25 de novembro de 2012

Dicas de revisão para revisores de textos

Os revisores sempre precisam de uma segunda, terceira, quarta olhada no texto para detectar eventuais erros factuais, gramaticais ou de ortografia  bem como para alcançar a melhor estrutura comunicacional possível.
Revisão de textos também
tem seus macetes.
Quando mais e mais os revisores voltam ao texto, mais fácil se torna deixar passar erros ou construções menos indicadas naquelas passagens já lidas e relidas. A mente se satura da informação sobre aquele texto e o revisor passa a saltar as palavras, adivinhá-las ou dar por bem entendida uma ideia que não está tão bem expressa. É o mesmo processo que ocorre com o autor, com um pequeno viés: o revisor é contratado para driblar isso, então esse tipo de falha deve ser afastada.
Já que os revisores não podem (normalmente) colocar o trabalho de lado por um tempo e depois voltar a lê-lo, perdemos um "olhar de estranho", a alteridade, distanciamento do objeto de trabalho, o que é essencial para identificar erros. Os nossos olhos podem ver os erros, mas o nosso cérebro interpreta o que o olho vê como já compreendido e assimilado pelas leituras anteriores.
Então é hora de enganar o cérebro, apresentando o material de forma distinta, diferente; assim, forçando-o a ver o trabalho como um estranho faria  – um pouquinho, pelo menos.
Aqui, algumas dicas para enganar o cérebro e evitar essa saturação pelas releituras:
  • Tente enganar o cérebro    altere o tamanho e a cor do texto, a fonte ou fundo.
  • Não se prenda na narrativa    leia de baixo para cima, assim você é forçado a pensar.
  • Leia em voz alta    para poder ouvir bobagens na construção da frases.
  • Imprima  –  para ter ainda mais uma visão do texto.
Claro que sabemos que nem sempre todas essas etapas são possíveis (nem mesmo necessárias), mas cabe a cada revisor identificar qual desses recursos complementares poderá surtir melhor efeito em cada caso. O uso de todos eles é um limite, o máximo possível  –  mesmo com a agregação de mais artifícios com o objetivo semelhante. Tudo isso vale também para o autor, mas a dica principal para o autor é nunca dispensar um bom revisor profissional.
Adaptação de Brewer, D.
Compartilhe