9 de abril de 2014

Falácias em teses e dissertações (II)

Argumentos falaciosos a serem evitados em teses e dissertações

Dando sequência à série de argumentos falaciosos, apresentamos aqui alguns que se reportam contra as falhas da argumentação, outros contra a pessoa que argumenta e outra que consiste em estender um argumento para negá-lo. A todas essas questões deverá atentar o revisor, dendo dos limites de sua competência estabelecida, inclusive, eticamente em relação ao autor e orientador da tese ou dissertação, isso é, sem formação de juízos sobre o texto, mas aparando-lhe as arestas segundo o pensamento do autor e sua intensão.

4. A falácia da falácia

Tese e dissertação formatada profissionalmente.
Uma falácia não pode esconder a verdade
nem servir de argumento contra a verdade.
Trata-se de se entender que uma afirmação está errada só porque não foi bem construída ou porque uma falácia foi cometida.
Se o autor for honesto, terá em mente que só porque alguém cometeu um erro em algum texto na sua defesa do argumento, isso não significa que o argumento em si esteja errado.

5. Falácia da ladeira escorregadia

O autor faz parecer que o fato de que, por se ter permitido que aconteça A implica que aconteça Z, e por isso não se pode admitir A. Também chamada de bola de neve ou derrapagem. O autor elabora uma sucessão de premissas e conclusões que conduzem ao absurdo.
O problema é que essa linha de raciocínio evita lidar com a questão real, desviando a atenção para hipóteses extremas. Sem apresentar prova de que tais hipóteses extremas realmente ocorreram, dá-se a forma de um apelo à emoção do medo ou outra.

Exemplo: Se alguém admite o aborto de bebês anencefálicos, logo defenderá o aborto em bebês com síndrome de Down e acabará defendendo todo tipo de aborto.

6. Falácia do argumento ad hominem

Uma dissertação se revisão profissional é um risco.
As qualidades da pessoa não qualificam
seus argumentos: nem se for um revisor!

O texto ataca o caráter ou traços pessoais do autor de que diverge em vez de refutar o argumento dele.
Ataques ad hominem são golpes pessoais e diretos contra alguém, contra o caráter ou atributos pessoais. O resultado de um ataque ad hominem é prejudicar o adversário fugindo do argumento dele ou sem apresentar um próprio.


Exemplo: Se fulano afirmou isso, não pode ser verdade, pois fulano é de direita e autores de direita são canalhas.


As 24 falácias a serem evitadas:
Share on Tumblr
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial.
Para solicitar orçamento, envie o texto.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.