2 de julho de 2014

Revisão linguística de textos acadêmicos

Vamos tratar de dois termos - revisão acadêmica e revisão de textos - que, em outros contextos são empregados em sentidos ligeiramente diferentes daqueles que nos interessam na qualidade revisores de textos.

Chamamos revisão de texto o conjunto de procedimentos por meio dos quais um texto é trabalhado até o ponto em se decide que ele esteja suficientemente bem escrito, ou o tempo acabe - o que é mais frequente. Para nós, revisão acadêmica é um gênero da espécie revisão de textos.
Nossa revisão tem sólida base teórica e grande experiência.
Revisão de textos requer alteridade,
os olhos de fora vendo o
que o autor não vê mais.
Noutro contexto, no das editorias de publicações científicas, a revisão acadêmica muitas vezes se refere à revisão do conteúdo, da matéria de fato de que o texto trata, é a revisão feita por outro cientista, competente na mesma área da matéria tratada, destinada a fazer juízo de mérito e valoração do texto quanto a seu conteúdo científico. Trata-se da revisão entre pares. Não fazemos isso. Nossa revisão acadêmica é aquela que foca no texto como mídia, como suporte do conhecimento a ser transmitido. Nossa especialidade é o texto que trata da matéria, o revisor científico de que falávamos trata da matéria contida no texto. A revisão acadêmica, sobre nosso foco, é questão de comunicabilidade, textualidade, linguística inerentes; a revisão acadêmica, sobre o outro ponto de vista, trata da validação do conhecimento, da cientificidade e confiabilidade subjacentes ao texto. Nós preferiríamos chamar nosso trabalho de revisão acadêmica e chamar àquela que não fazemos de revisão científica, mas não é o que ocorre - havendo assim alguma possibilidade de confusão inicial por parte dos autores.
Da mesma foram, revisão de textos - nosso principal serviço - é um conjunto de aperfeiçoamentos propostos ao texto autoral. No contexto do letramento, revisão de textos é termo aplicado a uma série de procedimentos didáticos visando ensinar a produção de textos. Claro que ambos os procedimentos têm grande parcela de ações comuns, mas a função é bem diferente na origem - assim como a clientela. Chamam ainda revisão de textos aos procedimentos de melhoria e correções efetuados pelo autor durante a escrita. Preferimos nos referir a esse processo autoral como reescrita, reservando o termo revisão para os procedimentos em que haja alteridade: um profissional qualificado e independente da autoria interferindo, sugerindo e interagindo como colaborador externo.
Existe um tipo especializado de revisor de textos que tem foco para os trabalhos acadêmicos, principalmente as teses, dissertações e artigos científicos. Da mesma forma, existem revisores que visam prioritariamente literatura, textos traduzidos, publicidade, textos legais. Há muitos tipos de texto e há, atualmente, profissionais focados em cada um deles. Claro que qualquer revisor está minimamente apto a revisar qualquer texto, mas por questões de mercado ou de interesse pessoal, muitos se especializam.
Revisão acadêmica com qualidade
e pontualidade é na Keimelion.
Como nosso foco são os trabalhos acadêmicos, vamos apontar algumas características de que os revisores desse tipo de produto não podem prescindir.
  • Primeiro, a disponibilidade: o revisor acadêmico tem que ter tempo para atender àquela tese que lhe apresentam poucos dias da deadline de depósito, para isso ele precisará se dedicar integralmente a ela. Provavelmente este revisor de textos será alguém que se dedica exclusivamente à revisão de textos, declinando inclusive o magistério.
  • Segundo, a erudição: para poder lidar com textos de diversas áreas de conhecimento, mesmo sem a necessidade específica de entender do assunto, o revisor acadêmico precisa ter um repertório vasto de informações, no mínimo, conhecimento de vocabulário bastante amplo (amplitude léxica) e domínio de diversos campos semânticos. Possivelmente o revisor acadêmico não será um novato na área de revisão.
  • Terceiro, humildade: só pode ser revisor acadêmico que compreende completamente que seu desempenho é de assessoramento do cientista na transmissão do conhecimento. O texto é do autor e essa característica deve ser preservada nos limites que o próprio autor impõe, limites que se subordinam a quaisquer normas linguísticas o acadêmicas, bem como extrapolam as preferências do revisor. O revisor que já tenha seus próprios textos publicados certamente não estará preocupado em se projetar no texto de seu cliente.
  • Quarto, pontualidade: quem está com uma tese pronta ou um artigo para ser publicado tem data inadiável para ter o texto pronto - assim como pretende segurá-lo até o último instante possível, aperfeiçoando sempre a ideia e a escrita. Então o revisor acadêmico tem que ter estrita observação pelos prazos estabelecidos.
Claro que há muito mais que isso, todo o arcabouço linguístico - para apontar só mais um quesito. Aqui apenas foi a intenção apresentar pontos distintivos do revisor acadêmico. A todos os revisores são necessários os conhecimentos linguísticos em profundidade compatível com a atividade.
Ao trabalharmos aspectos ortográficos na revisão de textos, consideramos as características de “grafia” do gênero (acadêmico, por exemplo) a ser produzido, as condições de produção do texto, pois a opção por uma variedade linguística fora do padrão ou a adoção de uma configuração formal não canônica, a desobediência intencional de uma regra ortográfica, por exemplo, têm que ser avaliadas em função do tipo de texto, do suporte, das intenções comunicativas do autor.
Revisar não se limita à “higienização” do texto (passar a limpo - corrigir), mas deve assumir caráter de “refacção para edição final”, aperfeiçoamento da comunicabilidade, cuidando-se, além da ortografia, da textualidade e da apresentação (formato, limpeza, distribuição do texto e de eventuais ilustrações)
Além disso, a revisão de textos, como atividade profissional, exige que o revisor selecione aspectos a serem trabalhados em cada etapa do trabalho, já que não é possível tratar de todos ao mesmo tempo.
Formar segundo ABNT, Vancouver e outras é nosso ofício.
Desde sua implantação, só revisamos de
acordo com o Novo Acordo Ortográfico.
Em cada leitura se foca a atenção na coerência da apresentação do conteúdo, nos aspectos coesivos e pontuação, ou na ortografia - mesmo que sempre se esteja percebendo tudo isso. Quando se toma apenas um desses aspectos para revisar, é possível, ao fim da tarefa, sistematizar os resultados do trabalho devolvê-lo organizadamente ao autor. 
A ortografia é apenas um aspecto a ser considerado na revisão de texto, a questão ortográfica se entrepõe às outras dimensões da produção textual.
Ao revisar, sempre se se dá atenção a problemas da textualidade, o conjunto de características que fazem com que o texto seja texto, não apenas uma sequência de frases. Há sete fatores responsáveis pela textualidade de um discurso qualquer: a coerência e a coesão, que se relacionam com o material conceitual e linguístico do texto, a intencionalidade, a aceitabilidade, a situacionalidade, a informatividade e a intertextualidade, que têm a ver com os fatores pragmáticos envolvidos no processo sociocomunicativo.
Adaptação livre de Leite, K. M. B. S.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.