23 de maio de 2014

Estratégias para promover a revisão da tese

Um levantamento dos estudos realizados mostra que existem várias propostas para ajudar o autor durante a revisão de sua tese. Entre essas propostas, destacam-se o uso de instrumentos adequados e os projetos colaborativos.

Formatação de tese é bem mais complexo que parece. Contrate um profissional e cuide só do conteúdo.
Revisão de textos é o ofício de estar
atento ao detalhe e ao conjunto.
O feedback do revisor é, de todos os instrumentos, o que causa menor impacto na produção textual do autor. Estudos realizados têm demonstrado que as correções e comentários do na tese apenas surtem efeito quando há um retorno do texto do autor para o revisor após o feedback. Não havendo esse retorno, as correções são geralmente ignoradas e os autores, via de regra, vão repetir os mesmos erros nos textos seguintes. A produção textual neste caso parece que é vista pelo autor como um processo em que ele escreve, o revisor “corrige” o texto, devolve para o autor ou editor e isso encerra o ciclo.
O uso de instrumentos adequados, inclusive os recursos eletrônicos de editoração e correção, bem com listas de verificação de erros comuns (checklist) são recursos eficazes do processo de revisão. Os exemplos abaixo, extraídos de instruções do On-Line Writing Lab (1995), dão uma ideia do que pode ser incluído num roteiro de revisão:
    Nosso serviço de revisão de dissertação de mestrado é profissional.
    A revisão para a tese
     é a última oportunidade
     de aperfeiçoamento
     antes da defesa.
  • Sou gentil com meu leitor incluindo no meu texto o que ele precisa saber e só o que ele precisa saber?
  • Meu texto tem uma tese ou propósito?
  • Os parágrafos se relacionam com a tese ou propósito?
  • Cada parágrafo tem um tópico frasal com a ideia central?
  • Os detalhes de cada parágrafo se relacionam com a ideia central?
  • Alguns detalhes devem ser movidos para outro parágrafo?
  • Há uma frase de conclusão para o parágrafo?
  • Há transição entre os parágrafos?
  • O verbo concorda com o sujeito?
  • A relação pronome/antecedente está correta?
  • Cada frase contém uma oração independente e apenas uma?
  • Há frases muito longas que devem ser separadas?
  • Há sequências de frases muito curtas?
  • Há palavras faltando?
  • Há palavras repetidas?
No momento em que o texto é escrito, lido e revisado, ele passa a atender também as exigências do leitor, incorporando suas características. No processo de negociação que se estabelece entre escritor e leitor, o escritor não escreve mais só para si, mas também para o outro, iniciando a longa aprendizagem que o pode levar à consciência da necessidade de cativar o leitor, aperfeiçoando o senso de público. Nesse processo é que intervém o revisor como mediador, como crítico externo. Quando o autor perceber que o leitor não é cativado apenas pelo conteúdo do texto, mas principalmente também correção gramatical e estilo, ele poderá sentir a necessidade de considerar as questões globais, com ênfase na produção de sentido comunicativo, segundo as propostas do revisor.
Parcialmente adaptado de: LEFFA, Vilson J. O processo de autorrevisão na produção do texto em língua estrangeira. Trabalho apresentado no XI Encontro Nacional da ANPOLL, João Pessoa, 2 a 6 de junho de 1996.