11 de agosto de 2016

Como escrever o resumo de sua tese ou dissertação

O resumo é parte necessária da apresentação final de uma tese, dissertação ou mesmo de um artigo. A versão final do resumo terá de ser escrita depois que você terminar de ler a sua tese para enviar ao revisor do texto.

Um resumo prévio, escrito nas diferentes fases do seu trabalho vai ajudar você a ter uma versão curta de sua tese a cabeça. Isso vai conduzir seu pensamento sobre o que é que você está realmente sendo feito, vai ajudá-lo a ver a relevância do que você está trabalhando no momento dentro do quadro maior, e ajudar a manter os vínculos que acabarão por conferir unidade à tese (dissertação, TCC, artigo).
Depois de fazer o resumo da tese, é hora de pensar nos agradecimentos!
O resumo de uma tese é muito mais
lido que o texto completo!
Resumo é uma apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento (NBR 6028:2003). 

O que é um resumo?

O resumo é um componente importante da tese. Apresentado no início da tese, é provável que seja a primeira descrição substantiva do trabalho a ser lida por um examinador ou qualquer outro leitor externo. Você deve vê-lo como oportunidade de definir as expectativas precisas do leitor a que seu texto atenderá.
O resumo contém referência a tudo que está na tese, mas só remete ao conteúdo, sem dados, sem discussões. Ele apresenta todos os elementos principais do trabalho de forma altamente condensada.
Um resumo, muitas vezes, funciona, com o título da tese, como texto de apresentação prévia. Resumos aparecem, ausente o texto completo da tese, em índices bibliográficos como o PsycInfo. Eles também podem ser apresentados em anúncios da defesa de tese. A maioria dos leitores que encontram seu resumo em um banco de dados bibliográfico ou recebem um e-mail anunciando sua apresentação pesquisa nunca terão acesso ao texto completo nem vão assistir à defesa.
O resumo não é meramente uma introdução no sentido de um prefácio, preâmbulo ou texto que prepara o leitor para a tese. Ele deve ser capaz de “substituir” a tese inteira quando não há tempo, espaço, ou necessidade do texto integral.
A elaboração de um resumo moderno leva o autor a indicar e justificar e claramente seus objetivos, mostrar como a sua metodologia se ajusta a eles e destacar as principais conclusões, determinando o significado do que foi feito. A beleza da coisa é que você pode e deve falar sobre tudo em frases muito curtas e ver se o conjunto funciona.

Tipos de resumo

De acordo com a NBR 6028:2003, podemos ter os seguintes tipos de resumos:
  • resumo crítico: Resumo redigido por especialistas com análise crítica de um documento. Também chamado de resenha. Quando analisa apenas uma determinada edição entre várias, denomina-se recensão. Os resumos críticos, por suas características especiais, não estão sujeitos a limite de palavras.
  • resumo indicativo: Indica apenas os pontos principais do documento, não apresentando dados qualitativos, quantitativos etc. De modo geral, não dispensa a consulta ao original.
  • resumo informativo: Informa ao leitor finalidades, metodologia, resultados e conclusões do documento, de tal forma que este possa, inclusive, dispensar a consulta ao original.

Mais algumas dicas sobre os resumos

  • O resumo deve ser precedido da referência do documento, com exceção do resumo inserido no próprio documento.
  • Frases concisas e afirmativas e não enumeração de tópicos.
  • Parágrafo único.
  • Escrito na 3ª pessoa do singular.
  • A primeira frase deve ser significativa explicando o tema principal da monografia, depois texto sobre memória, estudo de caso, análise da situação, etc.
  • Objetivo/finalidades, metodologia, resultados e conclusões.
  • Verbo na voz ativa.
  • Logo após o resumo deve vir as palavras-chave que são palavras representativas do conteúdo do documento, escolhida, preferentemente, em vocabulário controlado.
  • Na hora de arquivar, o resumo explica o assunto.
    Os resumos merecem mais atenção
    que as pessoas têm dado a eles:
    permitem a "espiada" no texto
  • As palavras-chave devem ser separadas entre si por ponto e vírgula e finalizadas por ponto final.

Tamanho e estrutura do resumo acadêmico

Atualmente, os tamanhos máximos para os resumos, segundo a ABNT são 300 palavras (dissertação) e 500 palavras (tese de doutoramento). Para preservar a coerência visual, você pode desejar limitar o resumo de sua tese de doutorado a uma página com espaçamento duplo, cerca de 280 palavras. É usual que o resumo seja redigido em parágrafo único.
A estrutura do resumo deve espelhar a estrutura da tese inteira e deve representar todos os seus elementos principais. Por exemplo, se sua tese tem cinco capítulos (introdução, revisão da literatura, metodologia, resultados, conclusão), no resumo haverá uma ou mais frases construídas para resumir cada capítulo.

