Submissão e seleção de artigos científicos para publicação

A estrutura acadêmica de hoje requer publicações constantes; dar ao público ou aos pares conhecimento do que está sendo conhecido.

Há vários tipos de publicações disponíveis para a pesquisa e para os pesquisadores. Por isso, a metodologia científica segue uma ordem hierárquica na divulgação de conhecimentos, seja pela via impressa, seja pela via eletrônica. Sempre existe preocupação com a qualidade dos textos, de onde a necessidade constante de boas revisões linguísticas. Sempre que se pretende submeter um trabalho escrito, esperando que seja publicado, deve-se antes levar em conta o estágio atual da pesquisa que se está relatando, em determinada área, e o interesse temático do editor. É importante que se tenha bem claro o interesse alheio sobre aquilo que se está propondo para publicar.
Revisar dissertação e tese não é para amadores.
Revisão de texto científico
tem que ser com a Keimelion.
A literatura científica se apresenta seguindo uma hierarquia em seu banco de dados editorial. No topo das contribuições mais importantes estão os artigos de jornais científicos que reportam pela primeira vez o resultado de pesquisas tidas como inéditas. O segundo mais importante são livros ou capítulos de livros que sintetizam o conhecimento específico por tópicos e sugerem áreas para futuras pesquisas. Artigos publicados em revistas tipo magazines, letters, ou transactions, representam uma categoria de publicações para relatar trabalhos em andamento sobre pesquisas conhecidas, mas com um coeficiente de contribuição elevado. Estas últimas trazem rigor no julgamento de originalidade do trabalho, por isso muitas vezes apresentam trabalhos inéditos. Há ainda, os congressos, as conferências e os simpósios que são outras categorias que podem frequentemente levar um artigo escrito à publicação em revistas, livros ou capítulos de livros, ou a um jornal científico. Estes eventos são considerados muito importantes, principalmente para quem está se iniciando na trajetória da pesquisa, pois aceitam, usualmente, abordagens que analisam ou resumem informações já publicadas e, por isso, passam a ser o alvo de interesse de alunos da graduação. Estimular e incentivar a publicação de trabalhos desses alunos, nesses eventos, é prática constante. Com esse intuito, vale direcionar uma disciplina de metodologia científica, ou a de redação acadêmica, com um tópico para observar estas formas de publicações de pesquisa, as quais têm normas, padrões, estilos e objetivos diferenciados. Devido a essa falta de conhecimento, ou à inadequação do texto, muitos autores de trabalhos científicos ficam surpresos quando seus artigos são rejeitados.
Fragmentos adaptados de: Almeida et alii.
A leitura crítica de textos científicos de qualquer área está condicionada a pareceres de interpretações textuais e canônicas. Para que se tenha uma boa compreensão daquilo que será lido e analisado, isto deve ser feito da mesma maneira como a que é feita por um determinado conselho editorial de revisores ou de colaboradores ad hoc
Com esta visão crítica, a busca inicial do que se pretende pesquisar tem como finalidade a seleção de artigos escolhidos para serem lidos de forma mais refinada. Por isso, tomam-se como critérios básicos sua contribuição ao tema que se pesquisa e, assim, lê-se o título, o resumo (os aspectos formais) – ou conforme a pesquisa mencionada anteriormente. Depois de encontrado o que se procurou, ainda, outra clivagem, é necessária: a originalidade do tema ou do tratamento dado a ele, assim como a consistência e o rigor da abordagem teórico-metodológica apresentado no trabalho. Outras considerações levam em conta a escrita, a qualidade do texto como veículo comunicacional 
 aqui surge a figura do revisor de textos, como contribuinte importante. Mas, para que se tenha objetividade nesta tarefa de busca pelo que será lido posteriormente, é necessário ler pacientemente, com atenção, desprendimento, calma, crítica despretensiosa e, principalmente, concentração. Quando esses atributos são mantidos e associados ao hábito da leitura, pode-se fazer a crítica precisa sobre aquilo que se tem para escrever sobre qualquer tema.