10 de outubro de 2014

Nenhum ou nem um?

Mais um caso rotineiro em que nos embananamos muito sem saber: nenhum e nem um. As formas geram enorme confusão entre a maioria dos falantes e são personagens frequentes no cenário da revisão de textos. Porém, novamente, a situação pode ser resolvida de forma simples e rápida. Os dois termos, embora muito parecidos, empregam-se em diferentes situações. Bom, vamos começar pelo principal:
As dúvidas de português serão sanadas pelo revisor de textos.
Para defender uma tese de doutorado ou
dissertação de mestrado nunca se pode
abrir mão da revisão profissional do texto.
Nenhum é pronome indefinido que se opõe a algum. A palavra nenhum significa total inexistência. É pronome variável em gênero e número que significa nulo, inexistente e transmite valor indeterminado e vago. Refere-se à ausência total de alguma coisa, inexistência. É o antônimo de algum e admite o uso como pronome indefinido adjetivo ou substantivo.
Observe o exemplo:
Nenhum [algum] centavo foi transferido para a conta prevista.
No exemplo acima, o pronome refere-se ao substantivo centavo, afirmando sua inexistência, logo, que não existe centavo algum, indicando totalidade exclusiva.
Nem um é a união do advérbio de negação nem e do numeral um e enfatiza a ideia de que nem o mínimo foi considerado, sendo mais expressiva. Portanto, o numeral se opõe a dois, três... Pode ser substituída por nem mesmo um, nem sequer um ou nada e indica, necessariamente, grandezas contáveis.

Conforme o exemplo:
Não tinha nem [sequer] um dia para visitar a própria mãe.
Pois bem. Não essa questão da confusão entre essa dupla não é caso de definição em certo ou errado. Ambas as hipóteses existem na língua portuguesa, são formas vistas como sinônimas e estão corretas. Tudo depende do contexto em que utilizamos uma ou outra. Para simplificar e aumentar as chances de acerto, use nem um quando desejar enfatizar quantidade, caso contrário, utilize nenhum. Provavelmente, a melhor forma de evitar o erro seja criar pares opositivos, como segue:

  • Esta moeda não tem nenhum valor -> Esta moeda não tem valor algum.
  • Não perco nem um dia de festa no ano novo -> Perco sequer um dia de festa no ano novo.
Exemplos com nenhum (equivale a algum):

Nenhum aluno estudou para o teste -> Algum aluno estudou para o teste
Eu não tenho nenhum caderno comigo.
Não há problema nenhum, eu resolvo a situação.
Sapato nenhum era confortável para aqueles pés inchados.
José não rejeitava oportunidade nenhuma.
Na sala não havia nenhum aluno.

Exemplos com nem um (equivale a sequer um, um só):

Seu cachorro não gostou nem um pouco do meu gato.
Tenho tanta fome. Não há nem um pastel sobrando?
Não fico nem um minuto sem sentir saudades de você. 
Não estou nem um pouco preocupada com o resultado. 
Nem uma única recompensa foi obtida com aquele trabalho.

Compreendeu? Cada caso é correto em um contexto. Lembre-se de que o mais comum é usar a forma contraída nenhum, formada por nem + um. A outra forma, ou nem um, deve ser utilizada em situações de ênfase, podendo ainda se juntar com um termo de apoio para intensificar mais ainda a ideia, como mesmo ou . Devemos procurar sempre seguir as regrinhas da norma culta e não atropelar as palavras ao falar ou escrever. Se precisar colocar em prática, pare, pense e faça as substituições como aqui exemplificado. E se, mesmo assim, ainda permanecer a dúvida, jogue a bomba para um bom revisor de textos e garanta que a estrutura do que redigiu esteja impecável e sem certos erros que podem fazer a avaliação mais séria.
Por Gustavo Mani, nosso colaborador.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.