5 de julho de 2014

Revisão associada à produção de textos científicos

Propostas teóricas recentes sobre a revisão de textos revelam uma nova mudança de perspectiva na atividade, agregando a contribuição no processo de redação.

Por muito tempo, a revisão foi concebida essencialmente como atividade para planejamento e controle inferiores do texto, envolvendo o projeto e desenvolvimento da redação de textos científicos, técnicos ou criativos mais longos. Hoje, ela passa a ser considerada subsidio ao processo redacional alcançando os níveis de legibilidade do texto escrito. A nova proposta é passar da interferência no produto ao subsídio à produção, o que estamos chamando de revisão associada.
O revisor é tão especialista no texto quanto o autor de uma tese no conteúdo sobre o qual ele escreve.
A revisão de textos é processo
tão  técnico e envolve tanto
 conhecimento quanto outra
 atividade de investigação
ou produção técnica
ou científica.
A intensão da revisão associada é colaborar na produção escrita do ponto de vista da trama textual, desde a concepção inicial da estrutura e durante toda a escrita. Melhorar durante a produção alcança melhores resultados que corrigir ou aperfeiçoar depois. Assim posto, parece muito óbvio, mas não é o que foi feito até agora.
As atividades de revisão do texto e da sua melhoria com o texto concluso, quando eram requeridas à moda antiga, são bastante conhecidas; quando se trata de identificar maneiras de subsidiar textos em produção, utilizando diferentes estratégias e operações de revisão (revisão, reescrita, definir o problema, adiar, ignorar, interferir) aplicadas a textos em construção, acadêmicos em especial, são a novidade.
Quando a proposta é de revisão associada a autores em processo de produção de seu próprio texto, é a contribuição da revisão durante o processo de produção de texto que está em tela. Com efeito, os autores podem usar a revisão como meio de influenciar e controlar a sequência de sua produção, pela interação da revisão com os processos de planejamento envolvidos e nas metas de programação que podem ajudar a alcançar os objetivos. A revisão associada aos processos de planejamento e produção do texto propícia o sucesso do processo redacional ao permitir que os objetivos dos autores se foquem na atividade de produção escrita em si, focando conteúdo em detrimento da forma, pois esta não é de seu domínio pleno ou está fora da pauta.
A divulgação das propostas de interação entre revisores associados e autores no processo de redação é necessária em benefício de autores, de revisores e em proveito do objeto, o texto. O uso de revisão costuma ser interpretado como o resultado de uma falha de planejamento ou antecipação de problemas no decurso da composição do texto, o que atualmente nos parece claro equívoco. A possibilidade de contribuição da revisão de textos associada para a produção escrita ainda é pouco conhecida e a apresentação dessa interação produtiva é necessária para que os eventuais beneficiários do processo possam fazer uso dela.
A meta para a divulgação da revisão de texto com tal enfoque seria levar o público potencial, estudantes de mestrado e doutorado, por exemplo, a entender melhor as interações entre diferentes processos redacionais e revisionais implicados, tais como as análises e sínteses, a composição textual nos níveis léxico, sintático, pragmático. Note-se que a aplicação de estratégias de revisão associada utilizadas para subsidiar a produção de um texto acadêmico, assim como as estratégias de escrita implementadas para produzir o próprio texto, atualmente não fornecem mais que contribuição fragmentárias e, quando há tais contribuições, elas são do domínio do linguista, rarissimamente dos beneficiários que seriam os autores. É bom ressaltar que, mesmo com a intervenção do revisor durante o processo de escrita, o controle que os redatores de teses e seus orientadores, por exemplo, mantêm tanto em sua atividade científica quando redacional, permanece incólume.
O objetivo de elucidar a interação autor-revisor deve ser distinguir as funções de antecipação e verificação da produção e integração do controle sobre o produto durante sua construção. Também deve-se levar em conta a relação entre o processo e planejamento, o tipo de intervenção na revisão (sugestiva ou resolutiva) e o ônus dessa interferência no processo cognitivo. Nesse sentido, as contribuições da revisão propiciam o desenvolvimento de um método que permite aos envolvidos, autores e revisores, projetar uma ou duas etapas de realimentação que incluam o projeto macro estrutural do texto, o design gráfico, a referenciação e as indexações em paralelo ao planejamento da redação ou da revisão. Atualmente, são raros os casos em que os autores fazem o planejamento do texto e uso de revisão simultaneamente. O objetivo das interações propostas deve ser o de identificar e divulgar melhor essas ativações simultâneas de processos que poderiam ser instalados com a assessoria de expertise na produção escrita, apresentando a potencialidade da revisão associada aos eventuais clientes.
Outra questão importante na implantação dessa expertise redacional, entendida como subsídio e capacitação sustentável aos processos de trabalho redacional, visando redução de tempo na produção e otimização dos recursos, inclusive financeiros, pelo uso colaborativo das experiências recíprocas, há de ser assegurar que o procedimento não cause constrangimento a escritores novatos ou ciumentos de seu texto. A proposta é estabelecer um processo de revisão e avaliação da produção em tempo real, e não como é geralmente o caso, todo o conjunto do texto depois de concluído, direcionando os revisores a alocar recursos técnicos para as várias operações da produção textual, de acordo com a sua natureza e o nível de linguagem relacionada a ela. A ação concomitante da revisão associada propicia agregar qualidade aos textos, pois a eficiência é característica de ação de especialista.
Os estudantes de pós-graduação tenderão a emprestar mais consistência a seus argumentos quando elaborarem os textos submetendo a atividade redacional ao processo de revisão associada. Atividades complexas de controle de produção textual são efetuadas por meio de análise e reflexão sobre o texto durante repetidos contatos com a revisão, adquirindo características de aprendizagem da produção de trabalhos longos como as teses e dissertações. Mais que a aplicação de modalidades de aprendizagem naqueles textos, levando ao aumento de controle qualitativo de sua produção, consideram-se também nas revisões associadas as condições externas que também interferem na manutenção do controle planejado da redação. Ninguém trabalha em condições ideais, via de regra, e os recursos existentes, devem ser otimizados, quer seja a questão de prazos, quer sejam os recursos financeiros, quer quaisquer outros fatores.
Os trabalhos ligados à produção escrita, incluindo os de redação, revisão e avaliação utilizados nas instituições ou para elas, destinam-se à avaliação da aprendizagem ou publicitação da produção de conhecimento implicados, muitas vezes tal fator indissociável afeta os níveis mais superficiais da produção escrita, causando bloqueios. O treinamento sistemático advindo da revisão associada pode reduzir tais bloqueios até pela projeção do resultado, minorando o custo e liberando recursos (principalmente intelectuais) para a operação dos processos redacionais de alto nível (a transmissão da informação em si). A meta para os revisores associados, então, é articular tarefas de formação e informação para os processos de baixo nível (o texto como mídia), liberando os autores para o processo de controle de alto nível da execução, incluindo processos metacognitivos.