28 de outubro de 2011

Dicas para escolha de um revisor de textos acadêmicos

Ao escolher um revisor de textos, muito do que se aplica a outros serviços vale, mas há sempre algumas questões específicas. Se você nunca precisou de um revisor, ou se já precisou e não se deu bem com o que encontrou, aqui vão algumas recomendações que podem se aplicar, principalmente para textos acadêmicos ou empresariais:
Escolha o revisor com o mesmo carinho
que você escolheria seu cardiologista.
Seu coração agradecerá em ambos os casos.
 Não procure preço baixo:
A expressão "o barato sai caro" se aplica completamente ao serviço de revisão. Um bom revisor se preparou para realizar o trabalho e está em processo contínuo de aperfeiçoamento. É como um cardiologista. Quanto melhor o especialista, maior será o valor de sua consulta. Procurando serviços baratos, corre-se o risco de obter uma revisão menos perfeita, não dando ao texto o aspecto adequado e a qualidade necessária.

Divisão de trabalho:
Evite dividir suas revisões entre mais de uma empresa ou revisor. Assim como os escritores, os revisores têm forma de interferência características. Para que seus textos tenham uniformidade linguística, eles deve ser revisados sempre pela mesma pessoa ou equipe, desde os primeiros artigos até a tese.

Serviços de urgência:
Embora seja inevitável a urgência em determinados serviços, quanto mais tempo o revisor tiver para realizar o trabalho, melhor será a qualidade de sua revisão. Da mesma forma em que foram gastas horas, semanas ou meses na elaboração do texto, algumas horas devem ser minuciosamente despendidas na  revisão dos textos para que eles apresentem a melhor qualidade possível. Lembre-se de que este texto pode representar sua junto aos leitores. Quanto mais bem feito, melhor.

Interação com o revisor:
Na maioria dos casos, os textos apresentam termos e expressões típicas suas ou de sua área de atuação, que podem ter sentidos específicos ou não serem encontrado em dicionários. Ao optar por um serviço de revisão, deve-se estar preparado para um envolvimento com o revisor, a fim de refinar estas expressões e permitir que o texto fique com "sua cara".
Não deixe de ler sobre as Vantagens da revisão e formatação de textos na Keimelion.

Revisão serve para aperfeiçoar o texto

Foi-se o tempo em que revisar um texto significava apenas uma caça a erros ortográficos e de pontuação nos textos dos autores feita por um professor nas horas de folga da escola. Ainda bem! Hoje, sabe-se da importância de desenvolver profissionalismo nos serviços e a revisão se inclui aí. Por isso, ela também deve ser direcionada para os pontos que colaboram com os aspectos discursivos, como clareza e coerência textual, e ser feita sempre com a participação do autor.
Ronald Polito: Suspenso,
Lápis e alfinetes, 18 cm, 2011
Textos de boa qualidade precisam passar por diferentes revisões. Pontuação e coerência estão entre os pontos a serem abordados durante a produção. Mas sempre há muito mais que isso.
Esta postagem é baseadas em fragmentos de Revisão: a hora de aperfeiçoar o texto que foram editados, adaptados e ampliados.
O ato de o autor rever o que foi feito durante a produção do texto precede a revisão profissional e nunca a dispensa. O que muda é a abordagem do revisor e a visão do objeto: o autor nunca vê o texto de fora, para isso ele precisa de alguém que não tenha interferido na produção do material. O esperado é que o autor esteja saturado do próprio texto com o passar do tempo. Por isso, é importante saber o que o revisor se apresentará como leitor qualificado e dominando o suporte textual da narração ou dissertação.
E o processo tem de ser estendido, e é dotado de circularidade, pois um escritor que sabe, por si ou pelo revisor, o que precisa ser alterado em seus textos ou de terceiros passa a ser um leitor mais exigente.

