Keimelion - revisão de textos: apresentação

A Keimelion é uma empresa brasileira que fornece serviços linguísticos em português, incluindo revisão e assessoramento à produção de textos técnicos e científicos; nossa organização também está envolvida na produção de documentação técnica para diferentes setores e, complementarmente, faz a formatação dos textos segundo as normas requeridas pelo cliente, propondo uma programação visual moderna e coerente. Nossa empresa presta consultoria sobre os manuais técnicos ou trabalhos acadêmicos longos que inclui três etapas: a análise do texto e, mais tarde, sua revisão linguística, por fim, a formatação coerente com a demanda; adicional ou alternativamente, criamos manuais editoriais de redação – bem como temos intensa produção de matéria de apoio para distribuição pela internet.
Logo da Keimelion e endereço na Web: www.keimelion.com
Já passamos de um milhão de visitas a
este blog! Muito obrigado a todos.
O método de revisão da Keimelion afeta tanto a forma linguística do texto original, quanto os aspectos cognitivos e pragmáticos da comunicação. Em uma tese ou num manual, na verdade, usam-se e as mesmas relações conceituais de forma consistente e que facilita a compreensão. Além disso, com a revisão, o texto torna-se mais transparente expressão da intenção comunicativa. Finalmente, nosso método e nossas indicações também reduzem os custos para a eventual tradução do texto, porque eles tornam o texto mais consistente e eventualmente, mais enxuto.
Nesse trabalho, nós revisores sempre temos a necessidade e a oportunidade de refletir sobre os textos, a linguagem e a comunicação, desenvolvendo ferramentas cognitivas e procedimentos objetivos baseados nas considerações sobre o texto como interação entre o autor e o público-alvo. As estruturas linguísticas que interferem com os objetivos de comunicação do texto são, por vezes, previsíveis; em seguida, o revisor já sabe, em parte, onde ele pode e deve intervir – onde ele não pode ou não deve cortar – onde ele deve se reportar ao autor para sanar dúvidas. No entanto, deve-se sempre avaliar a adequação de cada fragmento do texto em revisão considerando que o uso de cada recurso técnico sempre depende da supervisão do autor, porque o emprego da língua é imprevisível por definição e porque somente a visão do autor avalia o texto a partir do ponto de vista material e sobre as definições últimas de estilo e conteúdo – aspectos personalíssimos e indelegáveis.
Aqui analisamos as práticas relacionadas à revisão de textos longos como as teses e dissertações, bem como relatórios técnicos e projetos: textos não criativos. Esses são os tipos de textos mais recorrentes em nossos serviços. Apresentamos também, ainda que tangencialmente, os serviços oferecidos por nós, como o assessoramento linguístico, destacando as vantagens e limitações da nossa abordagem em relação às características da situação comunicativa onde normalmente se impõe um manual de redação e a relação entre o editor (ou um orientador, nos casos de textos acadêmicos), o autor, o revisor e o texto.
A Keimelion não oferece cursos de formação e não colabora em conteúdos de textos, mas pode subsidiar a produção desde a fase do projeto e na construção do roteiro da obra; por fim, fazemos a revisão do texto assim que ele seja concluído. As práticas da Keimelion fornecem a oportunidade de delinear o procedimento de revisão que será apresentado.
Como em todas as relações comerciais de serviços, a Keimelion elabora propostas de orçamento de seus serviços a serem submetidas aos autores (acadêmicos ou corporativos). Os cálculos são feitos principalmente em função da quantidade, qualidade e finalidade dos textos originais, da quantidade e qualidade das imagens, tabelas e gráficos contidos no trabalho; tudo em função do impacto econômico da revisão sobre a capacidade financeira do cliente. A assessoria linguística contratada é um investimento por parte do cliente, então, a decisão da contratação de revisão de um manual ou de uma tese depende tanto da qualidade real da intervenção pretendida sobre o texto quanto da garantia de obter um retorno e incremento qualitativo correspondente, imediatamente, e com equilíbrio entre os custos incorridos os benefícios obtidos.
