A revisão profissional de textos – princípios gerais

Revisão de textos, a revisão cuidadosa e metódica do texto para melhorá-lo, modificar ou corrigir – é concebida para garantir a qualidade da língua e a eficácia da comunicação.

Em um mundo onde cada vez mais pessoas estão escrevendo documentos de todos os tipos e para diferentes mídias impressa ou eletrônica (Web, PDF, meios de comunicação sociais, etc.), tornou-se ainda mais necessário envolver especialistas para a revisão e aperfeiçoamento dos textos.
Os princípios da revisão profissional também se aplicam à formatação.
A revisão de textos moderna é
compreensiva e multimodal.
Todas as questões linguísticas
e semiológicas se verificam.
Esta postagem tem antecedente:

Chamado a colaborar com várias partes interessadas ou intervenientes na cadeia de operações que vão desde o texto original ao livro publicado impresso ou on-line, a pessoa que revisa deve saber sobre papéis de todos os membros da equipe e manter relacionamento interpessoal sólido.
O revisor moderno deve possuir habilidades que lhe permitam atuar em todas as etapas da produção de um documento. Isso pressupõe um conhecimento da linguagem, seus recursos e suas dificuldades. Além disso, a pessoa que revisa deve possuir boas habilidades de síntese, análise e resolução de problemas e deve dar uma rigorosa atenção aos detalhes, mantendo-se alerta para fazer alterações desnecessárias.
O revisor de textos, atuando como editor, pode ser chamado a assumir funções como gerenciamento ou coordenação de projetos, a preparação do índice, editoração ou recuperação de dados.

Preparação do texto

A preparação do texto é criar nele a estrutura aplicável ao layout pretendido. É aplicar uniformidade de regra, convenções e critérios ao conjunto do documento e informar o designer de quaisquer requisitos especiais relativamente à produção.

O revisor deve ser capaz de executar as seguintes tarefas:

  1. Assegurar a presença de todos os elementos necessários ao layout. Se necessário, escrever as partes faltantes ou solicitar ao cliente que as produza. Isso inclui, inter alia: (a) páginas introdutórias, apêndices e o índice do documento a ser impresso, (b) caixas de texto e resumos, (C) as fotos e ilustrações, incluindo permissões de reprodução, (d) legendas, (d) notas, referências, citações, títulos comuns, extratos para destacar, (e) os menus de navegação, links, contatos, informações, formulários, metadados, tags, metatags, títulos de janela, descrição de imagens de um site e textos alternativos (alt);
  2. Estabelecer a hierarquia de títulos e legendas;
  3. Aplicar as regras tipográficas em uso; assegurar a coerência em todo o documento; ter em conta, se for caso disso, as escolhas editoriais de cliente, como: (a) a utilização de capitais, abreviaturas e símbolos, (b) escrever os números em palavras ou números, (c) escrever datas, números de endereço postal ou eletrônico, telefone, códigos postais, etc., (d) o uso das variações de uma fonte (itálico, negrito, bold...), (e) espaçamento dos sinais de pontuação;
  4. Aplicar uniformemente referências bibliográficas ou outras convenções, incluindo: (a) referências remissivas, chamadas de nota, bem como sua localização, (b) as regras de referência no corpo do texto, notas de rodapé de página, as notas de fim de texto e bibliografias ou referências;
  5. Preparar as instruções sobre o processamento de elementos textuais e visuais para todo o documento;
  6. Anotar os elementos ausentes e indicar a localização do cliente e o espaço necessário para sua inserção;
  7. Incorporar as alterações solicitadas pelo cliente, fazendo, se for caso disso, as correções necessárias;
  8. Pontuar os elementos que devem ser tratados de forma diferente dependendo se a mídia é impresso ou eletrônico. Especificar se o documento deve ser publicado nos dois suportes: (a) indicar os hiperlinks correspondente para as notas e referências, (b) checar a tabela do menu de conteúdo, (c) mencionar as normas de acessibilidade para os formatos PDF e metadados.

Revisão de provas

Revisão de provas inclui qualquer serviço de revisão após a fase de integração para Web ou layout. Se é o primeiro teste ou eventos subsequentes, ele deve examinar, inter alia, tipografia, ortografia, formatação de texto e todos os aspectos da apresentação visual.

O revisor tem que ter capacidade para:

