25 de junho de 2014

Perguntas frequentes sobre revisão de textos

O que é revisão de texto?

Depois do texto foi concluído pelo autor ou autores, é hora de ele ser editorado – e pouquíssimos são os casos em que se pode pular algumas etapas da editoração; pode ser necessário um designer gráfico para criar a composição, um diagramador para compor os textos e os elementos gráficos e um ou mais revisores e preparadores do texto. O trabalho é então exibido na tela do computador ou impresso, depois vem a prova – a prova de que ele está pronto para publicação – e as provas: várias impressões até a aprovação. Também pode ser necessário um revisor de provas (para a prova de impressão).
As interferências que o revisor fará
podem ser sempre negociadas.
Um revisor de textos (preparador ou revisor de provas – conforme o caso) procura consistência linguística e material no uso, apresentação e precisão no texto (palavras e frases), imagens e layout, mas não pode ser responsável pela obra do autor ou pelos papeis do editor de texto ou do orientador, quando se trata de uma dissertação ou tese. Os limites da interferência do revisor são estabelecidos antes de ele fazer o serviço.

O que é editoração do texto?

Muitas instituições: conselhos editoriais, empresas, escolas, instituições científicas, sem equipe com experiência editorial, não sabem especificar o que eles precisam, nem exatamente o que querem. O mesmo ocorre com os autores de trabalhos acadêmicos, que só contam com seu orientador e com normas muito vagas (ou excessivamente detalhadas) sobre o trabalho que devem entregar. Em muitos casos, o texto pode ser um esforço de equipe, ninguém olhou o todo, ou pode ser fortemente autoral – sem muita possibilidade de modificação.
Em geral, os clientes precisam e esperam muito da revisão do texto, mas ainda não percebem o que pode fazer grande diferença: um revisor profissional. Nós vivemos nos pais do “jeitinho”, e muitos autores imaginam que, para revisar, basta “saber português” – então, contam com o a ajuda daquela amiga que “dá aula de redação”... E o desastre se avizinha: quem não é profissional não tem disponibilidade integral para cada serviço com que se compromete, não conhece programas de editoração, não é capaz de implementar mecanismos de interação com o autor, não está afeto a diferentes jargões – nos casos dos textos científicos.
O revisor profissional tem que conhecer as necessidades do cliente (aquele que não sabe exatamente do que precisa!) e negociar um orçamento e cronograma adequados às necessidades do serviço. O revisor profissional tem que conhecer o processo editorial evolvido na finalização do texto, não apenas as questões linguísticas.

Qual o papel dos revisores de textos?

Os revisores têm a responsabilidade e a última chance de ver tudo – palavras, notas de rodapé, imagens, gráficos, tabelas – integrado com o projeto antes de ele ir a público, pode ser um grande livro ou uma tese, um artigo científico ou um website. Depois dos autores, entram os revisores, mas sempre com o canal de comunicação aberto entre os dois personagens ou as duas equipes.
Ser revisor requer cuidado, julgamento, habilidade, conhecimento e experiência na verificação do que o autor trabalha, compreensão dos papeis do editor, orientador, designer e dos outros profissionais envolvidos. Quando se trata de uma tese, o revisor conhece o processo de depósito e das intercorrências desse tipo de situação. O revisor assessora seu cliente na solução dos problemas, tudo com o objetivo de otimizar o resultado, minimizando riscos e atrasos.
Nos casos dos trabalhos acadêmicos, design e composição se fundem na formatação, mas aqui a criação fica limitada por normas e por recursos e prazos específicos e, muitas vezes, o revisor acumula as tarefas todas, visando a simplificação e desoneração para o cliente.

O que os revisores fazem?

  • Verificam os números de página e as estruturas de tópicos (pré-texto, capítulos, subtextos, pós textos...) cabeçalhos, rodapés.
  • Verificam a tabela de conteúdo, o conteúdo das tabelas, checam a correspondência entre as imagens e o texto, e delas com apêndices, índices, sumário.
  • Asseguram estilos consistentes – de grafias e hifenização, particularmente – seguindo um guia de estilo, se fornecido, ou compilando seus próprios. A consistência passa pela uniformidade de critérios.
  • Cuidam das omissões e inconsistências gráficas entre layout e conteúdo.
  • Julgam a necessidade de mudanças, tendo em conta o orçamento e cronograma. Mudar apenas uma palavra pode ter repercussões drásticas. Não mudam nada sem uma justificativa clara para a intervenção.
  • Identificam as mudanças necessárias fazendo intervenções com controle das alterações (em papel ou tela), usando códigos de revisão (quando o trabalho for feito em papel), marcas ou outro método de acordo com o programa de editoração (na tela).
  • Verificam ou inserem referências cruzadas, sempre que possível.
  • Eliminam uma palavra deselegante ou confusa, verificam quebras de páginas e colunas eliminando linhas viúvas e órfãs – primeiras ou últimas linhas de um parágrafo isoladas no topo ou no fundo de uma página, respectivamente.
  • Certificam que as ilustrações, legendas e etiquetas correspondem uns com os outros e com o texto.
  • Verificam que o conteúdo esteja logicamente organizado.
  • Mantêm contato com o autor(es) para resolver dúvidas, fazer consultas ou aconselhar o cliente.
  • Agrupam as alterações do(s) autor(es) com os outros envolvidos (editor, orientador, formatador...), incluindo as próprias, racionalizam ou compatibilizam as instruções conflitantes.

O que revisores de textos não fazem?

  • Redação. Mudanças de sentido ou de posicionamento. Se forem necessárias alterações, o revisor primeiro vai discutir a situação com o cliente.
  • Design e layout da página. Esta também é uma habilidade de especialista. No máximo, o revisor pode fazer a formatação de um trabalho acadêmico.
  • Buscar licenças de uso permissões. Procurar referências e fontes. Permissões para usar imagens ou citações de direitos autorais devem ser obtidas antes de editoração.

Muitos revisores profissionais têm as habilidades para executar esses serviços, mas eles exigem negociação separada e briefing.

Quais as características profissionais do revisor?

Muitas pessoas pensam que os revisores só verificam ortografia, gramática e pontuação. Estes são elementos muito básicos do trabalho, o conhecimento de linguística aplicada é extremamente necessário, assim como a velocidade da leitura e refinada percepção dos desvios da norma padrão.
É preciso bom conhecimento geral, amplo vocabulário e a habilidade de expressar ideias de forma concisa. O revisor precisa ser disciplinado e confiável. O revisor tem que ter tempo para fazer seu trabalho no rumo da perfeição. O revisor não precisa gostar do que o autor quer dizer, ou do seu estilo, sempre faz o seu melhor para ele.
Por Keimelion revisão de textos; traduzido e adaptado de SFEP.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.