10 de novembro de 2014

A revisão profissional de textos – diretivas gerais

A pessoa que tem o conhecimento básico e habilidades descritas nas páginas seguintes é capaz de trabalhar de forma independente e realizar uma revisão textual de qualidade.

As descrições que se seguem, bem como as da postagem que dará sequência a esta, permitem identificar as principais tarefas inerentes a revisão e a apresentação de um documento impresso ou eletrônico e combiná-los com base em sequência lógica de abordagem da revisão (revisão de fundo, revisão de forma, preparação de texto, e revisão de provas e revisão comparativa). No entanto, na prática, as sequências se sobrepõem e as variações são inevitáveis.
A formatação normatizada está incluída nas diretrizes de revisão.
As relações entre os componentes
textuais e intertextuais de todo
documento são passíveis da
intervenção do revisor.
Esta postagem tem sequência:

O caminho a ser seguido durante a revisão pode variar de um documento para outro e da adaptação um projeto para outra função, por exemplo, a qualidade do texto original, qualidade final desejada, práticas estabelecidas dentro da empresa ou organização, métodos e ferramentas de produção, a mídia selecionada e, claro, alocados os orçamentos são sempre variáveis a serem equacionadas e geridas.

Conhecimentos básicos

Em geral, o revisor deve ter conhecimentos básicos que se relacionam com três áreas principais: a organização e a execução do trabalho, o conteúdo de uma publicação, layout e tipografia conhecendo:

Organização e desenvolvimento do trabalho

  • As fases de um projeto e o papel das partes interessadas e intervenientes.
  • A sequência de tarefas para cada uma das etapas da revisão.
  • As formas de estabelecer um calendário realista e impor sua execução.
  • As vantagens e desvantagens dos principais suportes e tecnologias utilizadas para a produção e divulgação de documentos.
  • O impacto potencial do uso de várias ferramentas de computador no tratamento de um texto, incluindo problemas de conversão de caracteres, modificação para a formatação, etc...
  • Os softwares disponíveis de processamento de texto, layout de página e correção.
  • As vantagens e desvantagens dos métodos de revisão (revisão na tela ou em papel, revisão em equipe, ler em voz alta sozinho ou a dois, etc.).
  • Os métodos para indicar as alterações e comentários (sinais convencionais de correção em papel; ferramentas equivalentes para documentos eletrônicos, os recursos de rastreamento incorporados a algum software).
  • Os métodos de investigação (por exemplo, pesquisa de terminologia, verificação de citações ou fatos).
  • Os conceitos básicos de direitos autorais.
  • As formas para verificar se as alterações foram feitas corretamente e se o material aprovado nas fases anteriores não foi acidentalmente modificado para evitar retrabalho.
  • A forma de assegurar que todas as partes interessadas e intervenientes usem a mesma versão do documento em cada determinada fase.
  • As maneiras para comunicar ao cliente alterações ou correções sugeridas, acompanhando-os para a necessidade de justificação adequada e para fazê-lo com tato.
  • As obras de referência principais, em sua última edição impressa ou na mídia eletrônica, nas quais serão baseadas as correções e que foram validadas pelo cliente.
  • A ortografia, correções e a nova gramática.
  • Os princípios de redação politicamente correta (epicena) e clareza e eficácia comunicacional.
  • As normas e recursos de acessibilidade textual e ergonomia visual, facilitando o uso de documentos eletrônicos por todas as pessoas, inclusive os portadores de deficiências.

Conteúdo de uma publicação

  • As partes de uma publicação, suas funções, sua ordem e as informações a serem incluídos (direitos de autor, ISBN, declaração de confidencialidade, etc.).
  • Os componentes de uma página impressa ou de uma página eletrônica.

Tipografia, design e layout de páginas

  • A evolução da composição e os métodos de composição manual de documentos, onde cada item é individualmente posicionado, ou a composição automática que ocorre quando você exibe uma página da Web.
  • As noções relativas os elementos textuais: adaptação de um texto a determinado espaço, medidas e caracteres tipográficos, etc.
  • As regras ou os conceitos relativos aos elementos não-textuais: formatos de gráficos, apresentação de tabelas, gráficos, figuras, fotos e ilustrações.

A revisão de fundo

Revisão de fundo (revisão substantiva) propõe entregar um texto cuidadoso e metódico, funda-se em ler para adaptar forma e conteúdo aos destinatários, esclarecendo o conteúdo e para reorganizando a estrutura quando e onde couber.

