6 de julho de 2014

Revisão acadêmica: texto científico

Algumas vezes, nos referimos à revisão acadêmica, então é bom dizer o que entendemos que ela seja. A revisão de textos, embora o grande público não saiba, é uma atividade altamente especializada e segmentada, há revisores especializados nos mais diversos tipos de texto: literatura, publicidade, jornalismo e textos acadêmicos – nosso foco. Claro que pode haver, e há, revisores especializados em direito, botânica, manuais de equipamentos, legislativos, mas estes são outros tipos de corte, por assunto. Nós trabalhamos com o texto científico, aquele que se destina à universidade ou se origina dela para a realização de suas finalidades de produzir, difundir e avaliar o conhecimento. Esse texto requer uma revisão orientada para suas caraterísticas específicas, sendo tal serviço que chamamos revisão acadêmica.
Um texto limpo agrada ao leitor e atrai sua boa vontade ao conteúdo.
A revisão acadêmica é um tipo específico
de revisão de textos, voltada para a
produção científica.
Os revisores que focam em algum segmento do mercado de textos, normalmente, optam por um segmento de acordo com o tipo de texto, ou sobre um assunto, mas não excluem outros; afinal, os textos não são estanques em uma área de conhecimento nem têm apenas um público específico.
Nós trabalhamos mais com textos acadêmicos: as teses e dissertações (na maior parte das vezes), mas também os artigos, projetos, relatórios e tudo mais que as universidades produzem ou demandam de seus corpos docente e discente. Para tanto, somos completamente familiarizados com a linguagem científica das mais diversas áreas, com os tipos de textos que são requeridos e, acreditem, até com os problemas específicos que acometem os autores em cada caso.
A função do revisor de textos acadêmicos atenta a uma série de questões bem específicas: homogeneizar as construções em voz passiva ou plural majestático, depurar o uso de partículas indefinidas, priorizar a ordem direta das orações, evitar oralidades e eliminar tabuísmos, expurgar os lugares-comuns; para fazer uma lista de apenas alguns dos muitos requisitos desse tipo de texto. A revisão acadêmica não passa por aspectos técnicos do conteúdo do textos, essa é conhecida como “revisão entre pares”. Assim, o par do autor é o especialista no assunto sobre o qual o texto versa e vai tratar daqueles aspectos, o revisor de textos é especialista e registros linguísticos e se limita a eles.
Autorrevisão de uma tese é utopia. Entregue o trabalho para um revisor profissional.
Descartes não trabalha conosco.
Consideramos o discuso e o método dele
antiquados para nossos padrões.
A revisão feita pelo par (inclusive o orientador – no caso de tese ou dissertação) não dispensa nem substitui a revisão do profissional de língua, da mesma forma como o contrário também não ocorre: ninguém corre o risco de se apresentar diante de uma banca sem haver submetido o texto ao orientador (nem tal se permite). Também ocorre que muitos programas de pós-graduação já requerem que os trabalhos passem, necessariamente, por um revisor de textos qualificado antes de aceitar o depósito da tese para defesa. As revisões, todas, só tem por objetivo valorizar o produto e ampliar a validade, legitimando o autor como tal. Autor sabe que precisa de revisor e autor de texto científico sabe que precisa do revisor acadêmico.
A revisão acadêmica é indicada para todo tipo de trabalho acadêmico: teses, dissertações, monografias, artigos, projetos, relatórios, resenhas. O texto deve ser submetido a diversas fases de revisão; as primeiras e a última pelo próprio autor, mas outras pessoas devem revisar o trabalho para que os vários tipos de problemas sejam eliminados ou reduzidos ao mínimo.
Em nossa revisão, a ortografia de todos os vocábulos em português, inglês e espanhol é verificada por meio eletrônico e por sucessivas leituras do texto digital e impresso; são utilizadas pelo menos duas ferramentas diferentes de revisão ortográfica, a sintaxe é checada eletronicamente e pelas leituras mencionadas, bem como a concordância nominal, verbal, pontuação. Busca-se a uniformidade de estilo, tratamento, formas verbais e verifica-se a coerência micro e macrotextual (os parágrafos, capítulos e o corpo do trabalho). (Texto publicado em nosso site em 2003)