequá-lo a seu fim, ampliar-lhe a credibilidade e aperfeiçoar sua comunicabilidade. Então, tudo isso precisa ser demonstrado ao cliente que, em geral, não tem tantas preocupações com seu escrito, desejando, no máximo, que o texto esteja “certo” segundo algumas normas básicas de ortografia e gramática. Mas é bem seguro que certo não é exatamente a mesma coisa que bom. Um texto pode estar certo, sem que tenha ficado bom. O papel da revisão é fazer com que o texto se apresente o melhor possível, segundo as condições que se apresentem. Entre o certo e o melhor possível existe todo tipo de lacuna, de distância, de possibilidades. Nossa meta é satisfazer o cliente, o autor e o leitor, tanto quanto pudermos.
Para captar nossos clientes, temos procurado estar visíveis onde se procuram os profissionais: na internet. Para isso temos este blog e sites profissionais; na verdade, estamos presentes na maioria das mídias sociais da internet. Procuramos apresentar nosso trabalho, nossa filosofia, nosso portfólio e nossas condições de trabalho com máxima clareza e de forma a nos destacar em um mercado tão concorrido: o fato é que basta alguém ter um tempo disponível, declarar-se revisor de textos e publicar algum anúncio dizendo que faz o serviço. O autor consciente não aceita entregar o texto a alguém sem procurar saber de quem se trata, é necessária uma recomendação ou um nome na praça que justifiquem a confiança de entregar ao revisor seu texto, bem como o autor deve estar ciente de que o processo de revisão que será feito atenderá sua demanda.
Na internet, nós publicamos nosso portfólio, nossos textos teóricos, nosso contrato de serviços, nossas rotinas de revisão, nossos preços... Todas as condições e características do serviço que prestamos estão à vista do cliente. Transparência total na demonstração de quem somos. Também nosso endereço físico, endereços eletrônicos, telefones em várias capitais do país são amplamente divulgados. Fazemos constantes publicações no blog há mais de uma década! Tudo isso nos garante excelente visibilidade nos buscadores como o Google, Yahoo e todos os demais.
Então, o cliente nos procura, por algum dos meios que criamos para tal, e nós respondemos com imediata informação sobre os serviços, atendendo a qualquer questão que o cliente nos apresente. Enviamos orientações sobre a redação que podem anteceder a fase da revisão, evitando trabalho extra ao cliente e até ganhando tempo para ele! Tudo isso também pode resultar em economia para o autor, evitando retrabalho e reincidência de custos.
Quando recebemos um texto para orçamento, ele é imediatamente quantificado, avaliado e o orçamento é enviado ao cliente. Frequentemente, também enviamos ao cliente uma amostra da revisão: algumas páginas demonstrando nossos critérios e permitindo ver que o cliente vai acompanhar tudo que será feito, tendo acesso diário ao “estado da arte” e podendo discutir cada interferência e todos os procedimentos com o revisor (ou os revisores), ficando assegurado que o produto ficará a contento e a tempo, segundo o prazo estabelecido.

O produto da revisão de textos

Nós recebemos um produto do autor, seu texto – e devolvemos ao autor (ou cliente empresarial) o mesmo produto, melhorado, aperfeiçoado, evoluído, transformado. O texto que o cliente nos envia e o texto que o cliente recebe de nós é exatamente o mesmo quanto ao conteúdo, quanto à forma e quanto às características autorais, mas será outro texto quanto à correção, à credibilidade, à legibilidade. A função da revisão de textos, sempre, é agregar valor e qualidade a um produto textual, de qualquer tipo.
Nós não dizemos mais que fazemos correções em textos, até porque as noções de certo e errado estão se transformando na linguística; revisores fazem interferências no texto alheio, interferências em consonância com os objetivos do texto, segundo gênero textual em que o texto se enquadra (gênero acadêmico, literário, formal, informal, criativo, técnico…) e de acordo com as orientações recebidas do autor durante todo o processo. Em se tratando de textos longos, como os que são mais recorrentes dentre os serviços da Keimelion, estamos muito atentos às questões da coerência microtextual (orações, frases, parágrafos) e macro textual (tópicos, capítulos, tomos…), integrando o mais perfeitamente possível todos os segmentos do texto. Para isso, nós não recomendamos a nossos clientes a revisão de textos longos em partes. Que o texto todo esteja concluído antes de se iniciar o processo de revisão. Também é necessário que o texto se faça acompanhar de todos os elementos gráficos que o integrarão, já que os aspectos intertextuais também são passíveis de revisão. Os textos se referem às imagens e é necessário que haja perfeita concordância entre as informações escritas e visuais.
Para concluir, nosso produto é um aperfeiçoamento. Nós vendemos melhorias. Nós vendemos contribuições para que haja mais sucesso com os textos. Todos querem ser lidos e acreditados naquilo que escreveram. Nada agrega mais credibilidade ao texto que sua qualidade linguística e comunicacional. Este é o ramo do revisor de textos: valorizar os escritos autorais, agregando valores inerentes e latentes ao produto original.