28 de janeiro de 2016

Desencalhe sua tese

1 - Tenha uma ideia

Antes de tudo, você necessita de um conceito para o seu trabalho. É preciso sair dos terrenos das dúvidas e sempre se aproximar de onde houver alguma certeza. Uma tese não é um artigo e não funciona como um artigo: evite tentar pensar numa abordagem demasiado generalista.
A formatação profissional agrega qualidade.
Não para em dúvidas, avance que
algo vai acontecer.
Tenha uma ideia só, descarte as outras. Selecione uma categoria ou tema do seu conhecimento, ou simplesmente um assunto específico que possa ser desenvolvido. Quando decidimos escrever o nosso primeiro trabalho mais longo, temos dificuldades específicas. Veja as diferenças conceituais entre tese (que usei acima no sentido genérico) e dissertação ou monografia e se enquadre onde couber

2 - Comprometa-se com todo mundo

Escreva um artigo no seu blog dizendo o que está fazendo e quando ficará pronto. É incrível o quanto este comprometimento com os seus leitores e amigos o consegue motivar para atingir o seu objetivo! Conte pra todo mundo. Diga que vai ficar pronto em uma data tal, mas que o prazo seja possível.
Publique partes e capítulos que estiverem prontos ou já bem alinhavados. Ao contrário do que pode parecer, a publicidade é a maior garantia de preservação da autoria. Atualmente se pode publicar qualquer texto na internet. Faça propaganda da publicação entre seus colegas e seu orientador. Isso possibilitará que lhe façam críticas, sugestões e contribuições. Fica-lhe ainda garantida a primazia sobre alguma ideia, mesmo que alguém tenha pensado algo semelhante e defenda a tese antes de você.

3 - Escreva o primeiro esboço

Se por ventura é autor e já tem por hábito escrever muito, saberá certamente a importância de criar esboços antes de produzir obras. Com uma tese este processo é basicamente crucial: você certamente não está interessado em escrever durante horas e horas, para chegar à conclusão de que o seu texto está completamente fora de tópico. Muito menos está interessado em abrir o seu editor de texto e não fazer a mínima ideia de por onde começar…
Comece por abrir uma página em branco e aproveite para digitar algumas ideias que tenha presentes em mente; chuva de ideias mesmo. Obviamente que dependendo de profissional para profissional a abordagem será completamente diferente, mas aquela que utilizamos por exemplo na produção do nosso livro mais recente foi a seguinte:
Mapa de Ideias: comece por definir o título e, posteriormente estruture as ideias em redor desse título e daquilo que projetou para ser o desenvolvimento de ideias. A construção de um mapa de ideias é extremamente importante para ajudá-lo na concepção dos seus conteúdos.
Elimine pontos generalistas. Faça uma ordenação lógica das ideias e elimine pontos que considere demasiado generalistas para a abordagem que pretende fazer: corte os acessórios supérfluos.
Identifique os capítulos. Monte o “esqueleto” capítulos, seções, tópicos e vá lançando as ideias que correspondem a cada item. Ao faze-lo, você fica numa posição bastante mais confortável para o desenvolvimento das ideias.
Idealize as imagens. Se você tem uma boa ideia para a hora da defesa, para uma imagem numa apresentação, coloque-a no papel para futuro desenvolvimento também.
Embora possa parecer complicado, na verdade este processo é extremamente simples. Sente-se meia hora a desenvolver estas ideias e rapidamente tem a estrutura do seu trabalho pronta para desenvolvimento.

4 - Desenvolva o conteúdo

Este ponto é um dos mais importantes de toda a estratégia de desenvolvimento do seu trabalho, e também aquele em que a grande maioria dos estudantes para – escrever o suficiente para lançar a tese. Pense na seu tese como uma série de artigos mais curtos. Se você conseguir repartir as ideias de desenvolvimento, o processo de trabalho fica simplificado e será mais fácil para cumpri-lo. Entretanto e à medida que vai desenvolvendo o seu trabalho, é possível que encontre uma série de contratempos, os quais deverá evitar.

5 - Tome nota

  • Livre-se das distrações

É MUITO importante que você evite distrações no desenvolvimento do seu texto. Isso significa que ou você desliga a conexão à internet, ou então está proibido de ver os emails, o Twitter ou o Facebook. Obviamente que é impensável você escrever o seu texto todo direto – mas dê a si próprio pelo menos blocos de 2 a 4 horas de trabalho intensivo. Há quem faça blocos também por metas de escrita.

  • Não faça edição enquanto escreve

Revisão linguística boa tem custo elevado. Sai caro é não revisar.
Tome notas o tempo todo sobre as
referências, vá fazendo a lista delas
 ao mesmo tempo que as encontra e
escreve. Depois pode suprimir, se
for o caso, qualquer item.
Tendo em conta que está numa fase primária de desenvolvimento, esqueça a parte da qualidade técnica da sua escrita. Evite ao máximo estar a reler tudo aquilo que escreve e a editar na mesma hora para que fique perfeito – siga em frente. Na verdade, você terá sempre de voltar a reler o seu trabalho para encontrar falhas antes de passá-lo adiante.

  • Não faça formatação enquanto escreve

É óbvio que quando você imagina o sua tese pronta, ela deverá ser uma autêntica obra de arte, com estilização, seções, capítulos, textos a negrito, itálicos, citações, estatísticas, etc. Mas a verdade é que, no primeiro rascunho de desenvolvimento, você deverá evitar ao máximo este tipo de formatação. Esqueça, neste momento que existem normas, formatos e esse tipo de detalhe técnico. Deixe o texto fluir na velocidade de suas ideias. O único cuidado imprescindível é o de fazer corretamente as anotações das referências, com o mínimo de informações: (NOME, data: pág.).

