28 de janeiro de 2015

A seleção do título no artigo científico

Poucos refletem sobre os títulos de seus artigos científicos e até mesmo sobre os das teses. O revisor do texto poderá oferecer alternativas, mas considere um pouco os princípios que apresentamos.

O título do artigo científico deve ser definido, se possível, com o menor número de palavras para descrever adequadamente seu conteúdo. Digamos que ele seja o "cartão de visita" do trabalho. A maioria das pessoas que acessam o artigo não o lê completamente, um dos motivos que desencadeiam essa situação é um título desinteressante que não reflita o conteúdo do artigo com precisão e clareza.
Títulos são problema desde o tempo de artigos escritos à pena e tinteiro.
O título é parte de um texto, e parte
importante, sobre a qual é necessária
alguma reflexão e para cuja
elaboração existem técnicas.
Primeiramente, pense bem sobre o conteúdo de seu trabalho, identificando termos relevantes e, por meio de pesquisa, apurando títulos de trabalhos semelhantes e tentando identificar o seu dentre eles.

O título deve ter as seguintes características:

Ser atraente, para que descreva o conteúdo do artigo de forma específica, clara, precisa, breve e concisa.
Ativar a atenção do leitor a identificar o problema central do trabalho facilmente.

Existem vários tipos de erros a serem evitados nessa etapa, os mais frequentes são:

Erros de concisão: não obter brevidade ao expressar os conceitos, impedindo o título de passar uma mensagem precisa e com o menor número de palavras possível.
Muito longo: títulos com muitas palavras não são atraentes. Fique atento ao tamanho do título, que deve expressar uma totalidade por meio de poucos termos.
Muito curto (não diz muita coisa e nem orienta), ou seja, inespecífico.
Preposições ou artigos em excesso.
Erros de clareza, ambiguidade ou palavras vagas.
Vocabulário não acessível aos leitores (linguagem excessivamente técnica).
Uso de terminologias incomuns ou antigas, dificultando o entendimento.
Uso de abreviaturas, fórmulas químicas, neologismos.
Títulos interrogativos que geralmente tornam-se ininteligíveis e, por isso, não são indicados. 

O autor tem três chances para escolher, modificar, alterar o título do artigo: antes de iniciar o trabalho; no decurso da escrita; no final da redação do artigo, e se depois destas três chances não for alcançado um bom título, talvez o seu artigo tenha poucos leitores e não se destacará. Exite uma chance extra: contar com um bom revisor de textos que sugira sobre esta importante parte do trabalho!

Os exemplos mais comuns de títulos são:

"Estudo sobre..."
"Relatório..."
"A investigação sobre..."
"Contribuição para..."
"Os resultados de um estudo sobre..."
"A análise dos resultados..."
"Estudo" é a palavra mais utilizada nos títulos de trabalhos acadêmicos. Sua frequência é tamanha que não é recomendado seu uso para título de artigos científicos. 
Além disso, uma versão abreviada do título pode ser solicitada pelas revistas devido à limitação de espaço. O título principal aparece geralmente no canto superior esquerdo das páginas e o título consecutivo na parte superior direita. Alguns periódicos indicam instruções para o autor, como o número máximo de caracteres para esse segundo e menor título, que geralmente não deve exceder 40 letras.
Leia também:
E mais: lembre-se de que, quando você apontar as "palavras-chave" em seu artigo, pelo menos duas ou três delas devem estar presentes no título do trabalho. 
Em congressos e conferências científicas, o livreto de atividades do programa que é entregue ao público merece também atenção. Se você parar para analisar os títulos, pode perceber uma série de títulos incorretos, incompreensíveis ou desnecessários, o que faz com que muitos dos participantes não cheguem a assistir a apresentação oral do trabalho, mesmo podendo ser interessante e útil. 
Recomenda-se, especialmente aos novos escritores, em caso de dúvida sobre a escolha do título, que consultem um profissional de revisão capacitado, verifiquem e analisem palavra por palavra usada nos títulos e procurem obter o máximo de exatidão segundo aos padrões exigidos pelas instituições científicas. É primordial também se atentar à sintaxe, pois a maioria dos erros gramaticais em títulos são encontrados na ordem das palavras.
Adaptado de Casco.