  1. Certificar-se de que o primeiro teste corresponde em todos os aspectos à versão preparada para o layout;
  2. Verificar, uma versão e outra, cotejando, fazendo correções e outras alterações de acordo com o que foi solicitado, assegurando que tudo se integra bem ao resto do texto. Verificar que nenhum erro novo tenha sido inserido no documento;
  3. Verifique se todos os elementos do documento são consistentes com o projeto gráfico ou a boneca. Isso pode incluir: (a) os alinhamentos e as margens, (b) o tamanho e o estilo de caracteres (fontes), (c) a hierarquia dos títulos, (d) o comprimento de linhas, recuos e um intervalo entre linhas, (e) o espaçamento antes e depois de títulos, entre os parágrafos, entre as notas, (f) os filetes, (g) o uso da cor, (h) a localização dos elementos visuais;
  4. Verificar a consistência e a precisão da tabela de conteúdo, títulos, legendas e títulos, referências e ligações de nota, fólios, paginação, legendas, anotações, etc.;
  5. Verificar a consistência e a precisão de tabelas, gráficos, ilustrações, fotos e figuras, cabeçalhos e rodapé;
  6. Revisar o índice, uma vez formado;
  7. Corrigir os erros de digitação e ortografia e erros tipográficos, dando especial atenção aos nomes próprios, números e palavras de origem estrangeira;
  8. Corrigir os erros decorrentes do uso de software de processamento de texto, correção de ortografia ou gramatical, digitalização, informatizada de tradução, layout e marcação HTML, bem como os erros de conversão do software para outro. Isso pode incluir: (a) o movimento de guia (tabulação), (b) a substituição de caracteres especiais, (c) quebras de texto, de página, de coluna, (d) transição de uma fonte para outra, (e) frente e verso de páginas, (f) a substituição de uma palavra por um homônimo, (g) a confusão entre caracteres visualmente semelhantes, (h) a separação silábica de palavras no final da linha, (i) linhas viúvas e órfãs, (j) as gretas, as ruas, chaminés e outros erros relacionados ao layout do texto;
  9. Verificar a exatidão dos endereços; URL e funcionamento de hiperlinks;
  10. Fazer ou recomendar correções, tendo em conta contexto e os custos de produção, bem como a qualidade desejada.
  11. Propor alterações (supressões ou adições menores) para que o texto entre em determinado espaço (por exemplo, no menu de navegação).
  12. No caso de um projeto em formato eletrônico (PDF) ou um site da Web, uso de sinais de correção acordados entre todas as partes interessadas (designers gráficos ou integradores de Web).

Revisão comparativa

Revisão e formatação de tese e dissertação são trabalhos relacionados entre si.
Ver também:
Diretivas gerais.
A revisão comparativa visa garantir que o conteúdo publicado em mais de uma língua corresponda fielmente em todas as versões (por exemplo, inglês). Geralmente, a revisão comparativa é feita, em primeiro lugar, durante a preparação do conteúdo, após a fase de tradução e, mais uma vez, quando o documento estiver impresso em boneca ou pronto para ser colocado on-line.
Além dos conhecimentos básicos e domínio das tarefas em língua vernácula, o revisor, para realizar este trabalho, deve ter um excelente conhecimento da outra língua da comparação, para que possa compreender o significado do texto original, mas também suas nuances e peculiaridades estilísticas (por exemplo, o registo e o tom) em cada versão. Critérios para a revisão comparativa são, de fato, intimamente relacionados à tradução e habilidades estão intimamente relacionadas às exigidas de tradutores e tradutores.

O editor ou revisor deve ser capaz de executar as seguintes tarefas:

  1. Realizar uma leitura paralela ou cotejamento comparativo de texto principal, tabelas, figuras, legendas que acompanham os elementos visuais da bibliografia, anexos, etc. da versão original e a versão traduzida para identificar e corrigir as diferenças ou inconsistências, incluindo omissões (por exemplo, números, palavras ou ideias) e estilísticos;
  2. Certificar-se de que a estrutura geral, sintaxe das versões seja o mais correspondente possível;
  3. Certificar-se de que o significado do texto original foi bem processado no documento traduzido. Detectar e corrigir para cada frase, cada parágrafo ou de cada elemento do documento, má interpretação, ambiguidades, clareza, estrangeirismos, más construções de frases e palavras, conectores ruins ou grupos de palavras inadequadas;
  4. Certificar-se de que o estilo, o vocabulário e a terminologia usada no documento traduzido corresponde à versão original, ao contexto, ao domínio, bem como aplica-se ao público-alvo.
  5. Sugerir adições ou exclusões no documento traduzido para corrigir qualquer discrepância entre as duas versões. Em caso de dúvida, consultar o autor ou o tradutor;
  6. Garantir que os elementos bibliográficos, nomes de organizações, as notas de notas de rodapé, títulos de livros, etc. tenham sido traduzidos corretamente ou deixados na língua original, dependendo se há ou não tradução para eles. Revisar a ordem alfabética, conforme necessário.
  7. Padronizar o layout e a apresentação da versão traduzida para que corresponda à versão original. Verificar a tipografia, o layout dos itens (por exemplo, títulos, tabelas, figuras, fotos, etc.) e ajustar o comprimento dos textos entre as diferentes línguas;
  8. Coordenar as correções do autor ou outras alterações para garantir que sejam efetuadas em todas as versões, durante todo o processo de publicação. Trabalhar em estreita colaboração com o editor ou revisor da versão original;
  9. Aconselhar os clientes sobre formatos de arquivo e métodos para usar para fazer uma eficaz revisão comparativa de trabalho (por exemplo, transferir o conteúdo bilíngue de um banco de dados ou Web, codificação em duas colunas em formato Word ou Excel).
Adaptado da ACR.