Concepção, produção e revisão de textos

O formalismo baseado no contexto da representação de conhecimento e raciocínio se insere no processo de revisão da (re)produção verbal do conhecimento.

A produção e revisão de qualquer texto é atividade complexa que pode incorporar outras tarefas (documentação de busca, por exemplo), mas isso deve-se principalmente à integração de várias tarefas, incluindo produção e revisão mentais do conteúdo, sua organização e sua formatação para a produção verbal. O conteúdo de que se lança mão para produzir um texto tem dada organização interna espaço-temporal e o autor deve organizar um conjunto de ideias - ou estrutura conceitual - que deve ser formatado na estrutura textual.
A Keimelion tem a melhor revisão para dissertação e tese.
A revisão do texto considera o
contexto e o gênero da obra.
Um primeiro mote da revisão do texto é a verificação da integridade de conteúdo, organização de idéias e da formatação (quando tal é requerida). É a tarefa de organizar a estrutura de metas conceituais (sobre o quê?), a estrutura das metas do formato (como dizê-lo?), e sua integração com a narrativa opcional e efeitos estéticos que são critérios construção. 
Concepção, produção e revisão da produção textual são questões relativas à redação do texto, cujo propósito, sempre mal definido por um conjunto de critérios ou restrições (as normas e o registro adequados - por exemplo: o texto acadêmico) para atender a certos requisitos, requer atenção preferencial ou variável a tais restrições. Isto atende, por exemplo, ao formato canônico de uma tese ou dissertação, cujas estruturas textuais, formato e registro linguístico se submetem ao uso e a normas (critério obrigatório), a critérios de preferência, bem como a outros fatores (as interferências alternas, e.g.). Estes obstáculos iniciais à redação permitem e requerem que o autor de cada texto especifique (pelo menos para si) as dimensões ou variáveis ​​da redação, de modo a torná-las compatíveis com o objetivo em tela.

Revisão de textos e formatação - teses, dissertações, artigos

Minha tese está pronta, o que eu faço agora? A revisão do texto ou a formatação? Não sei exatamente o que significa formatar, não é só colocar nas normas?

Muitas vezes nossos clientes se confundem com a terminologia adotada entre os revisores e editores; para esclarecer essas dúvidas, apresentamos os três tipos básicos de serviços que prestamos.
Revisão de texto compreende: todos os aspectos ortográficos, morfossintáticos e estilísticos; coerência macro e micro textual; adequação ao registro culto na linguagem acadêmica formal. A revisão é o serviço centrado nos aspectos linguísticos e na comunicabilidade do texto.
Lápis e borracha não são mais as ferramentas da revisão de textos.
Recorra sempre a profissionais
para a revisão e formatação
de teses e dissertações.
Formatação compreende: normalização (ABNT, Vancouver, Chicago, APA, ISO e diversas outras), editoração e diagramação, segundo requerido, geração de arquivos Adobe (PDF), criação de índices e sumários, legendas e tratamento de imagens. A formatação tem a preocupação de conciliar aspetos formais (as formas e as normas) a aspectos estéticos e de ergonomia visual.
Tratamento de imagens faz parte da formatação, trabalha os gráficos, fotos, tabelas ou outros tipos de ilustrações e compreende a (re)inserção do elemento composicional com características compatíveis com impressão e tráfego de imagens pela internet e adequação à programação visual solicitada.
Muitos não imaginam, mas a atividade de revisão de textos é muito especializada. Há revisores focados nos mais diversos tipos de textos, por exemplo: textos didáticos, literários, publicitários ou jornalísticos. Cada um desses tipos de texto tem características próprias em função de público a que se destinam e da finalidade que têm. O mesmo ocorre com o texto acadêmico, a linguagem das teses, relatórios e artigos se reveste de características formais bem distintas, inclusive com peculiaridades entre as diversas áreas do conhecimento, usos de cada época e costumes de diferentes instituições e regiões do país.