Especifique claramente suas hipóteses de pesquisa

Como a tese em si, as hipóteses são fundamentais para garantir que o resumo seja coerente e logicamente estruturado. Elas formam o esqueleto ao qual outros elementos aderem. As hipóteses devem ser apresentadas no início do resumo.
Só há espaço para uma a três hipóteses. Se houver mais de três hipóteses principais em sua tese, você deve considerar reestruturá-las, reduzindo algumas ao status de subordinadas. Não esqueça de indicar os resultados da pesquisa.
O erro mais comum em resumos é não mencionar resultados. A principal função de sua tese (e por extensão seu resumo) não é dizer aos leitores o que você fez, é dizer-lhes o que você descobriu. Outras informações, tais como citar seus métodos de pesquisa são necessários, principalmente, para sustentar os resultados. Aproximadamente a última metade do resumo deve ser dedicada para resumir e interpretar os resultados.
  • Procurar fazer o resumo informativo, não descritiva.
  • Incluir os pontos-chaves da tese, os fatos principais.
  • Centrar no argumento principal.
O resumo tem que dizer:
  • O que você fez (sobre o que é a tese);
  • Como você fez isso (metodologia);
  • O que você descobriu (resultados).
O que o resumo não tem:
  • Não há “eu” no resumo. Não fale de si.
  • Não o inclua no resumo nada que não seja na tese.
  • Não inclua desculpas pelo que você deixou de fora!
  • Não há menção de defeitos ou omissões.


Escreva o resumo ao fim da tese ou dissertação

A melhor maneira de fazer isso é ler o manuscrito final da tese e sublinhar os pontos principais. Olhe para estes postos-chaves. Classifique-os em ordem. Coloque em primeiro lugar a resposta à pergunta: esta tese sobre quê?
Tente construir frases na voz ativa, são bem mais convincentes. Não diga, por exemplo: “a importância da cooperação internacional é enfatizada neste estudo”. Diga: “a cooperação internacional tem impacto importante na vida dos povos indígenas”. “Esta tese explora que o impacto no pequeno vilarejo de X localizado (onde?).”
Ao final, o resumo acabado tem que ser tão bom quanto você puder fazer. Ele a primeira coisa que o leitor vai ler e pode ser a última, portanto, o resumo passa a primeira impressão ou a impressão global da tese ou da dissertação.
Seguindo essas dicas você vai economizar horas de trabalho tedioso, verificação e reescrita – além, claro, das muitas horas que você gasta lendo e corrigindo infinitos rascunhos! Por fim, deixe o revisor do texto fazer o serviço dele. Cortar um pouco de gordura no resumo pode melhorar e clarear a ideia geral.

Devem-se evitar no resumo:

  • Símbolos e contrações que não sejam de uso corrente;
  • Fórmulas, equações, diagramas etc., que não sejam absolutamente necessários; quando seu emprego for imprescindível, defini-los na primeira vez que aparecerem.
Costuma-se classificar como resumo acadêmico uma série de textos diferentes. Chamam de “resumo” textos técnicos com uma avaliação crítica (resenhas), apresentações resumidas de filmes e livros (sinopses), blocos de texto introdutórios numa pesquisa acadêmica (os abstracts) e até mesmo o processo de produção do resumo em si (a sumarização). Isso ocasiona dois problemas. O primeiro é que a nomeação nem sempre é sistemática e homogênea: um mesmo gênero pode ser encontrado sob nomes diferentes em veículos comunicativos diferentes, como é o caso da sinopse que, em alguns periódicos, aparece com o nome de “resumo”. O segundo é o obscurecimento da relação entre o gênero e os textos que o materializam, como é o caso do resumo enquanto síntese de um texto acadêmico e o resumo enquanto apresentação de um trabalho científico, ambos identificados por muitos como sendo relativos ao mesmo gênero. Entretanto, o resumo introdutório de monografias, dissertações e teses já tem caminhado na direção de uma independência; portanto, deve ser reconhecido como um gênero à parte, nomeado por alguns de abstract.
abstract, por sua vez, vem recebendo muita atenção nos últimos anos, sendo considerado uma espécie de subgênero do resumo, comumente encontrado em monografias, trabalhos de conclusão de curso, dissertações de mestrado e teses de doutorado. Sua função comunicativa básica costuma ser fornecer uma descrição sucinta do conteúdo do trabalho, poupando tempo ao leitor e ajudando-o a determinar o grau de interesse que aquela pesquisa assume para ele em si. Já está demonstrado que a composição de um abstract varia de acordo com fatores de ordem cultural, linguística e disciplinar. Esses fatores determinam a predileção do pesquisador de determinada área por certas escolhas linguístico-discursivas, numa quantidade e posicionamento específicos no texto.
Vejamos agora alguns dos principais traços característicos do resumo acadêmico mais especificamente. Ele faz parte de uma atividade primariamente de reescritura, na qual se resguardam a coerência e coesão em relação ao texto fonte, constituindo-se, porém, uma nova unidade que pode ser lida independentemente. O resumo tem por função apresentar de forma concisa as ideias básicas de um texto e é composto por sequências narrativas que preservam, ou refletem, estruturas linguísticas do texto original, mantendo seu modelo global relativamente intacto.
Assim, por se tratar de uma simples apresentação sintática do conteúdo e organização do texto fonte, esse gênero não costuma conter comentários ou julgamentos relativos ao texto resumido, papel que normalmente cabe à resenha. De modo geral, o resumo é considerado satisfatório se for claro, breve e fiel, se utilizar palavras próprias, bem como se enfatizar a ideia central do assunto. (Fragmentos adaptados de Lopes.)
Entre as características que devem fazer parte do novo texto produzido, podemos destacar:
  1. correção gramatical e léxico adequado à situação escolar / acadêmica;
  2. seleção das informações colocadas como as mais importantes no texto original;
  3. indicação de dados sobre o texto resumido;
  4. organização de tal modo que o leitor possa conhecer o conteúdo global, o desenvolvimento das ideias do texto e a articulação entre elas;
  5. apresentação das ideias principais do texto global e de suas relações; 
  6. possibilidade de compreensão do resumo final por si mesmo.