26 de setembro de 2012

Faça sua ficha catalográfica

O texto bom requer revisão profissional

Tudo que a maioria dos autores deseja é se assegurar que seu texto esteja formalmente correto e seja claro, compreensível, agradável, coerente - tendo como pressuposto que o conteúdo seja uma questão superada. Mas assim que os "erros de português" sejam eliminados das frases e palavras, quase todo escritor iniciante se dá por satisfeito. Da mesma forma, autores maduros julgam frequentemente que seu texto seja bom e dispensam a revisão.
Revisão de textos é assunto para profissional do ramo.
O texto é um conjunto de ideias que
têm que ficar bem encaixadas.
A gramática não pode ser deixada de lado - ou pode já estar totalmente aplicada, mas é preciso considerar vários outros aspectos que contribuem para a qualidade de um texto, como objetividade, emprego de expressões adequadas ou riqueza de vocabulário, coerência em diversos níveis, coesão... - sem falar em aspetos contextuais, mídias, público-alvo. São tantos os fatores a serem considerados que quase se pode dizer que a escolha de cada palavra e a escolha do lugar de cada uma delas têm que ser pensados. Mas se o autor for pensar em tudo isso, ele não escreve! Não escreve mesmo: a linguagem requer fluência, dinâmica, continuidade, assim como o pensamento - um encadeamento natural que, se for rompido, costuma travar o processo comunicacional.
Nesse contexto de virtual paradoxo surge a figura do revisor: é ele que vai cuidar de repensar as palavras e o lugar delas. Claro que isso foi feito pelo autor, que inevitavelmente terá relido o que escreveu e modificado, modificado, modificado até que todas as alternativas já o confundam, ou que já não esteja mais percebendo os problemas comunicacionais do texto - pois ele o conhece tão bem que o entende perfeitamente!
Revisar o próprio texto é quimera. O autor faz releituras, reescreve. Não se pode pensar em revisão de textos sem a considerar como serviço profissional, um trabalho cheio de técnicas e repleto de muito conhecimento e constante acréscimo de erudição. Qualquer pessoa pode reler, melhorar, corrigir um texto com problemas - mas a questão se complica quando o texto já está bem escrito: somente o profissional experiente encontrará os problemas sutis e o aperfeiçoamento fino que aquele texto requer e merece.
Um bom texto não dispensa a melhor revisão, ele a reclama e a merece - assim como o melhor autor faz jus ao serviço de um excelente revisor. Claro que todo autor, por menos experiente que seja, também merece serviço de revisão de primeira, mas a excelência do texto será resultado do trabalho proveniente do autor, cabe a ele a criação - o revisor dá o lustro, o acabamento.

11 de setembro de 2012

Maiores dúvidas de português dos leitores de Veja

O site da revista Veja tem um "consultório" de dúvidas de português, o que numa linguagem menos popular seriam dificuldade linguísticas. A lista que se segue, com os links para o site da revista onde o consultório se situa, contém a os dez artigos da seção que foram e continuam sendo mais acessados pelos leitores da coluna, em ordem decrescente de visitação. É um bom painel das dúvidas linguísticas que mais atormentam os brasileiros (e as brasileiras, como acrescentariam os cultores de um modismo besta, comentado no item 4) nos dias de hoje.

A língua é sempre um mar de dúvidas,
o revisor é o piloto que conhece o porto.
A coluna se propõe a esclarecer qualquer dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática.
Toda quinta-feira o colunista responde consultas pelo endereço: sobrepalavras@todoprosa.com.br
  1. Risco de vida ou risco de morte?
  2. Presidenta x presidente: a língua também pode ser política.
  3. Americano, norte-americano ou estadunidense?
  4. Todos e todas, brasileiros e brasileiras.
  5. ‘Como lhe aprouver’: isso existe?
  6. A pronúncia de ‘subsídio’: erro hoje, regra amanhã?
  7. Através ou por meio?
  8. Por que escrevemos ‘muito’ e falamos ‘muinto’.
  9. História x estória, um conflito histórico.
  10. Ioga ou yôga? Respire fundo.
Em geral, gostamos muito das respostas encontradas por lá. Recomendamos a coluna com a ressalva de que ela se refere a textos em geral, dependendo do contexto a norma pode ser mais ou menos flexível. Cabe bom senso do autor e a opinião técnica do revisor.

