Visite-nos no Google+

29 de julho de 2014

Teses e dissertações: revisão e estilo

O processo de revisão de texto no trabalho científico e o trabalho do revisor de texto - que nem sempre é visto como um trabalho que pode melhorar a qualidade de diversos textos e que vai além da correção gramatical - são fundamentais para melhorar a qualidade dos trabalhos acadêmicos, facilitando a leitura e melhorando sua compreensão.

Uma das coisas mais importantes na revisão do texto científico é a apuração do estilo. O revisor de
A tese passa por muitas mãos, as do revisor não podem ser dispensadas.
Revisão de texto é
adequar norma e
finalidade do produto.
textos vai usar todo seu arsenal de recursos técnicos para garantir, tanto quanto possível, a adequação da linguagem à norma culta e o estilo segundo os parâmetros acadêmicos de cada área de conhecimento.
O estilo na redação de trabalhos científicos deve ter por referência princípios básicos que devem ser observados de modo a garantir o máximo de isenção e clareza na descrição da atividade de investigação desenvolvida.
Os princípios indispensáveis à redação acadêmica, comuns a outras formas de escrita, podem ser resumidos nas seguintes características: clareza; precisão; comunicabilidade e consistência.
A redação é clara quando não deixa margem a interpretações diferentes da que o autor deseja comunicar. A linguagem rebuscada, cheia de termos desnecessários, desvia a atenção do leitor, servindo apenas para o confundir.
A falta de clareza do texto aparece muitas vezes acompanhada de ambiguidade, falta de ordem na apresentação de idéias, utilização excessiva de termos com pouco uso na língua. O texto correto expõe os conceitos e a lógica pretendida em seqüência que estimule o prosseguimento da leitura.
O autor é claro quando usa linguagem precisa, quando atribui a cada palavra empregada o sentido exato do pensamento que deseja transmitir. É mais fácil ser preciso na linguagem científica do que na literária, uma vez que nesta última a escolha de termos é bem mais ampla. De qualquer forma, a seleção de termos inequívocos e a cautela no uso de expressões coloquiais (de uso comum: por exemplo, quer chova ou faça sol; ou das duas, uma) devem constituir preocupação sempre presentes na redação acadêmica.
A comunicabilidade é característica essencial na linguagem científica, os assuntos devem ser tratados de maneira direta e simples, expondo a lógica e a continuidade que sustentem as idéias defendidas.
A pontuação também deve ser usada criteriosamente, proporcionando pausas adequadas à compreensão do texto. Pontuação em excesso cansa o leitor e, quando deficiente, não oferece clareza.
Por último, o princípio da consistência é elemento importante no estilo e pode ser analisado de três formas complementares: consistência da expressão gramatical; consistência de categoria; consistência de sequência.
  • A consistência de expressão gramatical.
  • A consistência de categoria.
  • A consistência de sequência.
A produção do texto acadêmico requer escrita sobre temas que podem ser tratados cientificamente, à luz da experimentação, do raciocínio lógico, da análise, da aplicação de um método/técnica. Esse tipo de produção objetiva expor informações comprovadas ou passíveis de comprovação, divulgar ideias próprias ou de outrem, partilhar um saber, informar. (L.A.Freitas)
"Revisão é um aprofundamento no texto,
como se o enxergasse com olhos de gato,
um raio-x do poema, como nunca visto." T. C. Motta
Tem estilo marcado pela objetividade, precisão, clareza, concisão, simplicidade, formalidade e utiliza linguagem respeitando o padrão culto da escrita, usando terminologia específica da área do saber, recorrência ao sentido denotativo da palavra. Podemos compreender qual é a proposta do conhecimento científico: construir conhecimento por meio de procedimentos que denotem atitude científica e que proporcionem condições de experimentação de suas hipóteses de forma sistemática, controlada e objetiva para ser exposto à crítica intersubjetiva, oferecendo maior segurança e confiabilidade nos seus resultados e maior consciência dos limites de validade de suas teorias.
Para a construção do texto acadêmico, é necessário ter claros os limites e limitações das teorias com as quais se trabalha. A teoria não serve apenas para explicar o quanto as hipóteses são plausíveis, mas para elaborar os instrumentos e as técnicas de pesquisa. O que não se pode esquecer é que o especialista em texto é o revisor.

Tipos de revisão de textos - e desconto de 10%

Existem muitos tipos de revisão de textos, aqui vamos apresentar alguns deles e o que será melhor para você: a revisão de textos com desconto!