O revisor deve ser capaz de executar as seguintes tarefas:

  1. Analisar a estrutura do texto original para identificar lacunas e ser capaz de sugerir melhorias, um redesenho ou um novo plano;
  2. Esclarecer e reorganizar o conteúdo, dependendo da natureza do texto;
  3. Sugerir inclusões ou exclusões para preencher as lacunas ou eliminar elementos supérfluos e duplicação;
  4. Sugerir ou fazer a transformação dos elementos textuais que utilmente poderia ser apresentado de forma diferente (lista, tabela, gráfico, ilustração, etc.);
  5. Certificar-se de que as transições (uma ideia para outra, de uma frase para outra, etc.) são adequadas e que sustentam a progressão da informação em todo o texto;
  6. Alterar, cortar ou expandir o conteúdo para atender as exigências e normas impostas pelos vários meios de comunicação;
  7. Verifique se as declarações e os fatos que caem no âmbito da geral, bem como o conhecimento de tabelas, elementos visuais, citações, referências, etc. e, em caso de dúvida, consultar com o cliente;
  8. Aferir inconsistências nos fatos, datas, lugares, nomenclatura, unidades de medida, etc., corrigi-los ou relatá-los para o cliente;
  9. Chamar a atenção do cliente sobre as permissões necessárias para o uso de ilustrações, fotografias, trechos de textos, mas também em fontes potenciais de difamação ou diferenças nas normas sociais (racismo, sexismo, discriminação, etc.).

Revisar e formatar teses e dissertações são trabalhos conexos.
Ver também:
Princípios gerais.

Revisão estrutural

A revisão estrutural (revisão de forma, revisão formal) visa melhorar o estilo do texto como um todo pela sintaxe, vocabulário, ortografia ou correções de pontuação.

O revisor deve ser capaz de executar as seguintes tarefas:

  1. Escolher os correspondentes estilísticos melhores para a comunicação, para os destinatários, o tipo de texto e o suporte;
  2. Garantir a coerência do texto, respeitando o estilo, o tom e o registro de linguagem;
  3. Ajustar a estrutura sintática, vocabulário e linguagem ao público-alvo;
  4. Tratar de itens que são opcionais ou flutuantes, tendo em conta as opções editoriais do cliente;
  5. Eliminar a repetições, aferir a concisão e os conectores para garantir a fluência das frases longas e complexas;
  6. Priorizar a voz ativa sem negligenciar a utilidade da voz passiva ou da forma negativa;
  7. Resolver ambiguidades por meio de alterações sintáticas ou lexicais;
  8. Encontrar a palavra certa e adequada co-ocorrência. Realizar pesquisas terminológicas ou lexicais necessárias;
  9. Usar apropriadamente os regionalismos e neologismos;
  10. Verificar e corrigir a sintaxe: (a) garantir a manutenção da estrutura sintática dentro a frase para evitar falhas e erros na construção, (b) confirmar o tempo, modo e a concordância dos verbos,
    (c) garantir o uso correto das preposições, conjunções, pronomes ou adjetivos demonstrativos, palavras inflexíveis, os pronomes pessoais ou relacionadas, (d) garantir a uniformidade das enumerações, sequenciamentos e listagens;
  11. Corrigir erros lexicais: (a) substituir os arcaísmos, barbarismos, tabuísmos, impropriedades, anglicismos e galicismos, (b) substituir o jargão, o termo ofensivo ou depreciativo se o contexto exige, mas sem alterar o texto;
  12. Verificar e corrigir a ortografia e gramática normativa e de uso: (a) garantir a precisão do Novo Acordo Ortográfico, (b) corrigir palavras com erros ortográficos, (c) validar nomes próprios e palavras de origem estrangeira, (d) aplicar as regras de escrita de nomes de lugar e regras de abreviação toponímicas, (e) dar atenção especial para os homônimos sinônimos do português ultramarino;
  13. Verificar e corrigir a pontuação: (a) verificar e aplicar as regras de uso da pontuação, (b) assegurar o uso prudente de pontuação hierárquica em frases longas ou complexas, (c) conferir a aplicação consistente da pontuação no corpo do texto, listas, tabelas, figuras, legendas, referências; (d) verificar a consistência das conversões entre sistemas de pesos e medidas e garantir a consistência no uso homogêneo do sistema em todo o documento.
Adaptado da ACR.