Importância da revisão de textos acadêmicos

A criação de texto é tarefa que requer cuidados. O texto é uma trama de ideias que deve ter coerência entre si. Existem vários tipos de textos e todo texto precisa ser bem estruturado e redigido e para isso, é necessário sempre que se tenha uma boa linguagem e conhecimento de regras de escrita. O texto acadêmico é uma forma de demonstração de conhecimento científico. Esse tipo de trabalho tem forma específica e seu conteúdo deve ter bases científicas, mas um detalhe importante nos trabalhos acadêmicos é sua apresentação.
O autor de textos científicos nunca pode
abrir mão dos serviços de um revisor de
textos profissional e experiente.
O trabalho do revisor de textos é importante em todas as áreas do conhecimento, a boa revisão não se baseia somente em regras gramaticais, também visa melhorar a estrutura e a coerência do que foi escrito.
Esta postagem é um resumo adaptado de A IMPORTÂNCIA DA REVISÃO DE TEXTO NOS TRABALHOS ACADÊMICOS, de Luana Augusta de Freitas.
A produção do texto acadêmico-científico requer escrita sobre temas que podem ser tratados cientificamente, à luz da experimentação, do raciocínio lógico, da análise, da aplicação de um método/técnica. Esse tipo de produção objetiva expor informações comprovadas ou passíveis de comprovação, divulgar ideias próprias ou de outrem, partilhar um saber, informar.
Tem um estilo marcado pela objetividade, precisão, clareza, concisão, simplicidade e formalidade e utiliza linguagem respeitando o padrão culto da escrita, usando terminologia específica da área do saber, recorrência ao sentido denotativo da palavra.
A revisão feita pelo revisor profissional propõe, primeiramente, uma leitura rápida para ter ideia do conjunto. Numa segunda leitura, mais cuidadosa, faz-se uma anotação das discordâncias, indagações, sugestões. E por fim, tenta-se detectar as falhas na transmissão das ideias e possíveis hesitações em termos de conteúdo.
Mas o processo de revisão de texto vai além da correção gramatical, que a maioria das pessoas pensa. Esse trabalho envolve um processo muito mais elaborado para garantir a qualidade de um texto. Ainda se tem grande preconceito com esse tipo de trabalho porque se acredita que a revisão de texto vai alterar a estrutura e ideia original do texto. Essa visão é totalmente errada, pois a grande qualidade de um bom revisor de texto profissional é o respeito ao estilo de quem elaborou o texto ? seja o mesmo um trabalho acadêmico, um projeto, um folder ou um manual. Deve ser analisada a linguagem, percebendo se ela está adequada ao objetivo e à mensagem do autor. O revisor de texto busca, além dos aspectos gramaticais e estilísticos, melhorar a organização e a exposição das ideias.
A boa revisão de texto começa por um bom revisor e são poucas as pessoas capazes de realizar uma revisão profissional. Garantir que um documento escrito esteja claro nem sempre é óbvio. Muitas vezes as ideias são boas, mas aparecem mal formuladas. É aí que entra o revisor de texto, para garantir a clareza das ideias expostas.
Muitas pessoas têm boas ideias, mas dificuldades para transmiti-las para o papel, e o revisor de texto auxilia nesse processo de melhor essa exposição dessas ideias, dando mais qualidade ao texto e tornando-o de fácil entendimento. Um texto bem escrito transmite credibilidade a quem o lê e promove a veiculação de informações claras, coerentes e redigidas de acordo com a norma culta da língua.
O trabalho do revisor de texto é um trabalho de respeito às idiossincrasias de seus clientes, reconhecendo a relevância de cada produto para seu autor. A importância do revisor e sua função são indescritíveis. O revisor, muitas vezes, tem de fazer mais do que retificar palavras; ele melhora o texto ou é capaz de ressuscitá-lo, ele melhora as construções textuais, dá destaque às palavras, reforça uma mensagem, traz clareza, torna coeso.
Além disso, o trabalho deste profissional pode garantir a coerência na construção de um documento, por meio de sugestões de acordo com o conteúdo do que foi escrito. O revisor de texto profissional deve levar em conta a correção ortográfica e a coerência, mas jamais modificar as características, a maneira de expressar-se de um autor. Além da correta escrita das palavras e da boa estruturação textual, deve-se ponderar o contexto de quem escreveu, o conteúdo escrito e a quem se dirige o texto.

Dicas para revisores de textos acadêmicos

Os revisores de textos sempre dão dicas para os autores, a mais importante delas é que todo texto precisa passar pela revisão profissional. Mas existem as dicas para revisores, eles mesmos, às quais sempre estamos atentos e que podem servir de orientação para o autor compreender o trabalho do revisor e sua importância.
Os revisores de textos têm critérios de trabalho que
devem ser conhecidos pelos autores em benefício do
objeto de trabalho comum: o texto.
Os fragmentos que se seguem são originários do texto Doze dicas para revisores e foram livremente cortados e adaptados.
Muitas das habilidades críticas necessárias para tornar-se um revisor acadêmico de sucesso não são, em geral, ensinadas nas escolas de graduação, pelo menos não de modo formal. Uma destas é como revisar artigos acadêmicos profissionalmente, com foco no interesse do cliente.
Como as pessoas aprendem a revisar? A maioria dos revisores aprendem a revisar pela imitação.  “O trabalho de um revisor é desaprovar o texto. Procure quaisquer falhas que ele possa ter na grafia, sintaxe, lógica, coerência e nas conclusões e então as comunique ao autor.” Deste modo, o ciclo de revisões negativas se perpetua gerações afora, mas não é assim que deve ser; vejamos algumas diretrizes a que aderimos:
  1. Clareza na função. O trabalho do revisor é melhorar um artigo submetido, não (necessariamente) julgá-lo e certamente não desqualificá-lo. O autor espera seu trabalho para valorizar o texto, de forma que você deve aperfeiçoar a redação do artigo e apresentar sugestões.
  2. Agilidade no trabalho. Suas revisões precisam ser programadas. Não deixe para começá-las no último minuto. Se quer construir uma reputação como bom revisor, seja pontual e apronte sua revisão à frente do cronograma.
  3. Cuidado na leitura. Sim, você precisa ser ágil, mas não às custas da exatidão. Leia o artigo cuidadosamente e retorne aos trechos que não estejam claros tantas vezes quantas forem necessárias, em cada um das fases da revisão.
  4. Interferir sem hostilidade ou tendências maliciosas na revisão. Já houve revisões hostis em demasia, demonstrando superioridade no trato com a língua. Se houver alguma confusão mais comprometedora no texto, apresente-a abertamente mas sem ser rude a respeito.
  5. Concisão nas explicações. O autor é pessoa ocupada. Ele espera sua opinião, não tratado de linguística e teoria da comunicação justificando cada interferência.
  6. Não ser pedante. Não limite seu trabalho à procura de erros de grafia e infelicidades gramaticais. Mas não reconstrua todo o texto do autor. Os revisores de texto existem para melhorar o trabalho do autor, não para o substituir.
  7. Bom estilo de revisão. Não há consenso acerca de um estilo de revisão, de modo que você pode desenvolver um que lhe seja mais aprazível. Mas estilo de revisão não pode ser impor estilo autoral do revisor.
  8. Recomendação de reescrita. Melhor sempre reescrever, quando possível, e perguntar se era aquilo que o autor pretendia dizer.
  9. Cuidado com o egocentrismo. O trabalho do revisor é de assessoramento do autor, ele é a estrela do texto.
  10. Não opinar sobre o trabalho, emita seu parecer no máximo quanto à estrutura do texto e apenas se o autor solicitar expressamente.