Editoração de tese, dissertação e artigo

Quando se está prestes concluir um mestrado, em geral, não se tem experiência com os pequenos problemas que se enfrentam para a editoração da dissertação; aqui vou tratar ligeiramente deste processo – o que vale também para a tese, em outra etapa ou para os artigos científicos, em grau menor. A editoração compreende todos os procedimentos de formatação, diagramação, revisão, aprovação (do leiaute ou do conteúdo), impressão e depósito do texto.
Fluxograma genérico - revisão e formatação do artigo à tese.
Todos os processos envolvendo
a editoração de tese e dissertação
estão estabelecidos em fluxogramas.
O mestrado e os vários artigos publicados vão ensinando os caminhos a serem percorridos, mas, quando chega a hora de concluir o doutorado, a experiência anterior costuma ser de pouca utilidade: tudo já pode ter mudado, as regras, os colaboradores, o orientador. Vamos delinear aqui, segundo nossa experiência de mais de quinze anos com teses e dissertações apresentadas a inúmeras instituições, alguns procedimentos que, na sequência apresentada, podem facilitar a vida dos autores.
O fluxograma seguinte descreverá as etapas da negociação de forma ideal, vale a pena entender o fluxo proposto. Vale para os textos de tamanho normal, cerca de cem ou duzentas páginas; tenham em mente que trabalhos muito maiores, ou os mais complexos graficamente, poderão requerer mais etapas de revisão e acompanhamento, assim como os mais curtos e simples poderão pular etapas.

Keimelion - revisão de textos: apresentação

A Keimelion é uma empresa brasileira que fornece serviços linguísticos em português, incluindo revisão e assessoramento à produção de textos técnicos e científicos; nossa organização também está envolvida na produção de documentação técnica para diferentes setores e, complementarmente, faz a formatação dos textos segundo as normas requeridas pelo cliente, propondo uma programação visual moderna e coerente. Nossa empresa presta consultoria sobre os manuais técnicos ou trabalhos acadêmicos longos que inclui três etapas: a análise do texto e, mais tarde, sua revisão linguística, por fim, a formatação coerente com a demanda; adicional ou alternativamente, criamos manuais editoriais de redação – bem como temos intensa produção de matéria de apoio para distribuição pela internet.
Logo da Keimelion e endereço na Web: www.keimelion.com
Já passamos de um milhão de visitas a
este blog! Muito obrigado a todos.
O método de revisão da Keimelion afeta tanto a forma linguística do texto original, quanto os aspectos cognitivos e pragmáticos da comunicação. Em uma tese ou num manual, na verdade, usam-se e as mesmas relações conceituais de forma consistente e que facilita a compreensão. Além disso, com a revisão, o texto torna-se mais transparente expressão da intenção comunicativa. Finalmente, nosso método e nossas indicações também reduzem os custos para a eventual tradução do texto, porque eles tornam o texto mais consistente e eventualmente, mais enxuto.
Nesse trabalho, nós revisores sempre temos a necessidade e a oportunidade de refletir sobre os textos, a linguagem e a comunicação, desenvolvendo ferramentas cognitivas e procedimentos objetivos baseados nas considerações sobre o texto como interação entre o autor e o público-alvo. As estruturas linguísticas que interferem com os objetivos de comunicação do texto são, por vezes, previsíveis; em seguida, o revisor já sabe, em parte, onde ele pode e deve intervir – onde ele não pode ou não deve cortar – onde ele deve se reportar ao autor para sanar dúvidas. No entanto, deve-se sempre avaliar a adequação de cada fragmento do texto em revisão considerando que o uso de cada recurso técnico sempre depende da supervisão do autor, porque o emprego da língua é imprevisível por definição e porque somente a visão do autor avalia o texto a partir do ponto de vista material e sobre as definições últimas de estilo e conteúdo – aspectos personalíssimos e indelegáveis.