O imediato retorno sobre o investimento na qualidade comunicacional do texto é fator muito importante, isso inclui rapidez nas respostas a consultas, prontidão na preparação dos orçamentos, estrito cumprimento dos cronogramas propostos – mas a Keimelion não se limita a isso: temos uma proposta de trabalho que prevê a constante interação com o cliente, permitindo o acompanhamento até em tempo real (se necessário) das operações de revisão que fazemos ou, no mínimo, fornecendo ao cliente diariamente um “estado da arte” que permita o acompanhamento do trabalho em curso. Essa visão de interatividade destaca fatores que, apesar de terem impacto real sobre o produto textual, beneficiam quanto ao sempre curto prazo disponível para a revisão e apresenta retorno no longo prazo em relação à qualidade do texto como imanência e permanência comunicacionais; sempre consideramos fatores como linguagem, atenção ao emissor e receptor, ergonomia visual e intelectiva, o design e layout, a programação visual, levando em conta continuamente processos interpretativos relacionados ao usuário, especialmente como público-alvo.
As características dessa relação de prestação de serviços exigem compromisso entre os interesses e necessidades das partes envolvidas. A empresa-cliente ou o autor deve considerar os custos de editoração (revisão e formatação) como investimento para diminuir conflitos interpretativos, ruídos comunicacionais e evitar a depreciação do conteúdo do texto em virtude de erros, quaisquer sejam eles; a Keimelion oferece serviço de destaque, competitivo em termos de qualidade e prazos de entrega – os preços de nossos serviços são os necessários para suportar a equipe altamente qualificada e a disponibilidade permanente de nossos colaboradores. Portanto, os serviços prestados pela Keimelion garantem economia de tempo e substancial retorno qualitativo, a fim de justificar o investimento representado por nossa contratação. As necessidades e exigências do público-alvo são honradas pela melhoria da inteligibilidade do texto, sua usabilidade e adequação quanto às características da escrita técnica e do gênero textual correspondente.
Para atender às demandas e à visão de seus clientes, a Keimelion faz a revisão sob rígidos critérios de mínima interferência e de estrito rigor normativo, apresentando melhorias aos processos de interpretação sem prejuízo das estruturas formais e características autorais dos textos. Todas as alterações propostas visam tornar o texto mais orgânico, esquemático, simples, aumentando o número de segmentos e reduzindo o de palavras. Essas operações proporcionam economia ao cliente durante a eventual tradução do texto, porque haverá menos material a ser traduzido e porque, se o tradutor recebe um texto mais fluente, o resultado de seu trabalho é melhor e o tempo necessário ao serviço diminui. A Keimelion, no entanto, não tem a redução texto como um fim em si, mas propõe-se aumentar a legibilidade e inteligibilidade por causa da concisão e da segmentação em sentenças mais curtas. Em um relatório, ou numa tese, o ponto e vírgula é frequentemente usado para separar um conjunto de instruções ou construir a hierarquia das ideias, sendo conveniente separar as frases e parágrafos segundo as proposições e dados oferecidos, para melhorar a segmentação, facilitar a compreensão e tornar o texto mais fácil de se ler.
A intenção da Kemelion, portanto, é combinar o aspecto formal requerido pelo texto e a melhoria dos outros planos da comunicação, em particular a semântica. Essa estratégia é particularmente eficaz em textos acadêmicos ou institucionais, pois, se implementada de forma consistente, pode satisfazer as necessidades do cliente, do orientador ou consultor e do destinatário.
A eventual redução de custo na tradução é, na verdade, uma vantagem adicional tanto para o cliente quanto para a eventual edição em língua estrangeira, ao passo que o controle de qualidade editorial é facilitado. A “economia” apenas numérica no texto (em extensão e em valores para tradução), no entanto, não é suficiente para justificar eventuais cortes, por duas razões. A primeira é o fato de que a percentagem de segmento de correspondência é apenas um dos fatores que determinam o preço da tradução e, em seguida, a economia apenas que vem de melhorar esse aspecto pode não compensar o gasto (tempo e dinheiro) necessário à revisão. A segunda razão é a necessidade impositiva de garantir a adequação do texto revisado: deve-se fazer uso todos os recursos (variação, construções sintéticas, conectores e meta-referências) para obter a forma linguística que corresponda a índice de legibilidade elevado e que recupere constantemente a memória interna. Mas, se o texto como todo é inadequado, apenas efetuar cortes não alcança o propósito da revisão. O usuário do texto não seria capaz de interpretar o texto de forma satisfatória se as ideias não estão hierarquizadas, se os argumentos não foram bem demonstrados, enfim: se as conclusões não têm perfeita demonstração. Nesses casos, a economia obtida com cortes seria cancelada pelo agravamento das relações comunicacionais entre o autor e seu público-alvo, minando, desse modo, seus esforços na produção do texto.
