12 de abril de 2015

Tese e dissertação contra o tempo: prazo e urgência versus revisão do texto

Qual o prazo para você fazer a revisão? - O prazo é o cliente que determina, já que nunca haverá mesmo o tempo de que o revisor necessita.

O prazo para o serviço e o tempo necessário à revisão não podem estar em conflito.
Deixar para procurar a
 revisão do texto à última  hora
é receita certa de desastre.
Todos os revisores de textos enfrentam o problema dos prazos para a revisão. Normalmente, o segurar o trabalho até a penúltima hora e então solicitar uma "revisão urgente" do produto. Seria necessário que as pessoas que escrevem entendessem um pouco que isso de "revisão urgente" não existe, assim como "revisor de última hora" é praticamente impossível de ser encontrado. Principalmente no que se refere aos revisores mais experientes e de maior demanda no mercado.
autores que têm uma data final para apresentação do texto gostam de

Vamos apresentar uma lista de problemas quanto à revisão urgente e tentar indicar a solução em cada caso - mas já se pode adiantar que a solução é não deixar a revisão para a última hora e não procurar um revisor à véspera.
  • Primeiramente, não confunda a velocidade prevista e anunciada para a revisão do texto com prazo. Se um revisor anuncia que revisa 30 laudas por dia, não espere que ele te entregue de um dia para outro seu trabalho de 25 páginas: o revisor pode estar ocupado com outro trabalho, ter uma viagem, ou qualquer outro tipo de;compromisso;para aquela data. Tente agendar com a possível antecedência, mesmo que trabalho ainda esteja em finalização.

O sigilo profissional da revisão de textos

Questão que preocupa muitos autores em relação a seus textos, e a preocupação faz realmente sentido, é a que se refere ao sigilo do revisor em relação ao trabalho.

Como revisores, consequentemente linguistas, vale lembrar que a palavra sigilo vem do latim, língua em significava "sinalzinho" - no sentido de símbolo destinado a guardar um segredo. O sigilo profissional do revisor de textos se refere ao resguardo do material que lhe é confiado, não o trazendo a público em prejuízo do autor.
Revisor não vê, não ouve, não fala mais que o necessário!
Enquanto o texto não for publicado
por seu autor, o revisor não o viu,
não ouviu falar dele e nada tem a
dizer sobre o que foi escrito.
O sigilo sobre o texto quer dizer que o revisor não pode nem vai publicar fragmentos ou a totalidade da produção do cliente, nem antecipar seu conteúdo por nenhum meio. Atualmente, com toda a facilidade da publicação eletrônica, seria bastante fácil a um profissional desonesto, e se for desonesto nem se pode dizer que seja profissional, antecipar-se com um fragmento de qualquer obra, em um blog, por exemplo; a facilidade de se fazer algo assim seria inimaginável há poucos anos. O revisor não pode fazer isso nem a título de que está dando publicidade a seu trabalho de revisor, exceto se a tal for expressamente autorizado pelo autor - o que é improvável que ocorra.
Nem vou mencionar a apropriação do texto alheio, a fraude (usar parte daquele trabalho em outra obra, por exemplo), ou o plágio: apresentar o texto do cliente como seu. Esses são casos diferentes da violação do sigilo e só estão ligados a ele por serem também práticas ilícitas.
Como o autor pode se precaver quanto á lisura do revisor? Bem, revisão de textos é uma relação de confiança, primordialmente. Autor e revisor devem construir entre si confiança no que tange à qualidade do trabalho de cada um e confiança na relação profissional, por exemplo, no que tange à pontualidade (na entrega do serviço e nos pagamentos), no que concerne ao limite entre o trabalho de um e a criatividade do outro (o revisor se age como consultor). Então, trate o autor de escolher bem quem vai revisar seus textos, ou a equipe com quem vai trabalhar, pois essa relação entre autor e revisor amadurece, o trabalho cooperativo valoriza o produto. Na escolha do revisor, observe a reputação que ele tem construído. Importantíssimo é jamais usar o serviço de revisão de alguém que "faça" trabalhos para os outros: será grande a probabilidade de que parte ou todo seu texto seja plagiado mais à frente. Outra providência que se pode tomar, quanto ao resguardo de direitos recíprocos, é a formalização do contrato entre as partes, por instrumento privado entre autor e revisor que terá ampla validade legal e específico condão inibidor de todo tipo de contrafação.

11 de abril de 2015

Como escrever um texto acadêmico: aspectos gerais e específicos

Um texto científico ou acadêmico é um complexo trabalho dissertativo ou narrativo que tem características próprias sobre sua concepção, criação e apresentação.