  • Adicione elementos gráficos

Depois de ter o seu texto pronto enquanto produto em bruto, é hora de adicionar elementos gráficos que, de alguma forma possam valorizar o resultado final. Obviamente que o tipo de elementos gráficos depende do assunto do trabalho mas, ainda assim, considere:
Um bom motivo para revisar o texto: um bom texto!
  • Gráficos estatísticos e tabelas;
  • Diagramas e quadros sinóticos para quebrar complexidades;
  • Fotos e ilustrações para complementar o conteúdo;
  • Imagens para utilização em avisos, citações, dicas.
  • Anexos: apenas informações essenciais que não sejam de domínio público e não integrem seu trabalho.
  • Tenha sempre em consideração a citação de fontes de imagens e outros elementos gráfico. Prefira sempre por imagens que tenham uma licença de livre utilização e modificação.

6 - Faça a edição de texto

Depois de ter desenvolvido o conteúdo, observe que o mais difícil já está feito. Agora é tempo de você rever, reescrever algumas partes do texto, cortar o que estiver sobrando, editá-lo e poli-lo para que se torne quase perfeito! Tal como em qualquer outro processo de redação, você deverá conseguir tempo para desenvolver esta estratégia: nesta fase você não poderá vacilar em nada e não deverá esquecer-se daqueles pormenores e notas que deixou espalhados. 
Revisores qualificados para texto acadêmico: Keimelion.
Chega um momento em que importa
 escrever. Depois pode ser hora de
cortar. Ao fim, será hora de revisar.
É depois dessa edição que se deve submeter o texto, no todo ou em partes, ao orientador. Evite apresentar fragmentos muito curtos e só apresente o texto completo, pronto, se estiver muito seguro de sua produção.
•    Edite a estrutura 
A sua primeira edição deverá ser a estrutura: tenha a certeza de que os seus capítulos e seções se encontram nos locais e ordens corretas e, acima de tudo, que reúnam conteúdo de qualidade. É muito importante que toda a estrutura esteja correta e organizada de uma forma lógica para que o leitor se sinta a progredir, ao invés de se sentir confuso e embaralhado.
É a hora de mover os parágrafos dentro do texto. Hora de inverter a ordem de algum capítulo. Mudar essa ilustração para aqui ou observar que poderá fazer um quadro com tais e tais ideias.
•    Edite links, citações, referências
Depois de ter a sua estrutura garantida, é altura de partir para uma edição de citações, links, referências. Obviamente que esta tarefa depende do tipo de estrutura do trabalho, mas é importante que você utilize referências para conteúdos que não forem de sua autoria, que inclua citações se necessário.
•    Edite a ortografia e sintaxe
Edite as frases que considera ambíguas ou que de alguma forma não estão corretas. Recomendamos que leia o seu trabalho  em voz alta e procure ir editando a ortografia e sintaxe do mesmo. Ao reler o seu produto, chegará à conclusão de que existia muito trabalho de edição para fazer.

7 - Faça a formatação

Primeiro defina se fará esse trabalho você mesmo ou se vai contratar alguém para o fazer. Isso é perfeitamente lícito. A maioria dos revisores também faz formatação.
A revisão da tese demanda tempo.
Agora o seu trabalho está escrito editado, o texto já tem a aprovação prévia do orientador, e decidido que você mesmo vai formatá-lo, é hora de colocar tudo em conformidade e em harmonia com a norma adotada. Define o seu cabeçalho e rodapé, atribua números às suas páginas, coloque tudo no mesmo tipo de letra, defina a estilização dos títulos e sub-títulos.
Mesmo na rigidez da norma acadêmica haverá uma série de decisões estéticas a serem tomadas.
Recomendamo também a utilização das seguintes técnicas de formatação:
  • Utilize negrito para enfatizar títulos de obras, e itálico para palavras estrangeiras; sublinhe para enfatizar;
  • Citações, dicas e avisos devem estar em bloco ou caixa específica;
  • Quebre alguns parágrafos em listas, para reter a atenção do leitor.

8 - Faça sumários e índices

Uma das coisas que consideramos importantes num trabalho, é o seu sumário e índices. Na formatação bem feita os índices e o sumário são gerados automaticamente, relacionando o capítulos, tópicos, ilustrações, gráficos e tabelas respectivamente, bem como autores citados e lugares, se for conveniente.

9 - Contrate revisão com ou sem formatação

Recomendamos vivamente que invista algum dinheiro na revisão do seu trabalho e na formatação, eventualmente. Nada substitui o revisor profissional, embora a decisão de usar terceiros para a formatação dependa de sua possibilidade financeira e disponibilidade de tempo, bem como de seu conhecimento do programa editor de textos em uso. Dispensar o revisor é quase tentativa de suicídio autoral
Um texto limpo agrada ao leitor e atrai sua boa vontade ao conteúdo.
Os autores escreve ao computador,
os revisores revisam ao computador.
Importantíssimo: só encaminhe o texto para a revisão depois de o concluir completamente e de ele estar aprovado pelo orientador. Informe ao orientador se for contratar também a formatação, para que ele não cobre detalhes que não foram trabalhados. Enquanto o texto estiver com o revisor, você não poderá fazer modificações nele, tampouco seu orientador o faça. Mudar o texto enquanto ele está sob revisão gera uma problema conhecido como conflito de versões e nem sempre isso se resolve a contento.

10 - Entregue o trabalho

Depois de revisado e formatado, passe novamente o trabalho ao orientador. Ele sempre há de querer alguma modificação (normalmente irrelevante), mas não se preocupe: será facílimo para o revisor ou formatador fazer os ajustes solicitados. Observe: a norma afinal não é a ABNT ou a da instituição, mas a interpretação que o orientador faz dela. Então, você já pode fazer a entrega definitiva. Acabou.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.