25 de outubro de 2011

Para escrever bem

Um pouco de ironia pode ajudar a escrever bem, mas nada dispensa a interferência de um revisor de textos. A função do revisor, como leitor profissional, ultrapassa todas as dicas e recomendações de redação, pois ele vê o texto do ponto de vista externo e com conhecimento linguístico - nunca com os mesmos olhos do autor.
Todas as recomendações que
já foram feitas sobre a redação
fazem parte do repertório do
revisor de textos.
  1. Deve evitar ao máx. a utiliz. de abrev., etc.
  2. É desnecessário fazer-se empregar de um estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de esmero excessivo que raia o exibicionismo narcisístico.
  3. Anule aliterações altamente abusivas.
  4. não esqueça as maiúsculas no início das frases.
  5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.
  6. O uso de parêntesis (mesmo quando for relevante) é desnecessário.
  7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.
  8. Evite o emprego de gíria, mesmo que pareça nice, sacou??... então valeu!
  9. Palavras de baixo calão, porra, podem transformar o seu texto numa merda.
  10. Nunca generalize: generalizar é um erro em todas as situações.
  11. Evite repetir a mesma palavra pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.
  12. Não abuse das citações. Como costuma dizer um amigo meu: "Quem cita os outros não tem idéias próprias".
  13. Frases incompletas podem causar
  14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez, ou por outras palavras, não repita a mesma idéia várias vezes.
  15. Seja mais ou menos específico.
  16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!
  17. A voz passiva deve ser evitada.
  18. Utilize a pontuação corretamente o ponto e a vírgula pois a frase poderá ficar sem sentido especialmente será que ninguém mais sabe utilizar o ponto de interrogação
  19. Quem precisa de perguntas retóricas?
  20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.
  21. Exagerar é cem milhões de vezes pior do que a moderação.
  22. Evite mesóclises. Repita comigo: "mesóclises: evitá-las-ei!"
  23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.
  24. Não abuse das exclamações! Nunca!!! O seu texto fica horrível!!!!!
  25. Evite frases exageradamente longas pois estas dificultam a compreensão da idéia nelas contida e, por conterem mais que uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçam, desta forma, o pobre leitor a separá-la nos seus diversos componentes de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.
  26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língúa portuguêza.
  27. Seja incisivo e coerente, ou não.
  28. Não fique escrevendo (nem falando) no gerúndio. Você vai estar deixando seu texto pobre e estar causando ambiguidade, com certeza você vai estar deixando o conteúdo esquisito, vai estar ficando com a sensação de que as coisas ainda estão acontecendo. E como você vai estar lendo este texto, tenho certeza que você vai estar prestando atenção e vai estar repassando aos seus amigos, que vão estar entendendo e vão estar pensando em não estar falando desta maneira irritante.
  29. Outra barbaridade que tu deves evitar chê, é usar muitas expressões que acabem por denunciar a região onde tu moras, carajo!... nada de mandar esse trem... vixi... entendeu bichinho?
  30. Não permita que seu texto acabe por rimar, porque senão ninguém irá aguentar já que é insuportável o mesmo final escutar, o tempo todo sem parar.
  31. Não diga quem é o autor de algo que você encontrou na internet, assim com eu usei essas dicas do Professor João Pedro, UNICAMP, sem dizer antes que ele as escreveu.

Revisão e formatação de teses e dissertações há mais de dez anos.

Informações de preços, serviços e condições.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425 Skype: keimelion
Solicite orçamento sem compromisso, enviando o texto para nós.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.