20 de fevereiro de 2013

Características textuais do resumo da tese e dissertação

Costuma-se classificar como resumo acadêmico uma série de textos diferentes. Chamam de “resumotextos técnicos com uma avaliação crítica (resenhas), apresentações resumidas de filmes e livros (sinopses), blocos de texto introdutórios numa pesquisa acadêmica (os abstracts) e até mesmo o processo de produção do resumo em si (a sumarização). Isso ocasiona dois problemas. O primeiro é que a nomeação nem sempre é sistemática e homogênea: um mesmo gênero pode ser encontrado sob nomes diferentes em veículos comunicativos diferentes, como é o caso da sinopse que, em alguns periódicos, aparece com o nome de “resumo”. O segundo é o obscurecimento da relação entre o gênero e os textos que o materializam, como é o caso do resumo enquanto síntese de um texto acadêmico e o resumo enquanto apresentação de um trabalho científico, ambos identificados por muitos como sendo relativos ao mesmo gênero. Entretanto, o resumo introdutório de monografias, dissertações e teses já tem caminhado na direção de uma independência; portanto, deve ser reconhecido como um gênero à parte, nomeado por alguns de abstract.
Antes de levar o texto para a defesa da tese,
que o revisor já o tenha aprovado.
O abstract, por sua vez, vem recebendo muita atenção nos últimos anos, sendo considerado uma espécie de subgênero do resumo, comumente encontrado em monografias, trabalhos de conclusão de curso, dissertações de mestrado e teses de doutorado. Sua função comunicativa básica costuma ser fornecer uma descrição sucinta do conteúdo do trabalho, poupando tempo ao leitor e ajudando-o a determinar o grau de interesse que aquela pesquisa assume para ele em si. Já está demonstrado que a composição de um abstract varia de acordo com fatores de ordem cultural, linguística e disciplinar. Esses fatores determinam a predileção do pesquisador de determinada área por certas escolhas linguístico-discursivas, numa quantidade e posicionamento específicos no texto.
Vejamos agora alguns dos principais traços característicos do resumo acadêmico mais especificamente. Ele faz parte de uma atividade primariamente de reescritura, na qual se resguardam a coerência e coesão em relação ao texto fonte, constituindo-se, porém, uma nova unidade que pode ser lida independentemente. O resumo tem por função apresentar de forma concisa as ideias básicas de um texto e é composto por sequências narrativas que preservam, ou refletem, estruturas linguísticas do texto original, mantendo seu modelo global relativamente intacto.
Assim, por se tratar de uma simples apresentação sintática do conteúdo e organização do texto fonte, esse gênero não costuma conter comentários ou julgamentos relativos ao texto resumido, papel que normalmente cabe à resenha. De modo geral, o resumo é considerado satisfatório se for claro, breve e fiel, se utilizar palavras próprias, bem como se enfatizar a ideia central do assunto. 
Entre os elementos que devem fazer parte do novo texto produzido, podemos destacar:
  1. correção gramatical e léxico adequado à situação escolar / acadêmica;
  2. seleção das informações colocadas como as mais importantes no texto original;
  3. indicação de dados sobre o texto resumido;
  4. organização de tal modo que o leitor possa conhecer o conteúdo global, o desenvolvimento das ideias do texto e a articulação entre elas;
  5. apresentação das ideias principais do texto global e de suas relações; 
  6. possibilidade de compreensão do resumo final por si mesmo.
Fragmentos adaptados de Lopes.
Estas são as partes que compõe a tese e a dissertação,  o resumo é pré-texto necessário.
Share on Tumblr

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Recebemos bem comentários e críticas; identifique-se. Para serviços, escreva a keimelion@gmail.com.

Keimelion, revisores acadêmicos

Nossos telefones:
São Paulo +55 (11) 3042-2403
Rio de Janeiro +55 (21) 3942-2403
Belo Horizonte +55 (31) 3889-2425
Skype: keimelion
Solicite orçamento sem compromisso, enviando o texto para:
keimelion@gmail.com
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.