14 de outubro de 2014

A carreira do revisor de textos

Frequentemente somos procurados por pessoas desejosas de ingressar no ramo da revisão de textos; raramente temos posições a oferecer, mas ficam aqui algumas dicas sobre o ofício e sobre como ingressar nele. 

Para aqueles que procuram uma posição de entrada na carreira de revisor de textos, é bom saber que os empregadores geralmente escolhem os candidatos que tiveram iniciativas para ganhar experiência. Para quem se direciona a esse ofício desde a graduação, começar revisando textos de colegas – sim, de graça – pode ser um caminho, depois aceitar trabalhos de alunos e outros cursos e fazer um estágio (claro, ganhado pouco a princípio) com algum revisor ou em uma editora, por exemplo, são caminhos que podem ser buscados.
Procure um revisor experiente para sua tese ou dissertação.
“O estilo não é nada,
mas nada é sem estilo.” Rivarol
Um grande número de revisores começa trabalhando em editoras ou outros tipos de firmas que produzem textos. Alguns revisores se tornam autônomos após ter passado por uma ou mais posições no ramo. Não é incomum para um revisor, trabalhar como freelance para, em seguida, tomar outro rumo: escolher entre ser autônomo ou empregado.

Revisor freelance ou empregado?

Editores seniores têm experiência como empregados. Compreender as diferentes fases da produção de uma publicação, chave para a formação de qualquer revisor, é difícil, se nunca trabalhou no negócio editorial ou no ambiente acadêmico, jornalístico, publicitário. Pequenas editoras geralmente permitem que novos funcionários ganhem experiência mais ampla (mas o salário é mais baixo) e, de acordo com alguns editores, este é o melhor treinamento. Revisores empregados nas grandes editoras, geralmente, não são expostos à variedade de tarefas, às vezes podem se beneficiar de supervisão e formação contínua.
Para aqueles que querem mais autonomia, o estatuto de freelance pode ser estimulante e lucrativo, desde que você tenha o talento e energia e um pouco de sorte. Revisores freelances têm horário flexível e conhecem os benefícios (e medos) que acompanham o fato de ser independentes. A diversidade dos públicos com que estão obrigados a trabalhar lhes permite expandir seu campo de competência – uma diversidade que continua a se expandir e amplia a experiência.
No entanto, aqueles que nunca trabalharam no negócio de revisão podem ter dificuldade em encontrar trabalho como freelances. Com efeito, os clientes que empregam freelances não gostam de correr riscos; o que eles querem é resolver seus problemas imediatos e pronto. Os prazos, como os orçamentos, são frequentemente apertados. Portanto, é necessário que o revisor leve bem em conta o manuscrito e adquira velocidade para realizar o trabalho. Essas habilidades não são adquiridas de um dia para o outro. Alguns trabalhos (por exemplo, a correção de provas de impressão de uma brochura) podem solicitar apenas algumas horas, enquanto outros (por exemplo, a produção de textos de um manual técnico) podem estender mais dois ou três anos.
Na Keimelion, nosso foco é revisar teses e dissertações; isso significa que temos, quase sempre, prazos muito rígidos para executar o trabalho nos textos, antes que eles sejam depositados para a defesa. Isso também significa que estamos acostumados a que nosso trabalho de revisar seja submetido a bancas que examinam os textos minuciosamente. Esse tipo de texto nos ocupa por uma ou duas semanas. Mas já estivemos também envolvidos com um romance enorme que ocupou a equipe por quase dois anos!
Os revisores freelances ou autônomos também devem conhecer bem suas características e habilidades – para serem capaz de recusar a projetos que não lhes convêm. Na Keimelion, por exemplo, evitamos textos publicitários, em geral, mas raramente eles chegam a nós, pois não os procuramos. A sensibilidade para conhecer suas forças e fraquezas ao revisar não surge apenas com a experiência (e nem sempre surge!) – é necessário ter uma boa dose de bom senso e critério ao aceitar serviços, para não ficar queimado na praça. Construir um nome e se tornar uma referência para determinado tipo de texto é tudo que diferencia um revisor profissional de alguém que faz bico revisando textos.
Adaptado da ACR.