17 de julho de 2016

Estudando a revisão de textos acadêmicos

Os artigos científicos, as dissertações e as teses pertencem ao gênero acadêmico. A revisão desses textos tem sido objeto de estudos específicos que incluem a forma pela qual eles são produzidos. 

Abordagem cognitiva da revisão de textos

Nos últimos anos, a revisão de textos científicos tem atraído o interesse crescente da pesquisa acadêmica. Estudos experimentais recentes focados na revisão de textos científicos abordam o processo de produção do texto englobando a revisão como uma das fases do processo redacional, essas investigações abordam a redação acadêmica como processo e, portanto, também observável em suas fases constituintes. Têm sido feitas pesquisas qualitativas bem como sido empregados diferentes métodos e instrumentos quantitativos aplicáveis à produção e às diversas etapas da revisão dos textos universitários.
A Keimelion revisa principalmente textos científicos.
Os estudos acadêmicos sobre
revisão de textos interessam
aos revisores que se interessam
pelos textos acadêmicos.
Entre os métodos e ferramentas empregados para aos estudos da revisão de textos se incluem pensar os protocolos da operação (think-aloud protocols –observação de protocolos da atividade de revisão como verbalização de processos do pensamento), o monitoramento dos olhos (eye-tracking – gravação de movimentos oculares e sua duração, para entender o que capta a atenção do autor ou revisor e por quanto tempo o faz), o registro de acesso ao teclado (key-stroke logging – gravação dos toques o teclado para medir frequência, acesso a determinados comandos em particular, tempos de espera e reação), registro de tela (screen logging – gravando tudo o que acontece na tela, não só referente ao texto, também quanto ao local de trabalho, consultas on-line e off-line, recursos como dicionários, enciclopédias, internet, consultas cruzadas com autores e outros revisores). Tais recursos tecnológicos requerem programas sofisticados para as quantificações e tratamento estatístico refinado, pois geram volumosa quantidade de dados.

16 de julho de 2016

Revisor de textos: curiosidades e cortes

Uma coletânea impagável de definições de revisor de textos. Coisa antiga, mas sempre divertida. O Ciclo de Vida dos Revisores. Ao fim e ao cabo, quase que se pode dizer que revisar um texto seja fazer cortes!

  • Revisor é como o goleiro de futebol: pode acertar quase todas, mas é execrado quando falha.
  • O prazer do revisor é comparado ao do oleiro, modela o texto até ficar perfeito. Bonito de se ver e/ou de se ler.
  • Resposta à Stalone Cobra: “é um serviço sujo, mas alguém tem que fazê-lo. tenho culpa se gosto do cheiro de sangue?”
    O revisor retira o excesso de palavras dos textos: menos é mais também na redação.
    Todo autor precisa proteger
    seu texto contratando um
    bom revisor para colaborar.
  • Um mago. Quem sabe, um gurú [sic] das palavras, ou mesmo gurú [sic] ortografico [sic]?
  • Um chato, um neurótico compulsivo.
  • O revisor é um cara pago pra ser chato.
  • O revisor é aquele que vem para fazer a limpeza geral e nem sempre é notado. Porém, quando notado, é para ouvir a pergunta:”Quem Mexeu no Meu Texto”?
  • Revisor é uma pessoa que deve achar erro de todo mundo, mas não pode encontrar um cochilo seu só lá na terceira prova. Terá que ouvir o inevitável Pô, agora que você vê isso? do operador, que não agradece quando você pega o mesmo erro dele em todas as provas e ele não faz direito.
  • O revisor “de carteirinha” também é aquele ser esquisito que revisa a portaria da Sunab enquanto espera o cafezinho chegar no balcão.

15 de julho de 2016

Revisor de textos no jornal, nas traduções e nos artigos

A revisão de textos é necessária a todo tipo de trabalho escrito. Aqui vamos chamar atenção para três tipos específicos de textos, a tradução, os artigos e o texto jornalístico, todos carecem de revisões, cada qual por motivos específicos.

Com o fim da função do revisor, passou-se a analisar o jornal após sua publicação. Essa “revisão tardia” acabou por prejudicar os leitores, que não só encontram erros que poderiam ter sido evitados, mas que podem, muitas vezes, tomá-los como certos. A partir dos anos 1980, a imprensa adotou a rentabilidade como objetivo central.
A informatização das redações foi, ao mesmo tempo, resultado da nova demanda social e a forma mais eficiente encontrada pelas empresas jornalísticas para diminuir seus gastos. Os jornalistas que restaram tiveram de adotar uma nova postura e desempenhar papéis que antes eram encargos de outros profissionais. Deles passaram a ser exigidas aptidões características dessa nova sociedade. (Dejavite & Martins)
Seu texto merece a melhor revisão: Keimelion.
O revisor de textos desenvolve
a atenção como característica
profissional básica.
Pode-se considerar a implantação de tecnologia um dos principais pilares da transformação da imprensa. Além de exigir maior versatilidade dos profissionais, o processo de informatização das redações levou ao chamado desemprego tecnológico. O revisor foi descartado pelos grandes jornais e substituído por terminais de vídeo. Todavia, o corte profuso de pessoal em busca de lucro é questionável. Estamos vivendo em uma era em que o jornalista torna-se fundamental para a “seleção em meio ao vasto caudal de informações” e para a “explicação [dos fatos], imposta pela natureza técnica da informação”.

21 de junho de 2016

Revisão textual e textualidade

A textualidade na revisão para dissertações e teses.

Uma das questões mais cruciais a serem aferidas na revisão de texto é a textualidade; embora os autores das teses e dissertações (e muitos revisores, infelizmente) estejam mais preocupados com ortografia e outros aspectos linguísticos mais superficiais.
Quanto mais os revisores investirem na análise estrutura do gênero textual e de sua sequência prototípica, bem como na atenção a ser dispensada aos aspectos pragmáticos e enunciativos exigidos para o uso do gênero em causa (o gênero texto acadêmico - tese), mais eles observarão o quanto os modelos canônicos interferiram nos processos da escrita, em particular, e interferirão no processo de revisão dos textos dos estudantes de mestrado e doutorado.
Formatação de tese é bem mais complexo que parece. Contrate um profissional e cuide só do conteúdo.
Formatação normatizada
considera a textualidade e
intertextualidade das teses.

A textualidade compreende modos que podem ser apresentados em três blocos:

  1. O primeiro corresponde a operações relacionadas à organização do conteúdo e ao ato de produção textual (conjunta, disjunta; implicada ou autônoma), resultando os três tipos de textualização básicos (“discurso em situação” – discurso interativo e relato interativo; “discurso teórico” e “narração”). Este modo de operações sobre os valores textuais produz formas discursivas para a apresentação do conteúdo: conjunção, quando a organização do conteúdo depende das coordenadas do mundo ordinário; e disjunção, pela organização do conteúdo com base em coordenadas de espaço e tempo. Assim, efetiva-se no âmbito da narração dos fatos.

Revisão e formatação de teses e dissertações há mais de quinze anos.

Informações de preços, serviços e condições.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial estendido.
Solicite orçamento sem compromisso, enviando o texto para nós.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.