5 de setembro de 2012

Contra plágio e outras fraudes acadêmicas

Seguimos em nossa colaboração contra todo tipo ilicitude nos trabalhos acadêmicos. Nosso trabalho visa sempre colaborar no aperfeiçoamento dos textos e, de tal modo, dar nossa contribuição ao desenvolvimento do saber. O plágio, a contrafação de trabalhos (até a compra de teses e dissertações), e mesmo a falsificação de diplomas têm se tornado problemas graves no Brasil - e já eram no exterior, mas são questões que se agravaram com o advento da internet.
Jamais entregue uma tese a um revisor que vende trabalhos.
O plágio deteriora o saber e a ética;
fazemos de tudo para o combater.
Todavia, a própria rede tem muitos mecanismos que propiciam a identificação de todo uso ilícito de textos alheios. Reproduzimos aqui essas indicações advindas do Portal Universia, tendo-as como de utilidade pública.



Detectores de fraudes
O site Turnitin oferece o programa de identificação de plágio em mais muitos idiomas, inclusive o português e é usado por mais de 1 milhão de professores em todo mundo.
O site iThenticate é um dos mais populares para detectar e previnir plágios profissionais. 
O site Plagiarism detect que detecta plágio gratuitamente.
O site Plagetraker é um verificador livre e gratuito de plágio on-line.
O software Plagius consegue detectar cópias em arquivos de diversos formatos como Word, Pdf, OpenOffice, HTML e texto simples.
O software Ephorus pode ser usado temporariamente sem cobranças
Site Farejador de Plágio em português que garante detectar cópias em trabalhos.
O programa JPlag não rastreia conteúdos online, mas procura similaridades entre os trabalhos dos estudantes.
O DOC Cop é outra ferramenta que também detecta a cópias.

2 de setembro de 2012

Dicas para não escolher um revisor de textos

Revisão de textos hoje em dia é um mercado muito disputado. Quando entramos neste ramo, há mais de dez anos, quase não havia profissionais no mercado, ou eram apenas aqueles das editoras e dos poucos empregos mais em que havia deles. Com o advento da internet, e sua posterior penetração quase universal, parece que muita gente viu nessa atividade um filão de renda.
A escolha de um revisor errado
pode resultar em borrões no texto.
Há revisores de todo tipo, para todo texto. Há revisores de todo preço e para todos os autores. Há muita gente boa na praça, muitos revisores com décadas de experiências e profissionais novos dedicados e competentes. Quase todo revisor pode ser encontrado pela internet, a maioria tem site, blog ou algum outro tipo de página.
Muitos são os critérios pelos quais se pode escolher um revisor de textos, mas aqui vamos apontar alguns indícios de que você não deva contratar determinado revisor:
  1. Preço: evite com cuidado aqueles que cobram abaixo da média, fora do preço que o mercado pratica. Não é possível que um profissional eficiente e competente revise, digamos, a R$1,00 por lauda (mas há quem ofereça serviço a esse preço). Simplesmente não pode ser trabalho sério.
  2. Site: fuja de quem não apresenta portfólio, não apresenta nomes das pessoas envolvidas, não tem endereço, telefone fixo e domínio próprio. Pode até fazer um bom serviço, mas o risco será grande.
  3. Fraude: nunca envie seu texto para quem faz trabalhos para os outros. Certamente seu texto será arquivado para ser vendido uma ou muitas vezes para terceiros, com pequenas ou nenhuma modificação. Autor sério não contrata revisão de quem comete fraude, plágio, contrafação e falsidade ideológica (fazer trabalho para os outros pode implicar em cada crime desses - veja sobre isso).
  4. Acompanhamento: descarte aquele profissional que vai entregar tudo de uma vez, à véspera de sua deadline, você não terá como ver tudo e deixar a seu gosto. Também não aceite quem faz as interferências sem as controlar às claras, com marcas visíveis. O ideal é alguém que mantenha aberta a porta do diálogo o tempo todo, para não haver sustos.
Essas são algumas dicas aplicáveis a qualquer contratação de serviço, mas devem ser observadas com bem mais atenção nesse caso, pois o revisor é profissional que vai entregar o serviço quase sempre quando o autor já tem que encaminhar o trabalho, então pode não haver como remediar uma trapalhada.

Revisão e formatação de teses e dissertações há mais de quinze anos.

Informações de preços, serviços e condições.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial estendido.
Solicite orçamento sem compromisso, enviando o texto para nós.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.