Bons textos científicos acrescentam conhecimento mesmo quando levantam novas dúvidas, novos problemas ou novas abordagens sobre uma questão, permitindo que leitores encontrem realidade e humanidade em palavras que foram completamente estruturadas para apresentar ou discutir um enfoque específico de um tema. Não importa qual tipo de texto você queira ou necessite escrever – pode ser uma tese de livre-docência, de doutorado, uma dissertação, monografia, um artigo científico, relatório – você precisará de disciplina, energia criativa e de dedicação para a pesquisa, criação, revisão e edição do texto. Apresentamos algumas sugestões para contribuir na redação.

Antes de começar a escrever um texto acadêmico, considere: problema, tema, abordagem

Todo texto revisado na Keimelion é prioridade total.
Cada tipo de texto científico tem suas
características. Familiarize-se com o tipo
de texto que pretenda produzir.
Tenha claro para si o tipo de texto que vai escrever e o público a que ele se destina. Nem todas os texto se encaixam perfeitamente em determinada categoria, é necessário pensar muito nos limites e abrangência necessários ao gênero e público pretendidos ao começar o planejamento – sim, é necessário planejamento. Leia alguns trabalhos significativos que se encaixem no gênero pretendido (tese, dissertação, monografia…) para ter uma boa compreensão sobre como construir uma trabalho correspondente, de acordo com os padrões formais estabelecidos. É inconcebível que alguém se proponha a escrever uma monografia sem nunca ter ligo algumas. Tente compreender a fórmula daquele tipo de texto e aceite que não há muito como quebrar o molde.

São os seguintes os principais formatos de texto científico:
  • Tese é o trabalho acadêmico que apresenta resultado de investigação complexa e aprofundada sobre tema mais ou menos amplo, com abordagem teórica definida. A tese deve ser elaborada com base em pesquisa original. Visa à obtenção do título de doutor, pós-doutor ou livre-docente, ou o acesso ao cargo de professor titular, em muitas instituições. Em geral, a tese é produção de cerca de 200 páginas em diante, podendo crescer bastante esse número.
  • Dissertação é o trabalho acadêmico que apresenta o resultado de investigação menos complexa e aprofundada sobre tema específico e mais delimitado Visa à obtenção do título de mestre. Em geral, é produção de aproximadamente 100 páginas, podendo variar um pouco o número.
  • Monografia é trabalho acadêmico que apresenta o resultado de investigação pouco complexa e sobre tema único e bem delimitado Em geral, é produção de cerca de 60 páginas. Costuma ser trabalho final dos cursos de graduação, elaborado depois de cursados os respectivos créditos e feita a pesquisa correspondente.

10 de abril de 2015

A fórmula da escrita e da revisão do texto

Quão importante é a forma em um texto? E a coerência? Vários elementos concorrem para a consistência textual; não podemos fazer distinção qualitativa entre um e outro, não podemos ter preferências.

Todo revisor de textos é um pouco maníaco ao ler, procura erro de digitação, observa cada detalhe do texto e vê desvios sutis da norma, imperceptíveis a olhos menos treinados, também, fica horrorizado se um romance contém um erro significativo, mesmo que não tire os méritos do resto da história. Muito revisor parou de ler blogs porque cansou de encontrar problemas de ortografia, blasfêmia do texto contra si mesmo. Se outro leitor perceber um erro de digitação, mas estiver feliz porque o post foi bom, continua lendo – o revisor para e não volta ao blog nunca mais.
O olho do revisor é treinado para as mínimas falhas!
Escrever textos é uma prática,
revisar textos é outra prática,
são atividades complementares
e não têm como se excluírem.
Aqui em nosso blog acontece isso! Publicamos muito e, como autores, nossos erros também passam... alguns são corrigidos meses depois, outros permanecem, aderidos e eternos: texto e erro nascem juntos, mesmo em território de revisores; sempre vale o aforismo: “o diabo mora na redação”!
O revisor é aquele detalhista, que observa as vírgulas e acentos, que durante anos foi sempre bastante atento aos textos, que não lê um livro em paz por causa de erros de digitação, erros gramaticais, repetições e problemas de tradução. Esses são os fantasmas da leitura que assombram vida do revisor, que fazem dele, para sempre, um leitor diferente daqueles que nunca exerceram o ofício da revisão.

A fórmula da escrita

Existe uma equação cujo resultado é o texto. O revisor é aquele que detecta qualquer desequilíbrio da equação; aqui está ela:
G + E + C = T, onde G significa gramática, E de estilo, C para conteúdo ou enredo e T é o desejado texto.

Revisão e formatação de teses e dissertações há mais de quinze anos.

Informações de preços, serviços e condições.
São Paulo: +55 (11) 3042-2403 Rio de Janeiro: +55 (21) 3942-2403 Belo Horizonte: +55 (31) 3889-2425
Brasília: +55 (61) 4042-2403 Porto Alegre: +55 (51) 4042-3889 Skype: keimelion
Atendemos em horário comercial estendido.
Solicite orçamento sem compromisso, enviando o texto para nós.
Não elaboramos trabalhos de graduação ou pós. Não insista.