Embora não garanta retorno meramente financeiro imediato, a atenção ao texto quanto à adequação comunicativa – principalmente no que toca a eventuais simplificações – deve se inserir na lógica acadêmica, no raciocínio comercial ou na meta corporativa – segundo cada caso. O verdadeiro benefício para todas as partes envolvidas nessas situações de comunicação e a aplicação; na verdade, é fazer o texto corresponder às necessidades técnicas, científicas ou econômicas; se ele claramente reflete a intenção do emitente, desempenhará suas funções na realidade extratextual.
Apesar de a Keimelion se propor a fazer exatamente isso, melhorar o intercâmbio de comunicação em todos os aspectos, as revisões propostas por nós focam, principalmente, se não exclusivamente, a superfície linguística do texto, negligenciando qualquer vinculação extratextual de conteúdo, ideologia, situação e propósito extrínsecos à comunicação.
Intervenções sugeridas por terceiros, às vezes, são ineficazes porque se esquecem da complexidade do texto e dos processos cognitivos inerentes. Todas as propostas da Keimelion de melhorar a segmentação de tópico da tese ou do manual, ou reduzem o número de palavras para alcançar objetivos sobre os aspectos linguístico-comunicacionais do texto, ou estão impactando positivamente na compreensão e sobre a exequibilidade das instruções, a inteligibilidade das inferências, a clareza das conclusões. Além disso, apresentando características formais como o único escopo para melhoria do texto, o revisor não é estimulado a entender o funcionamento da língua, nem a refletir sobre o plano de comunicação semântica e pragmática e isto não aumenta (e pode afetar) a eficácia de suas escolhas. O foco no aspecto linguístico-formal e normativo (normas gramaticais tanto quanto normas técnicas) sozinho garante apenas a vantagem em termos de automação do processo, mas não torna necessariamente mais fácil decodificar a mensagem pelo público-alvo e não garante que a memória constituída seja pertinente.
O revisor consciente e capaz sempre pode intervir com êxito e simultaneamente na forma e na estrutura do texto: por exemplo, uma frase que contém um conceito único e é menor, então, provavelmente, estará mais legível, é mais clara. No entanto, essa situação não ocorre universalmente porque, entre os dois tipos de melhoria, há uma relação de causa e efeito, e elas não são consequências necessárias de cada intervenção de revisão. Pelo contrário, em alguns casos, os requisitos para os diferentes níveis de comunicação conflitam: por exemplo, há casos em que para ser claro e preciso é necessário ser extenso, em detrimento da economia.
Os resultados obtidos pelos processos de revisão interativa e minimamente interventiva da Keimelion são eficientes na relação custo-benefício do serviço, com as vantagens do investimento na qualidade, mas não estão limitados a essas considerações. A depender exclusivamente delas, na verdade, pode parecer que a qualidade da escrita técnica representa um grande problema apenas para autores e empresas que publicam seus produtos no exterior e, portanto, requerem a tradução deles. A necessidade de comunicação eficaz, no entanto, afeta todos que produzem textos, e os benefícios proporcionados por um bom texto não refletem apenas na tarefa de tradução. As considerações estabelecidas, portanto, fornecem um meio para incentivar o investimento em revisão de qualidade, e a tentativa de adaptação à lógica que rege todas as relações profissionais. A melhoria do texto da perspectiva cognitiva e pragmática não é secundária para a melhoria comunicabilidade, só porque não há nenhum método direto e objetivo para quantificar o impacto econômico.