Muita gente, ao precisar de revisão de textos pela primeira vez, ou talvez seja a única necessidade que venha a ter deste serviço, não sabe que há diversos tipos de revisões de textos. Normalmente, o revisor experiente conhece de seu ofício para indicar ao cliente exatamente o que ele precisa.
Você sabe que tipo de revisão sua tese precisa? Siga-nos nas redes sociais e obtenha 10% de desconto.
Existem muitos tipos de revisão,
assim como diversos tipos de
revisores de textos.
Os clientes acadêmicos, muitas vezes, procuram os revisores às vésperas de defender sua dissertação, depois para a tese, muitos também revisam artigos e TCCs, mas as dissertações são mesmo o primeiro contato da maioria com os revisores. Para esses, temos o que já é conhecido como revisão acadêmica, que é um pacote para atender a necessidade do cliente, sem maiores complicações.
Outro cliente típico é o autor iniciante, que tem um ou mais livros prontos e ainda não dispões de editora e dos recursos formais do mercado, está tentando se inserir nele.
Mas há muito tipo de revisão diferente, e muito tipo que não há. Não existem “revisão ortográfica”, “revisão de português”, “revisão textual” e “revisão gramatical” – embora ortografia, gramática e todos os aspectos textuais façam parte de qualquer revisão. Essas expressões não descrevem bem o serviço executado.

Vamos aos tipos de revisão e ao que eles contêm:
  1. Cotejamento ou conferência [checking] é o tipo de revisão que consiste em verificar se um texto corresponde a outro, muitas vezes colocados os dois lado a lado e frequentemete empregando duas pessoas que se comunicam para conferir cada palavra, pontuação – tudo!
  2. Revisão bilíngue [revision] é aquela feita numa tradução, por um revisor que conheça a língua de origem e a de destino, para ajustes e refinamento do texto, relacionando-o ao original.
  3. Revisão monolíngue [review] também no contexto da tradução, é aquela revisão do texto que só considera o texto na língua de destino, sem a contaminação do texto original.
  4. Revisão de provas [proofreading], é aquela feita no do trabalho no texto impresso (a boneca), verificando se não foram introduzidos erros durante o processo de composição do texto.
  5. Revisão primária confunde-se com o copidesque [copy desk] ou com preparação de texto [revision]; aponta incoerências, repetições, uso incorreto da língua e falta de normalização. Normalmente inclui mecanismos eletrônicos de verificação da ortografia e sintaxe. Em alguns casos inclui a formatação de texto, inclusive em se tratando de trabalho acadêmico, quando serão obedecidas normas da ABNT, Vancouver, APA, ISO, por exemplo, ou as normas da própria instituição ou veículo a que se destina o texto. Nesta fase é comum e aconselhável a interação com autor ou autores, bem com editores, orientadores e outros responsáveis pelo texto.
  6. Revisão secundária verifica uniformidade e constância temporal e pessoal das formas verbais, vícios de eufonia, linguagem oral ou desconhecimento etimológico, clareza, ordenação sintática e hierarquização das ideias. Verificação “final” de todos os aspectos linguísticos, metodicamente, conferindo os diferentes aspectos na seguinte ordem: a) erros de digitação, ortografia, pontuação e concordância não detectáveis pelos revisores eletrônicos; b) uniformidade e constância temporal e pessoal; c) vícios decorrentes da linguagem oral ou desconhecimento etimológico; d) vícios de eufonia (cacófatos e outros); e) ordenação sintática e hierarquização das ideias.
  7. Revisão acadêmica é aquela feita em teses, dissertações, monografias, artigos, comunicações e trabalhos acadêmicos em geral. Normalmente requer a interferência de profissional habituado ao jargão universitário, familiarizado com as normas e objetivos do texto científico. Inclui tudo o necessário para que o trabalho seja defendido ou publicado nas mídias específicas.
  8. Revisão técnica inclui interferência crítica feita por um profissional com qualificação acadêmica no objeto do trabalho, proporcionando ao autor a tranquilidade de uma opinião externa e descomprometida com o conteúdo do texto e com a sua produção, sendo um importante recurso para os autores que trabalham distantes de seus orientadores formais.
  9. Revisão final é conhecida como “cata piolho” e outras expressões do gênero no jargão dos revisores. Refere-se à última leitura do texto, antes do esgotamento do prazo para entrega. Verifica todas as mínimas questões remanescentes; e sempre haverá mais a ser revisado, enquanto houver tempo.
  10. Revisão com desconto. Esse é o melhor tipo e revisão de textos. Veja abaixo como obter desconto em nossos serviços.
Revisão de texto com desconto é
seguindo a Keimelion nas
redes sociais.

Estamos oferecendo desconto de 10% nos serviços de revisão de textos para todos aqueles que nos seguirem no Facebook ou no LinkedIn. Basta clicar nos campos correspondentes (curtir ou seguir - veja no alto da página, à direita), aqui ou diretamente naqueles sites. Siga-nos agora e quando precisar da revisão saberá onde nos encontrar. Siga-nos agora e receba dicas sobre redação e formatação normatizada de teses e dissertações.
Depois, solicite-nos o orçamento quando precisar de nossos serviços e, quando receber o preço do trabalho,  apresente-se como seguidor que aplicaremos o desconto. Simples e eficiente. Promoção válida para trabalhos acadêmicos ou livros completos. Desconto aplicável em caso de pagamento à vista, ao receber o trabalho revisado, por depósito ou transferência bancária.